Como instalar bspwm no Xubuntu 20.04 LTS

Xubuntu 20.04 + bspwm

Índice


Sobre

Esse script possui a intenção de instalar o gerenciador de janelas bspwm em conjunto com polybar e rofi.


Sistema base

Esse script foi testado e está disponível para ser executado no Xubuntu 20.04 como base e não foi usado em outro sistema, caso queira executar por conta própria ou modificar na intenção de moldar conforme necessário para seu sistema, fique à vontade, porém não tem como me responsabilizar por isso. Para mais informações sobre o sistema utilizado: Xubuntu.


Tela do sistema após script

Papel de parede, tema e ícones não estão presentes no script.

001

Mais telas

Clique para visualizar

Capturas de tela

002

003

03

04

Polybar instalada via script

barra

barra2


Instalação

Em seu terminal, rode o comando abaixo para começar a instalação:

sudo apt install git -y && cd /tmp && git clone https://github.com/thespation/xubuntu_bspwm && chmod 755 xubuntu_bspwm/* -R && cd xubuntu_bspwm/ && ./instalar.sh

Dependências a serem instaladas via script

  • bspwm : gerenciador de janelas
  • Polybar : barra de status e menu
  • Rofi : menu de aplicativos e desligamento personalizado
  • sxhkd : responsável pelos atalhos
  • mate-polkit : gestor de autenticação em caso de solicitação de permissão elevada
  • nitrogen : gestor de papel de parede
  • lxappearance : responsável por gerenciar o tema e ícones do sistema
  • snapd : permitirá a instalação do ksuperkey
  • ksuperkey : disponibilizará a possibilidade de habilitar o Rofi com uma tecla
  • neofetch : exibe informações sobre o computador e o sistema
  • htop : gerenciador de tarefas em modo texto
  • compton : responsável por fornecer a possibilidade de transparência, sombra e efeitos visuais

Fonts utilizadas para exibir polybar corretamente

Clique para visualizar

Fonts utilizadas

Fontes usadas por esse tema:

Fontes para texto

  • Iosevka Nerd Font
  • Fantasque Sans Mono
  • Noto Sans
  • Droid Sans
  • Terminus

Fontes para ícones

  • Iosevka Nerd Font
  • Icomoon Feather
  • Material Icons
  • Waffle (Siji)

Acessando o bspwm

Uma vez instalado, para que consiga acessar o sistema utilizando o gerenciador de janelas bspwm é necessário selecioná-lo durante o login:

  • Clique na opção de troca e selecione bspwm

login

  • Depois de selecionar bspwm e digitar a sua senha, pressione Enter.

Personalização

Clique para visualizar o conteúdo

Menu de aplicativos

temos 3 formas de acessar o menu de aplicativos (Rofi):

  • Maneira 1:

image

Por esse ícone no canto inferior esquerdo.

  • Maneira 2: Pressionando a tecla Super (também conhecida por tecla Windows) ou

  • Maneira 3: pressionando Alt + F1


Personalizar Tema e ícones

Com Rofi aberto, escreva personalizar e abra o app:

image

Fique a vontade para selecionar o tema desejado, selecionei o Adapta-Nokto-Eta (disponível em https://www.gnome-look.org/p/1190851):

image

Para o Tema de ícones escolhi Luv-Folders-Dark (disponível em GitHub - Nitrux/luv-icon-theme: Lüv is the spiritual successor to Flattr, a flat but complex icon theme for freedesktop environments.):

image

clique em Aplicar para que as alterações entrem em vigor.


Papel de parede

No menu de aplicativos, escreva nitrogen para buscar:

image

Com o app aberto, clique em Preferences

image

Clique em Add:

image

Para facilitar a nossa vida, clique em File System, pressione Ctrl + l para que possa digitar o endereço na barra, cole: /usr/share/xfce4/backdrops/ e clique em Select:

image

Com a pasta adicionada, clique em OK:

image

Com isso perceberá que aparecem os papeis de parede do sistema. Após selecionar o desejado, clique em Apply:

image

obs: para fechar a janela, pressione Super + c.


Terminal minimalista e com transparência

Para abrir o terminal, pressione Super + Enter

Com o terminal aberto, clique com o botão direito do mouse na área do seu terminal e clique em Preferências:

image

Na aba Geral:

  • Em Barra de rolagem é: mude para Desabilitado.
  • Em Formato de cursor: mude para Sublinhado.

image

Na aba Aparência:

  • Mude a fonte para Iosevka Custom Regular
  • Em Imagem de fundo troque para Fundo transparente e regule com a intensidade desejada.
  • Em Abrindo novas janelas desmarque a opção Mostrar barra de menu em novas janelas

image

Na aba Cores, para que tenhamos um terminal mais harmonioso com o tema selecionado:

  • Marque a opção Usar cores do tema do sistema para texto e fundos.

image

Tudo configurado, pode fechar o terminal com Super + c e pode reabrir (Super + Enter ) para ver como ficou. Deve ficar desta forma:

05


Menu de desligamento

Possibilidades: Bloquear a tela, Deixar o computador em espera, Sair (logoff), Reiniciar e Desligar:

image

Formas de acionar o menu:

  • Maneira 1:
    No canto inferior direito existe um botão vermelho:

image

  • Maneira 2:
    W + x

Uma vez escolhida uma função, Sair por exemplo, o sistema não pedirá confirmação, executando na mesma hora.


Teclas de atalhos

Para utilização do bspwm vai notar que muitas das vezes o teclado é o nosso melhor amigo, para isso precisamos aprender alguns atalhos interessantes para nossa utilização.

Caso queira personalizar algum, acrescentar ou remover, pode ser realizado editando o arquivo: ~/.config/sxhkd/sxhkdrc.

Seguem os atalho já configurados:

Clique para visualizar

Atalhos

Legenda: W = Tecla Windows

W - Menu de aplicativos

W + w - Mostra programas abertos (tecla Windows mais a tecla “w”)

W + 1-8 - Troca de área de trabalho

W + Shift + 1-8 - Envia app em foco para a área de trabalho desejada

W + Enter - Terminal

W + Barra de espaço - troca entre modo tiling / floating

W + F - modo uma janela

W + H/V/Q - Prepara a divisão do app na Horizontal, Vertical ou Cancela.

W + TAB - Volta para última área de trabalho aberta

W + Shift + 1-8 - Envia a janela em foco para a área desejada.

W + Ctrol + ←/→/↑ /↓ - Expande a janela em foco

W + Alt + ←/→/↑ /↓ - Dininui a janela em foco

W + C - Fecha janela em foco

Ctrl + Alt + ←/→ - Troca de área de trabalho


Créditos:

Tanto os menus, polybar e configurações para bspwm quanto sxhkd foram elaborados pelo Aditya Shakya que disponibilizou em seu Github (polybar e rofi).


Todo conteúdo desse tópico encontra-se disponível em meu GitHub: Thespation GitHub

10 Curtidas

Muito bom!! Parabéns!!

2 Curtidas

Esse aí deu um pouco mais de trabalho, para instalar polybar é necessário compilar, tive que incluir todas as prévias dependências, compilação e instalação.

Detalhe que não tinha a intenção de criar script e colocar no git, mas além de me ajudar quando for testar outra distro base Ubuntu LTS, pode ser útil para mais alguém (configurações de polybar, rofi, bspwm e sxhkd).

Estou pensando em montar um com a instalação base do Debian (sem interface) mais esse vou deixar para o futuro.

3 Curtidas

Será que rola no KDE Neon? Pensei em testar no Mac Mini. :thinking:

1 Curtida

Acho que seria bem legal fazer pro Debian sem interface. O encorajo fortemente pra fazer. :wink:

2 Curtidas

Acredito que para o KDE Neon seja simples por usar a mesma base, é questão de adaptar atalhos para abrir terminal penas. Vou fazer um teste, como basicamente não uso plasma, pode ter alguma peculiaridade.

image
já baixando

Vou estudar e ir fazendo testes, vai ficar algo como archfi. Será o mais trabalhoso e pode ser o mais interessante também.

1 Curtida

Ficou muito bom. Depois vou testar aqui em máquina virtual.

Se for usar o Debian Stable atual, o Buster, é só adicionar o backports, ao invés de compilar o polybar. No próximo stable, que tá quase saindo, já terá o polybar nos repos. Eu que uso o Debian no dia a dia, aconselho a, se for criar, usar o Debian Testing que tá congelado já. Porque os programas já estão em versões mais recentes.

2 Curtidas

O Debian Testing tem essa vantagem de já ter a possiblidade de instalar polybar direto, coisa que facilita muito, porém para criar para o Debian, fiquei mais interessado na versão estável, até pelo longo suporte e o kernel mais antigo. Falando em kernel, qual versão vem na versão testing?

2 Curtidas

Não lembro com certeza, porque to usando o Buster. Normalmente, sai com a última versão LTS disponível. Quando usei o testing, uns tempos atrás, tenho quase certeza que tava com o 5.10. No Buster tá no 4.19.

2 Curtidas

Não sei se você terá problemas com o Rofi. Porque a versão do Buster é bem antiga. E suas customizações sempre usam bastante o Rofi. Quando ainda usava ele, tentei instalar uns desses módulos e não consegui. Não lembro ao certo, mas acho que era por causa da versão do Rofi.

P.S: ainda tenho o Rofi instalado no debian, embora use o dmenu. Vou ver se consigo instalar esses “módulos” na versão presente no stable.

2 Curtidas

Tive sim, lembro de ficar uns 3 dias estudando os códigos para finalmente entender o que impedia. Hoje já não lembro tudo que tive que fazer, mas tenho em uma VM justamente para pegar quando for necessário:

Inclusive, essa poderia ser a melhor distro para mim que necessito de um kernel antigo, por conta de minha placa de vídeo ,talvez quando o ArchCraft me decepcionar.

2 Curtidas

O script rodou bem, só instalei o xfce4-terminal e o thunar.

3 Curtidas

Boa!! Neste final de semana vou fazer no Mac Mini então. Vai ficar show de bola. Aí eu começo a brincar com o bspmw também. :wink:
Obrigado por se dispor a fazer o teste. :+1: :facepunch:

3 Curtidas

Testei aqui e funcionou de boa. Só achei que o espaço do texto no terminal ficou muito próximo da borda. Eu sempre mudo isso, quando tiro as bordas do xfce4-terminal ou uso ele em algum WM/TWM, editando o arquivo gtk.css. Acho que comentei isso alguma vez aqui no fórum.

Cheguei a conclusão de que, de fato, não sou uma pessoa para o polybar. Com paciência dá pra configurar, mas prefiro a simplicidade, ainda fico com meu i3bar simplão e feio kkkkkkkkkk

Aproveitei que instalei o Xubuntu em vm aqui e to testando o bspwm substituindo o xfwm. Você já vez isso uma vez, né? Achei que fica melhor que com o i3. Porém, ainda prefiro o xfce puro. Mas, das opções que já testei (openbox, i3 e bspwm) gostei mais do bspwm.

2 Curtidas

Ainda tenho esse pensamento para i3, pena que não há uma equivalente para bspwm, concordo contigo.

Confesso que não conheço, anotado aqui para testar.

Para mim, quando uso xfce, fico com a impressão que está faltando alguma coisa, sempre foi assim. Quando usei o MadLinux com xfce e bspwm, achei a combinação ótima, só não sabia que acharia somente bspwm ainda melhor rs

Nunca reparei rs já me adaptei então. Mas vou testar a sua dica.

1 Curtida

(olha o textão que eu sou prolixo :upside_down_face:) O xfwm é o gerenciador de janelas do xfce, só isso. To até escrevendo nesse momento uma dicazinha aqui pro fórum sobre ele. Como trabalhar melhor com as áreas de trabalho do xfce, só mudando os atalhos padrão (que como disse, no xfce, são gerenciados pelos xfwm). Do jeito que to usando fica bem prático.

Quando se clica bom o tão direito na área de trabalho ou quando se redimensiona janelas, no xfce isso é gerenciado pelo xfwm. É por isso que a gente pode mudar para o OpenBox, bspwm e i3, por exemplo. Porque o xfce é modular, nem o gerenciador de janelas é “amarrado” ao ambiente. Isso, ao que parece, vai mudar um pouco daqui pra frente, mas o xfce ainda é, quase, totalmente modular. Se quiser um exemplo, o ArcoLinux, que andei testando hoje de tarde, usa o i3 com várias ferramentas do xfce. Por exemplo, o Appfinder (localizador de aplicativos), o xfce4-settings (o gerenciador de configurações) etc. estão presentes na versão do Arco com i3 (gaps, eles usam o gaps). Se pegar outros ambientes, fazer isso, as vezes, é impossível. Mas, não que isso seja ruim. É apenas a característica da DE. Um dos motivos de eu gostar do xfce é exatamente isso. E é por isso que eu, e muita, muita gente, não gosta daquele novo esquema de “títulos” de janelas (CSD) que ficou parecido com o do gnome na versão nova do xfce.

P.S: voltando ao xfwm, dá para usar ele no LXDE, por exemplo. Substituindo o OpenBox. Porque ele é apenas um gerenciador de janelas, nada mais. Só que ele é bem simples e foi feito para funcionar no xfce.

P.S¹: eu até gosto do polybar. Só acho que é meio coisa demais. Tem gente que deixa ele igual uma árvore de natal. Até desconcentra a gente, de tanta coisa que tem. Eu acho que uma barra de status ou painel, tem que te ajudar e não atrapalhar. Logo, tem que ser mais simples e objetivo. Cor demais e elementos demais me incomodam. O i3 me tornou minimalista kkkk

P.S²: cheguei a testar o tint2 com i3. O único problema dele é que tem que adicionar as coisas manualmente e externas, tipo controle de volume, por exemplo. Nesse caso, tem que adicionar o pasystray, volumeicon-alsa ou qualquer um desse tipo e por ai vai. Ele até funciona bem. Na época, só não descobri como exibia as áreas de trabalho, mesmo elas não estando em uso.

1 Curtida

@thespation pensando bem, o que você falou em “sentir falta no xfce” acho que é um melhor gerenciamento das janelas. Se for isso, também acho que é uma falha do xfce. Digo, usando ele como vem por padrão. Muitas janelas abrem em modo “floating” e em alguns momentos é meio ruim de gerenciar mais de uma janela aberta ao mesmo tempo. Principalmente, se você não configurar bem os atalhos. Se usa muito o mouse e, algumas vezes, fica meio chato mesmo. Porque é mais trabalhoso.

Escrevi a dica das áreas de trabalho e devo postar amanhã e acho que vou ver se consigo escrever uma sobre os atalhos do xfce/xfwm. Eles melhoram um pouco a experiência do xfce. De fato, o “gerenciamento” de janelas, fica um pouco a desejar em alguns momentos. Ainda mais depois que a gente acostuma com os TWM, ai já era mesmo :rofl:

1 Curtida

Verdade, como basicamente não uso xfce, não havia reparado nisso.

De fato é uma coisa que me incomoda, estou acostumado a usar a tecla super para menu, sendo que no xubuntu, por exemplo, caso queira atalho é preciso pressionar Ctrl+Esc, e no caso do Mint que funciona com a tecla super, não aceita que você use os atalho para direcionar as janelas, super + seta, pois abre o menu. É o tipo de coisa que me afastou, por isso fiquei super curioso com as suas dicas.

Isso também tem o seu peso, parece que as outras maneiras perdem um pouco o sentido depois de se adaptar aos TWMs da vida.

1 Curtida

Sobre os atalhos, é fácil mudar os atalhos padrão. É por isso que você está tendo problemas. Existem dois submenus para alterar entre atalhos no xfce. Aqui, por exemplo, eu uso super + direta ou esquerda para mudar de área de trabalho (ou super + o nº da área de trabalho), super +shitf + nº da área de trabalho para mover a janela para uma área de trabalho específica. O Rofi, que as vezes uso no Debian, eu abro ele no modo -show run só com a tecla super. O problema é que, se usar só a tecla super para abrir o Rofi, você inviabiliza ela para outras coisas. Porque, sempre que apertar ela, abrirá o menu e você perde a possibilidade de combinar a tecla super com outra para outro atalho. Ai eu uso a combinação do i3 mesmo, super + d.

Na prática, o problema nem é o xfce em si. Porque em qualquer DE ou WM que usar, se configurar uma única tecla para uma função específica, essa tecla ficará inutilizável para outras coisas. Até no i3wm ou no bspwm, que eu saiba, isso vai acontecer.

Vou acrescentar ao textinho que ia postar agora, sobre áreas de trabalho no xfce, umas informações sobre atalhos de teclado. Inclusive, eu comento isso no primeiro paragrafo que escrevi. O xfce funciona bem com atalhos, porém, os atalhos padrão funcionam, mas não são práticos. Por exemplo, redimensionar a janela com alt + f8 é muito trabalhoso. Ou alt + f10 para maximizar a janela.

1 Curtida

Ao menos no bspwm, existe a possibilidade de configurar, via ksuperkey, para ficar somente na tecla super e configurar para caso fique pressionada não acione o rofi (essa é mais uma coisa que me atraiu ao bspwm, não consegui configurara assim no i3).

Com isso, caso pressione super: abre o rofi, caso pressione super + outra tecla o rofi não abre a aciona o atalho desejado.