Opinião de um usuário de GNOME sobre o KDE Plasma

Começei no mundo Linux com o Debian GNOME, por isso criei uma certa afinidade com ele (mas mesmo assim prefiro o Unity no Ubuntu >=P)… Enfim, desses tempos pra cá acabei querendo testar algo um pouco fora do mundo GTK, e cá estou eu com o KDE neon há mais ou menos 1 mês e meio na máquina principal.

Sinceramente, não entendo essa treta que os usuários de GNOME tem, que chegam a dizer que o Plasma é impossível de usar, e vice versa. Entendo que os dois são bem diferentes, mas é só questão de aprender a usar e se acostumar, nada impossível.

Usei o GNOME por quase 1 ano no Fedora 29, e concordo que é bem mais difícil customizar o GNOME, mas o DE puro é bem limpo (sem muitas configurações de personalização nativas), e você tem que instalar extensões para personalizar e o adaptar ao seu uso. Já no Plasma, você nunca vai conseguir mexer em tudo. Tem tanta configuração que mesmo se o usar por 1 ano, vai ter pelo menos uma coisa que você não mexeu (YaST que o diga :sweat_smile:).

Mas acho isso legal, você instala o SO e não precisa ficar baixando arquivos de configuração extras, tudo o que quiser personalizar está ali, mesmo que não saiba.

Em desempenho, admito que o Plasma é melhor que o GNOME. Mesmo com uma configuração descente, o GNOME tem vários lags ou travamentos (fala sério, precisa de 12GB de RAM pra rodar o GNOME sem travar, o bicho já inicia consumindo quase 4). Mesmo com todos os meus programas (não são muitos, mas há um número considerável) e personalizações que técnicamente diminuiriam o desempenho (como ativar o blur em todo o sistema), ainda experimento muito menos (pra não dizer nenhum) travamentos que no GNOME.

Porém, demorei para me acostumar, às vezes me pego batendo o mouse no canto da tela e espero abrir o dash (como o Dio falou, depois que você se acostuma com o jeito de usar o GNOME, é difícil voltar…).

Resumindo, pra mim as únicas coisas que mudam é a forma de configurar e o desempenho. Consigo trabalhar nos dois, sem perca de produtividade considerável. Admito que me apaixonei um pouco pelo Plasma :sweat_smile:

E você? Qual prefere? Ou gosta dos dois? Deixe sua opinião aí abaixo :slight_smile:

7 Curtidas

Como usuário recente do Gnome (3/4 meses), e ainda mais recente do KDE (3/4 semanas). Concordo com muitos aspectos do que disse @Steinbaach, o KDE assusta um pouco no inicio, e eu ainda não passei completamente dessa fase, mas o Gnome pra quem vem do Windows também não é a coisa mais intuitiva. No uso comum, ambas DE’s fazem muito bem o trabalho.

Em relação a personalização, vejo muitos pontos positivos para o KDE, o fato de ter muuuuuita opção desde o inicio é algo muito bom, e incentiva a mexer em cada coisinha, isso acaba me levando as vezes a mexer em coisas que não percebo o efeito imediatamente e depois não sei mais como reverter. Acredito sinceramente que o numero de mini-menus e submenus poderia ser otimizados para simplificar o uso, na minha conclusão sobre esse tópico eu acredito que o KDE tem no seu ponto forte também um ponto fraco. Em contrapartida o Gnome não tem opção, pelo menos nativamente, apenas pelo fato de precisar baixar um programa separadamente para fazer alterações básicas como as de tema já é um ponto de resistência, o “protecionismo” do projeto em relação ao que eles fazem, por mais que tenha alguma justificativa acaba sendo um tanto improdutiva, é aquele caso de que “colocou sua obra no mundo, tem que estar apto a ouvir interpretações dissonantes da sua”. O básico do uso de uma grande parte de usuários passa por personalizar coisas que deveriam já estar no sistema, a despeito desse fato, é problemático que em muitas das respostas que vemos passam basicamente por “nos que desenvolvemos o sistema, pensamos assim” com um complemento oculto de “e assim que é o certo”. Fora isso, gosto demais de muitas coisas do sistema, principalmente o compositor de janelas, uma das coisas que mais me seguram de mudar para o plasma por exemplo. E acho que em alguma medida as limitações facilitam quem chega a saber o “até onde dá pra mexer”, e muita pessoas fazem modificações muito interessantes com o “pouco” que tem de abertura.

Sinceramente, acaba entrando naquilo que muitos dizem. A DE perfeita, não existe. Pelo menos, não out of the box, depois de uma boa mexida em ambas, dá pra ficar com algo bem próximo do ideal. Sem falar em outras DE’s que não estão entrando na conta. Se eu pudesse fazer minha DE montada de legos, colocaria o compositor de janelas GTK por padrão em todas aplicações, com a diversidade e abertura para modificações do plasma e numa organização mais proxima de um XFCE.

Para além disso, já deixo o disclaimer: provavelmente devo ter me referido a coisas que ou não são conectadas necessariamente à DE, ou quem sabe me referido a coisas que outros não vêem como problema, ou ainda, coisas que outros simplesmente não concordam, em todos os casos digo, essa tem sido a minha experiencia, então, por mais que discorde, a questão não é o certo e errado, é simplesmente uma opinião…

2 Curtidas

Para mim, o protecionismo da equipe do GNOME acaba por deixar a DE mais segura para leigos, não podendo esses mexer no que não deveriam e estragar o sistema, pra ir reclamar pra equipe depois. Em contrapartida, a possibilidade de personalização bem afinada do Plasma também o deixa atrativo para novos usuários, principalmente para os que querem fazer um sistema ‘a gosto’
Mas nesse caso seria melhor o Arch Linux com Plasma, daí não viria nenhum pacote desnecessário.

1 Curtida

Eu tenho alguns problemas em duas telas (notebook + TV) com o KDE, ele confunde os elementos da tela como menus, janelas, painéis, etc., e por isso eu ñ o uso. Tentei usar KDE Neon, mas com esse problema corri de volta pro Linux MInt.

Mas dá pra separar ameaças graves a segurança do sistema de customizações mais básicas, e além disso, colocar uma mensagem de confirmação(por exemplo), avisando que o procedimento pode ser perigoso. E ninguém melhor para criar essas camadas de segurança que o projeto gnome.

1 Curtida

Imagina esses dois projetos se juntando…
‘GNOME Plasma 6’

1 Curtida

Sou usuário fiel do KDE Plasma. É um sistema que vem completo e sou feliz que ele traga tantas opções de customização. Quero é ter controle sobre o meu sistema operacional, especialmente ferramentas de controle com interface gráfica! Ruim é o ambiente gráfico limitar meu poder de customização!

Realmente a ferramenta de Configurações do Sistema confunde um pouco no início, mas logo você se acostuma. Mas também o pessoal gosta de futucar tudo, eu mesmo configurei tudo o que queria minutos após a instalação do sistema.


Só tenho uma queixa em relação ao KDE Plasma. Aquela put4ari4 com o gerenciador de senhas do WiFi que se você não configurar direito, toda vez que você reinicia o sistema você vai ter que reinserir a senha. Dá para corrigir com alguns poucos cliques, mas quem é leigo vai ficar se batendo.

Uma opção muito legal para o Plasma seria um “opções avançadas”, ter configurações básicas e se quiser ativar outros sub-menus, pra não assustar.

Isso seria bom no GNOME também, sem limitações nem exagero.

1 Curtida

Acho que é necessário ler um pouco a história do GNOME e saber os motivos pelos quais ele é desenvolvido, seria o básico.
Destaque para "O projeto dá ênfase especial a usabilidade, acessibilidade e internacionalização. "
Já falei sobre isto aqui anteriormente, se você quer customização sua escolha é o Plasma ou outro Desktop e pronto, simples assim, é possível customizar o GNOME? Sim é possível, mas não é uma prioridade do projeto, isto foi deixado bem claro fazem uns 17 anos “O lançamento do GNOME 2.0 marcou uma guinada nos rumos do projeto, que passou a enfatizar a usabilidade em vez da configurabilidade.”, o GNOME 3 é o resultado desta decisão, então acho que estão escolhendo o ambiente sem ao menos saber qual o seu objetivo.

6 Curtidas

O bacana do KDE é que, em termos de customização, é bem parecido com o XFCE, você pode mexer em praticamente tudo no ambiente gráfico, ele te dá muitas possibilidades pra você transformar o sistema no que quiser. Já o Gnome se limita bastante quanto a isso, é bem linear e depende muito de extensões pra ficar usável. Na minha opinião o KDE ta a anos luz de qualquer outro ambiente gráfico por ai, tem tudo que alguém pode desejar numa DE e mais um pouco.

Não tenho propridade para falar, pois nunca usei o KDE(instalei o opensuse kde na minha maquina e desintalei em seguida pois odiei), só vim para ver se vai ter treta estilo pes x fifa, marvel vs dc mesmo… Há Braços.

#teangnome

Eu entendo seu ponto e por conseguinte o do Gnome(inclusive cito isso no meu comentário), contudo, é uma situação complicada quando os desenvolvedores se viram pro que eles acham que deve ser o sistema a despeito do que os usuários fazem de uso. Nesse sentido, olha o quão diversas são as customizações feitas em ambientes Gnome, olha o tópico de customização aqui do fórum, ou o número de vídeos mostrando como fazer alterações, ou então o número de distribuições que fazem customizações, nem tudo é perfeito, e como sabemos as vezes isso quebra a experiência de um aplicativo, mas esses são indícios de um interesse dos usuários que é ignorada. Isso é sim uma questão, que não vejo ser tratada pela Gnome.

2 Curtidas

Eu prefiro o plasma sem dúvida kkkk uso o KDE Neon pra receber as últimas atualizações eu curto demais essa interface. Já o gnome não curti não kkk mas talvez possa ser porque eu usei ele no ubuntu 18.04 que ta uma bosta e eu curto interface mais fluida (não é um problema do meu PC já que ele é até bom, falo pra abri programas que a interface da uns delay de 1 sec / 0.5 sec que é chato), quem sabe quando sai a 20.04 eu não me animo em testa o esse gnome que tantos estão falando bem da 19.04 / 19.10

2 Curtidas

uso o GNOME modificado no ubuntu, com direito a instalar gnome-session e tudo… e sinceramente o gnome puro me atrai mais que o kde, mas só pela velocidade pra fazer as coisas e a UI mais limpa :man_shrugging:

2 Curtidas

Pessoal não cansa de comparar. Gnome entrega aquilo que eles se propuseram a fazer. Não tem melhor ou pior. Se colocar 100 pessoas para usar os dois, metade vai escolher Gnome por lembrar um pouco o Android. Outra metade, vai escolher KDE por lembrar o Windows.

3 Curtidas

KDE sem dúvidas, ele nativamente é mais próximo do que eu uso para ter uma boa produtividade, barra estilo Windows e muita personalização (tudo nativo), mesmo assim eu ainda posso personaliza-lo e colocar uma dock, estilo MacOS ou Ubuntu. Essas possibilidades me deixam extremamente feliz com o mesmo, apesar de (infelizmente) não haver mais uma versão da minha Distro favorita (Mint) com ele.
Eu particularmente sinto o GNOME muito “pesado” o tempo todo, por mais que meu notebook não seja um gamer da vida, ele tem uma configuração OK pro GNOME (I5 com UHD 620), então eu de fato prefiro o KDE pela “leveza” que sinto, mesmo ele tendo 1001 personalizações possíveis de maneira nativa

1 Curtida

Até pouco tempo atrás o meu DE favorito era o KDE Plasma, mas o Gnome vem tomando o espaço.
Me acostumei com a usabilidade do Gnome, daí quando uso outra DE já não é como antes, parece que falta algo :joy:

Se o Gnome tivesse os efeitos do KDE Plasma, seria perfeito para mim :sweat_smile:

1 Curtida

Pois é cara… Depois que você se acostuma com o GNOME não tem volta. Eu fico batendo o mouse no canto da tela do meu KDE neon direto :sweat_smile:

1 Curtida

Há uma semana atrás eu estava usando o gnome do Pop Os da forma com ele vem(puro).
Eu gosto da forma como o gnome funciona da forma padrão,mas sempre tenho uma queda pelo Kde ai de pois dessa personalização fiquei querendo usar ele e prendendo usar por mais um tempo.Mas no final acabava não fazendo tanta diferença consigo ser pratico com as duas interfaces sem problema algum.
Gosto da forma diferente de pensar do gnome e também gosto da ideia do Kde de ser um sistema todo configurável acaba que tudo não passa de gosto de cada pessoa.

1 Curtida