Novidades e pós instalação do openSUSE Leap 15.3

openSUSE Leap 15.3 foi lançado em 02 de Junho de 2021.

Agora o site permite baixar tanto imagens ISO Offilne (+4 GB) como também de Instalação de Rede (146 MB), tanto para o Leap quanto para o Tumbleweed.

openSUSE Leap 15.3 Offline Image (4.4 GiB)
openSUSE Leap 15.3 Network Image (146.0 MiB)

Enquanto o openSUSE Tumbleweed é Rolling Release Bleeding Edge (pacotes sempre em suas últimas versões), o openSUSE Leap é uma versão estável (similar ao Debian Stable).

Versões de alguns pacotes

O Leap 15.3 vem com o Plasma 5.18.6, GNOME 3.34.5 e Xfce 4.16.
Apesar do Plasma ser 5.18.6, isto não chega ser um grande problema, visto que o KDE Plasma se tornou poderoso à partir do 5.18, com diversas melhorias no consumo de hardware e melhor desempenho em jogos, inclusive na eliminação do tearing (rasgos de tela) no ambiente.
Caso haja tearing nos jogos em tela cheia, basta desmarcar a caixa “Permitir que os aplicativos bloqueiem a composição”:

image

Por padrão, o Leap 15.3 vem com o Firefox ESR 78 (versão de suporte estendido), isto é ótimo, inclusive recomendo o uso dessa versão, porém, se por algum motivo você deseja atualizá-lo para a versão mais recente, o procedimento será apresentado mais adiante.

Fique por dentro de todas as novidades do openSUSE Leap 15.3, leia a página de anúncio do lançamento 15.3, está traduzido para o Português Brasileiro.

Veja agora algumas algumas dicas de pós instalação do sistema.

Atualizar o openSUSE Leap 15.3

sudo zypper ref && sudo zypper up

Instalar codecs de áudio e vídeo:

Abaixo, dois métodos para instalar codecs, escolha o que achar melhor, o resultado será o mesmo.

Opção 01 - Instalador de Pacotes OBS:

opi (Open Build Service Package Installer) funciona tanto no Leap quanto no Tumbleweed e é a maneira mais fácil de instalar codecs.

sudo zypper install opi && opi codecs

Opção 02 - Zypper:

O comando abaixo detecta a versão do Leap e adiciona o repositório correspondente à versão com prioridade 90 (alta), atualiza a lista de repositórios, realiza a troca de fornecedor e instala os codecs necessários.

sudo zypper addrepo -cfp 90 'https://ftp.gwdg.de/pub/linux/misc/packman/suse/openSUSE_Leap_$releasever/' packman
sudo zypper ref
sudo zypper dup --from packman --allow-vendor-change
sudo zypper install --from packman ffmpeg gstreamer-plugins-{good,bad,ugly,libav} libavcodec-full vlc-codecs

Instalar o driver proprietário NVIDIA:

Procedimento compatível com Leap, Tumbleweed e SLES: Instalando o driver NVIDIA no openSUSE via YaST

Adicionar repositório Mozilla e atualizar o Firefox para a versão mais recente:

sudo zypper addrepo -cfp 90 http://download.opensuse.org/repositories/mozilla/openSUSE_Leap_15.3/ mozilla
sudo zypper dup --from mozilla --allow-vendor-change

Instalar o Google Chrome:

Procedimento compatível com Leap, Tumbleweed e SLES: Instalando o Google Chrome no openSUSE

Instalar fontes TrueType da Microsoft:

sudo zypper install fetchmsttfonts

Pacotes relacionados à jogos (Opcional):

A linha de comando abaixo é particular de cada pessoa.

sudo zypper install wine-staging lutris steam discord obs-studio
Informações dos pacotes de jogos citados acima (clique para expandir)

wine-staging → Este sabor do Wine contém o patchset de desenvolvimento “staging” além do lançamento regular do Wine, possuindo alguns recursos extras experimentais que podem ajudar em alguns casos, está sempre um passo a frente da versão estável.

Lutris → Plataforma de jogos de código aberto para Linux. Ele instala e inicia jogos para que você possa jogar sem o incômodo de configurar seus jogos. Obtenha seus jogos do GOG, Steam, Battle.net, Origin, Uplay e muitas outras fontes rodando em qualquer máquina com Linux.

Steam → Loja Oficial de Games da Valve (Nativa para Linux)

Discord → Aplicativo de voz sobre IP proprietário e gratuito, projetado inicialmente para comunidades de jogos.

OBS-Studio → Programa de streaming e gravação gratuito e de código aberto mantido pelo OBS Project.

Adicionar repositório de Emuladores e instalar PCSX2 (Opcional):

sudo zypper addrepo http://download.opensuse.org/repositories/Emulators/openSUSE_Leap_15.3/Emulators.repo
sudo zypper ref
sudo zypper install pcsx2

Anúncio de lançamento (PT-BR): Anuncio de lançamento 15.3 - openSUSE Wiki

Referências

Packman: SDB:Installing codecs from Packman repositories - openSUSE Wiki
Mozilla: Additional package repositories - openSUSE Wiki
NVIDIA: SDB:NVIDIA drivers - openSUSE Wiki
PCSX2: Installing on Linux · PCSX2/pcsx2 Wiki · GitHub

11 curtidas

O bom filho a casa torna, vulgo retornou ao openSUSE? :sweat_smile:

2 curtidas

Retornei ao openSUSE, mas dessa vez ao Leap, pois tentei retornar ao Tumbleweed, mas no momento a NVIDIA estava quebrada hahaha.

Eu tirei o Solus porque eu estava cometendo um erro inconscientemente, eu pensei que era problema no Solus, mas só fui perceber que o erro era meu quando eu estava no openSUSE Leap :unamused:

Embora eu tenha usado Solus por uns 2 dias, deu pra perceber o quanto ele é fantástico, há chances de eu retornar à ele assim que o Plasma 5.22 chegar ao repositório estável, enquanto isso eu fico descansando na sombra da estabilidade do Leap rsrs

2 curtidas

Atualizar o Firefox é super importante, pois a Netflix só aceita a edição 89 ─ achei que teria consideração pela edição ESR, mas a Netflix não quis saber…

No mais, muito grato por compartilhar a experiência. Estou testando o Regata OS, mas sempre me dá vontade de experimentar o OpenSUSE em si, também.

O Solus eu testei com MATE e achei ótimo. Mas notei, na live, uns artefatos na execução de vídeos. Isso aconteceu nos dois notebooks em que testei o Solus, em reproduções no YouTube e no Amazon Prime Video (na época, não acessava Netflix, então não sei se ocorreria com os vídeos de lá). Só que estou muito interessado em voltar ao Solus, desta vez com o Budgie (que instalei no Arcolinux e estou achando sensacional!). É quase certo que essa questão dos artefatos deve ter sido corrigida.

2 curtidas

Recomendo baixar direto a ISO 4GB ao invés da netinstall, a netinstall levou muito tempo para ser instalada e falhou algumas vezes ao baixar pacotes.

Testei a versão com Gnome em VM e como de praxe essa versão do Gnome não ajuda muito, é bem perceptível o peso do sistema com relação a outras distros com Gnome 3.36/38, e até mesmo com a versão Tumbleweed.

3 curtidas

Já testou o dnf no openSUSE?
https://pt.opensuse.org/Anuncio_de_lançamento_15.3

2 curtidas

Não testei, mas chegando em casa verificarei se o DNF se encontra instalado mesmo.

Obrigado por compartilhar este link da Wiki, estarei incorporando ela na publicação para agregar :+1:

1 curtida

Não sei se entendi direito nas acho que a versão completa vai estar disponível em uma atualização de manutenção e por hora está disponível um container experimental. Acho que pra testar vai ter que instalar.
Se tiver que instalar mesmo, melhor testar em VM.
Pode ser que eu tenha entendido errado, então melhor pesquisar também.

Aí fica uma outra dúvida, se for implementado mesmo, será que vão trocar o zypper pelo dnf ou vai ser tipo um aptitude da vida para o apt no Debian?

1 curtida

Também não entendi direito :sweat_smile:, mas o DNF não está instalado aqui no Leap 15.3, porém está disponível para ser instalado:

Provavelmente o Zypper irá continuar no openSUSE por muito tempo, acredito que ele faça parte do core do openSUSE/YaST.
Como openSUSE é Red Hat usam pacotes de mesma extensão (.rpm), o DNF funcionará normal para quem quiser utilizá-lo.

2 curtidas

Quando estiver na versão completa, vou testar os 2 e o que achar melhor e mais rápido e dependendo dos efeitos que tem no sistema ,vou escolher usar por padrão.
Se bem que escolhendo dnf, já meio que padroniza o gerenciamento de pacotes em sistemas que usa .rpm.
Tá certo que ter muitas opções de programas pra escolher é bom, mas no caso de gerenciador de pacotes CLI meio que complica. Neste caso acho melhor padronizar mesmo, como o apt da Distro Debian e seus filhos, netos, bisnetos, etc. Ou o pacman do Arch e seus trocentos derivados também.

Vou testar esta nova versão do openSUSE, achei massa a notícia e as atualizações

2 curtidas

Acredito que o DNF esta para openSUSE assim como o aptitude está para Debian e derivados (lembrando que yum ainda é presente no Fedora/Red Hat), talvez seja uma jogada da SUSE em abocanhar usuários do CentOS.
Mas nunca que trocaria lebre (Zypper) pelo lesma (DNF).

1 curtida

:point_up_2: Usuário de Tumbleweed

“Ué mas já temos o Plasma 5.22. xD”

Mas fora isso, algo bem show essa atualização para o Leap 15.3, principalmente porque uma mudança significativa foi feita quando aos pacotes. Agora o Leap 15.3 é bináriamente compatível com o SUSE Linux Enterprise SP3, o que dá uma transição virtualmente idêntica a como o antigo RHEL 8 e CentOS 8 faziam antes do CentOS Stream substituir o modelo de releases anterior.

Sobre os erros de RPM output com a instalação de codecs utilizando o OPI, eu recomendo ficar de olho neles porque dependendo do erro, pode significar que o pacote em sí não foi instalado. Tanto é que quando eu fui ler sobre isso, achei curioso porque eu uso o Tumbleweed e eu não tive esses erros. Talvez seja diferente com o Leap 15.3, já que nunca usei esse modelo de release do openSUSE fora do WSL.

3 curtidas

As raízes do openSUSE são SUSE, cara! Não comete uma gafe dessas ao vivo não! Não tem nada de DNF no openSUSE, só o Zypper e RPM, mano!

Tipo, o antigo S.u.S.E. já era base Slackware e o openSUSE é uma distro da comunidade feita em cima do SUSE Linux Enterprise, o SLE. Existe essa distinção entre os dois. A adição do DNF no openSUSE é outra coisa completamente diferente.

3 curtidas

Jurix até 96, depois Sls e Slackware…
Acredito que ele quis dizer que o SUSE usou .RPM como base pros pacotes e não o Sistema em si…

1 curtida

Sim, isso dá um confuso da cabeça danada.
Mas eu também preciso postar uma errata. Embora o distro chart mostre que o S.u.S.E. tenha tido base no Slackware, ele também mostra uma mudança de base entre 1995 e 1996 para o antigo RedHat até 1998, que é quando o projeto openSUSE se tornou independente. Então acredito que o projeto passou por várias bases até se tornar essa base sólida que é hoje. Acho que a adição do DNF como gerenciador de pacotes alternativo deixou isso um pouco confuso e agora entendi onde deixou subentendido.

Mas de qualquer forma, sendo Zypper, DNF ou YaST Software como gerenciadores de pacote, faz pouca diferença porque todos usam o PackageKit e RPM no plano de fundo, da mesma forma como APT, Aptitude e Synaptic usam o dpkg a certo nível. Eu, pessoalmente, ainda prefiro o Zypper por causa do modo shell dele e de como ele permite instalar pacotes RPM sem precisar chamar o rpm diretamente. Acho que a única exceção a isso é o Pacman no Archlinux/Manjaro, já que o libalpm é o backend do Pamac, não usando o Pacman diretamente, até onde pude perceber. Os logs fazem a distinção entre os dois.

3 curtidas

Gera muita confusão mesmo, ainda mais pelo tanto de distros que existem ou que já existiram.
openSuse eu acho um nome muito zuado kkkkkkk… Tava lendo no Reddit uns tempos atrás sobre a "falta de popularidade " da distro, e a galera lá apontavam os fatos que achavam sobre isso e a maioria sempre falava que era por casa da falta de marketing do mesmo.

3 curtidas

E eu acho isso bem irônico, dados os objetivos do projeto. xD

E mais uma errata que vou ter que postar porque aparentemente o artigo que eu li sobre o assunto precisa ser atualizado. O DNF também tem um modo shell, pelo que pude perceber, então é mais uma coisa que o Zypper tem e pode ser usado no DNF. Agora algo que por enquanto ainda não encontrei no DNF para openSUSE, é a parte de gerenciamento de repositórios. Como tanto o Zypper e o YaST gerenciam repositórios, não encontrar isso no DNF no momento, é algo chato. Talvez precisem modificar o DNF para permitir que esse gerenciador de pacotes possa fazer isso no openSUSE. É um dos pontos o qual eu acho que o openSUSE ganha sobre as outras distros que usam as tecnologias RedHat, seja o RHEL, CentOS, Fedora ou derivados, que é justamente como repositórios do openSUSE Build Service podem ser adicionados e removidos com um simples comando.

ERRATA 3: Faltou instalar o plugin que adicionava tal funcionalidade. Hoje eu tô terrível, hein. Três erratas em um dia só, como que pode…

Mais um addendum a essa errata. Na verdade, a funcionalidade de gerenciar repositórios está lá. Só não faz nada por enquanto. O DNF ainda busca pelos repositórios nos “/etc/dnf/repos.d”, “/etc/yum.repos.d”, “/etc/yum/repos.d” e “/etc/distro.repos.d”, quando na verdade estão no “/etc/zypp/repos.d/”. Significa que algo no lado do DNF (ou do libzypp) precisa ser feito para permitir que o DNF gerencie os repositórios no openSUSE.

3 curtidas

Sim, só citei mesmo pq tbm achei irônico…Porém continuo achando o nome openSuse ruim kkkkkkk

1 curtida

Se não me engano, até teve um tempo que eles queriam trocar o nome da distro, já que o openSUSE não é exatamente uma distro da SUSE mas sim da comunidade, sendo apenas patrocinado pela SUSE. Isso permitiria eles se tornarem uma fundação, da mesma forma como Manjaro.

Edit: Vou dar uma estudada no DNF para openSUSE para evitar mais gafes minhas LOL. Sem mencionar que é algo bem interessante mesmo. Percebi que um dos plugins é o do copr. Isso daria uma força tremenda ao openSUSE, permitindo instalar pacotes do Fedora na distro, mesmo que tendo que manter em mente a diferença entre dependências. Alguns pacotes tem nomes diferentes, dando a ilusão que as dependências não foram satisfeitas quando, na verdade, elas foram.

3 curtidas

https://en.opensuse.org/openSUSE:Project_name_change_vote
Realmente teve…Mais acho difícil a comunidade querer mudar…

4 curtidas