Vou trocar o Linux pelo Windows 10?

Confira o post completo no blog: https://diolinux.com.br/linux/linux-vs-windows-comparativo-2021.html

Será mesmo que atualmente as distros Linux para desktop são melhores opções que o Windows 10? Você é capaz de, sem preconceito, descobrir qual sistema te atende melhor?

12 Curtidas

Perfeita a analise, antes de falar um comparativo, coletamos a maior quantidade de dados possível! Estes tipos de comparações são de acordo com gostos pessoais. Eu penso praticamente o mesmo que a sua matéria, apesar que eu não fiz esta comparação mas só de coletar os dados da matéria gerando minha opinião penso do mesmo jeito. Eu penso que o Windows é Gamer OS enquanto OS Linux based são para o dia a dia. Eu não tenho a intenção de fazer este tipo de testes pois estou com outros focos, mas esta matéria já adiantou se eu fosse ter que coletar estes dados por mim mesmo. Excelente matéria!

7 Curtidas

O Windows melhorou muito, isso é inegável, mas hoje em dia, eu não teria a menor condição de migrar do openSUSE para o Windows. A questão do workflow é a mais delicada: eu tenho dificuldades para sair do FVWM para o KDE Plasma… sair do FVWM para o Windows seria ainda mais difícil. Eu continuo trabalhando com o Windows e tenho um notebook corporativo aqui. Detesto.

7 Curtidas

Tirando bugs, o Windows o mesmo desde o 95 (alias desde o 3, mas vou dar uma colher de chá pra taskbar) e praticamente todos os ambientes Linux são a mesmas desde sua origem (mover a barra de lugar ou mudar a disposição dos elementos não torna algo fundamentalmente diferente), sem contar que ambos tem a exata mesma metáfora, se o Linux te atende bem… fique nele

4 Curtidas

Boa noite! Ótima análise sobre Windows 10 e Linux!!! Para mim tanto faz usar Windows 10 ou uma das distribuições linux(apesar que oficialmente, estou usando o BigLinux em meu SSD externo), enquanto internamente e principalmente, o Windows 10. Logicamente, uso com mais frequência o Windows 10, pois ele me atende em todos os aspectos de produtividade e jogos. Enquanto o Linux atende apenas para produtividade, já que tem carências de jogos(o que roda no Windows não roda no Linux). Ou pior dizer, poucas versões de jogos são compatíveis com Linux. Enfim, como trabalho na área de TI e sou produtor de conteúdo no canal no YouTube, uso os dois sistemas sem problemas para produtividade. Abraços

3 Curtidas

Os dois sistemas conseguem me atender bem, até porquê uso os mesmos softwares nos dois (LibreOffice, GIMP, Inkscape) então eu nem sinto tanta diferença de um sistema pro outro.

Nos casos dos jogos a mesma coisa, a maioria dos jogos que eu tenho são por emulação, com exceção de Brasfoot, PES e alguns jogos de luta exclusivos pra PC como KOF XIII.

Mas ainda assim prefiro usar Linux, pois eu aprendi tanta coisa que quando uso Windows eu sinto uma falta de praticidade pra algumas coisas (terminal por exemplo)

2 Curtidas

Irei reforçar este tópico com mais opiniões a respeito linkando o seguinte tópico:

Thanks to @Aghbi

:pray:t2:

5 Curtidas

Eu recentemente saí do Linux para Windows 10, e o único motivo foi os jogos mesmo. Tanto é que até os programas que eu hoje tenho instalado no Windows são os mesmo do Linux.

4 Curtidas

Alguns pontos que me fazem preferir “o Linux” ao Windows são:

• Estabilidade
• Segurança
• Sistema de gerenciamento de software e de atualizações superior
• Sistema de arquivos que não se fragmenta como o do Windows
• Melhor performance, especialmente em hardwares mais limitados e/ou antigos
• Personalização
• Código aberto
• Gratuito (a maioria das distros para usuários domésticos).

Sei que não dá pra generalizar, nem fazer uma comparação direta pois existem várias distribuições e interfaces gráficas, mas a maioria dos pontos que eu citei são comuns à maioria das distros (pelo menos as que eu usei).

O Windows também tem seus pontos fortes, e as distros seus defeitos, mas eu particularmente me sinto “em casa” no Linux, e não me vejo trocando o Linux pelo Windows tão cedo.

11 Curtidas

Só uma correçãozinha Heitor. Hj em dia jogos de Windows rodam no Linux atraves do Proton ou da combinação Wine+DXVK e assim possibilitando que muitos jogos possam ser rodados no Linux. O unico entrave que eu vejo hj em dia são os Anticheats, que barram essas ferramentas que eu comentei e assim deixando alguns jogos, como Fortnite, R6 e afins fora dessa lista. Esse tema já foi bastante abordando em live pelo Dio. Só fica esse * mesmo :v: :grimacing:

5 Curtidas

De certa forma… Apesar de permitir ser executado através do Proton, seria muito bom que rodasse de formal normal. Mas há outro ponto a observar: falta de investimentos das empresas em desenvolver jogos para Linux. Estão mais focados em desenvolver para Windows 10.

Abraços e bom fim de semana

1 Curtida

Então, embora eu tenha esquecido de mencionar no artigo, eu também sinto bem pouca diferença quando estou, por exemplo, escrevendo artigos e talz no Windows. Os programas que eu uso (GDocs, Inkscape, Gimp, etc…) são todos os mesmos em ambos os sistemas.

Isso é mesmo uma droga de um círculo vicioso.

As devs não focam em Linux porque não tem um grande público comparado ao Windows, e, não tem um grande público porque as devs não focam na plataforma. É tipo o ovo e a galinha. hahaha

5 Curtidas

Passei anos usando apenas Windows 10 e flertando com GNU/Linux (Fazendo VMs, instalando em maquinas secundarias e etc). Meu maior impedimento era a dependência de softwares pagos que eu usava de forma pirata e games. Mas como eu sempre fiquei entre os dois mundos, eu vi com o Proton a oportunidade de migrar para o GNU/Linux. Sobre os programas que eu usava de forma pirata? Eu vi que na verdade eu só usava eles, mas não os dominava (Semelhante ao cara que fala que só sabe mexer no Excel ou no Word, mas na verdade ele nem sabe um atalho de teclado para fazer nada). Eu vi que valia mais apena a longo prazo, aprender a mexer em softwares livres e “mais difíceis” do que ficar dependendo de pirataria, pois, software livre na sua grande maioria, você pode usar em vários sistemas operacionais, sem ter que ficar preso a um só, e eles tem a curva de aprendizado mais dura, quer fazer algo? Vá para fóruns e descubra! Se ninguém nunca tentou, seja o primeiro. Quer incluir funcionalidades? Faça uma issue no Git do DEV ou melhor, faça um fork e implemente você mesmo. Hoje, uso apenas GNU/Linux, mais seguro, mais estável, mais bonito e integrado com todas as funcionalidades que minha profissão exige.

5 Curtidas

Não estou aqui pra te contrariar, como vc mesmo disse é “sua experiência”. Mas de modo geral, vc cai nos clichês. Linux continua sendonum sistema para “experts”, enquanto o windows com seu next next ok continua sendo para leigos. Como usuário dos dois sistemas, trabalho com bancos de dados, instalar um mysql ou oracle no windows é infinitamente mais fácil que no linux, ora são bibliotecas específicas, ora são pastas x selinux, permissões, etc que um usuário normal não está disposto a procurar solução. Eu que posso me considerar pelo menos usuário avançado já passei muita raiva pra solucionar problemas. Um exemplo é o mysql, tenta mudar as pastas default do banco de dados pra um outro mount/disco pra ver a raiva que é. Gnome shell por favor, vc sequer consegue colocar ícones na área de trabalho sem ter que recorrer ao google pra ver como faz (cito o próprio ubuntu, oracle linux, redhat onde simplesmente nã posso colocar os aplicativos que mais faço uso ao alcance de dois clicks). Agora concordo que o linux dá uma sobrevida muito boa em hardware limitado ou antigo, e a compatbilidade de ferramentas melhorou muito. Personalização no linux, dependendo da distro, também não é tão simples, pois algumas distros acabam tendo alguns problemas (oracle linux e redhat não consigo deixar o xfce como padrão sem alguns problemas no login). Um usuário comum não vai perder tempo com isso. Enfim, foco, usuário leigo/comum quer que a coisa funcione e na maioria das vezes ambos, linux e windows, estão bem servidos. Mas quando entra em atividades um pouco mais específicas, o windows se sai melhor, enquanto no linux o cara vai ter que recorrer a códigos e terminal que são ainda “bichos papões” pra esse tipo de usuário.

5 Curtidas

Depende muito. Como trabalho na área, o que mais vejo são usuários usando sem maiores dificuldades estações de trabalho com distribuição Linux. Até mesmo senhores de 60 anos que vendem peças de automóveis para ganhar a vida. O GNOME Shell, acaba sendo um facilitador devido a pouca margem para “bagunça” que o mesmo oferece para o usuário.

Concordo, mas a modularidade ofertada por um sistema Linux acaba compensando por isso. Ademais, as maiores dificuldades existem para quem é desenvolvedor e usa Windows, grande parte devido a falta de procedimentos de compilação e dependências nativas, não é a toa que a Microsoft criou o WSL para desenvolvedores.

Ai já entramos em outra discussão, o workflow único que o GNOME Shell oferece. @Dio fez um vídeo sobre.

Red Hat é patrona do GNOME e o desenvolvimento do sistema e do ambiente gráfico andam de mãos dadas, então é fundamental que aprenda a usar o GNOME. Oracle por ser baseado no RHEL, mesma coisa. Ubuntu você pode optar pelo KDE Plasma.

4 Curtidas

Isso evoluiu muito nos últimos anos. Quando migrei para o GNU/Linux em meu notebook de trabalho, havia “aceitado” que teria que manter o Windows 10 no desktop gamer por conta dos jogos. Uma semana depois eu já tinha instalado Ubuntu no meu desktop. E fiquei surpreso!

A minha biblioteca Steam quase inteira roda no Ubuntu (agora, Pop!OS). O resto eu rodo pelo Lutris. Os jogos que não funcionam são os que dependem de alguns anti-cheats específicos. Existem poucos jogos nativos para GNU/Linux (embora isso também tenha melhorado), mas a maioria dos jogos de Windows funciona - e bem - no GNU/Linux.

O Windows ainda está claramente à frente no quesito jogos. Mas, com o WINE, o DXVK e o Proton, atualmente é viável - com alguma desvantagem - manter uma distro GNU/Linux para jogar. No passado isso era quase impossível.

2 Curtidas

Falou das atualizações do Windows, mas o Fedora atualiza da mesma forma :thinking:

Spoiler

Sim, eu sei que é só usar o terminal para não precisar reiniciar.

2 Curtidas

Que análise excelente. Realmente muito boa a sem um monte de falácias que vemos por aí, parabéns!

Acho que se eu fosse falar sobre as diferenças que percebo entre ambos S.O.s eu teria que escrever um artigo, então vou resumir.

Atualmente estou usando um dual boot entre POP OS e Windows 10.
Pop OS 20.10
Usado para trabalho (desenvolvimento), produtividade e estudo.
Windows 10
Usado para jogos, mídia e design.

De longe, o que mais me incomoda no Windows (e que você citou) é a falta de personalização. É realmente limitado demais. Dá pra deixar o menu em tela cheia com tiles, fica mais semelhante ao Gnome, mas a barra de tarefas ainda deixa a desejar.

Claro que isso varia muito de gosto mas eu acho que o ambiente desktop mais próximo do perfeito seria algo como:

  • Desktop clean e com uma dock que se esconda sozinha (Elementary OS “like”);
  • Uma pequena taskbar na parte de cima com relógio, tray e notificações (do Pop OS já me agrada);
  • Menu do Gnome;
  • Gerenciamento de janelas e workspaces (Gnome está bom nisso);
  • Global menus quando a aplicação está em tela cheia;

Por mais que pareça pouca coisa, a única forma de conseguir um sistema +ou- assim foi usando o KDE e me deu trabalho (A maioria é fácil, mas global menu exceto no KDE não tive sucesso).

No meu caso, que utilizo um sistema bem novo, tanto em estabilidade quanto desempenho, ambos me entregam alta performance e boa fluidez. Porém o Windows normalmente é mais fluído, pelo menos em comparação ao Gnome no Pop.

Eu estava só no Windows por um tempo, graças ao WSL, porém como ainda não lançaram o suporte oficial para GUI, eu voltei ao Dual Boot.

Utilizando sempre os dois sistemas eu vejo que ambos são muito bons e me atendem bem, mas tem seus problemas. Enquanto o Windows peca na personalização, inconsistência no design e um pouco nas atualizações, o Linux peca em dois pontos:
Jogos
Sim, melhorou muito, mas quando não é um jogo oficial para Linux que está na Steam, nem sempre funciona ou tem que fazer 346 gambiarras para funcionar e eu simplesmente não aguento ficar perdendo tempo com essa ideia de: Funciona sim, mas… (digite 500 comandos e instale 300 libs).
Softwares
Eu não uso softwares como Photoshop, o Gimp já me atende, mas o pequeno market share do Linux faz com que grande parte das empresas deixem o Linux de lado e isso infelizmente me incomoda.
Exemplos:
Aplicativo Dolby, aplicativo da Wacom, aplicativo da Western Digital, Figma, One Note, Notion, entre outros.
Para alguns casos existe um ou outro App feito no Electron que até serve como quebra galho, mas diversos simplesmente não tem.
E podem até dizer que para casos como Wacom tem drivers e tem como configurar, ok, tem, mas nada comparado ao software que tem no Windows.

Infelizmente tanto em jogos quanto em software, só vejo um futuro melhor nisso se a adoção ao Linux crescer muito, pelo contrário, não tenho muitas esperanças.

3 Curtidas

Pois é.
Eu sinceramente não tenho problemas com as atualizações do Windows.
Boa parte ele faz sozinho e não me enche. Quando é uma atualização maior, ele demora mais e tem que reiniciar, mas como a frequência é baixa, tudo bem.

O Fedora me incomodava mais porquê praticamente todo dia, ao ligar o PC ele falava que tinha atualização e reiniciava. Até fiquei um tempo pesquisando uma forma de fazer ele me notificar apenas uma vez por semana sobre atualizações.

Uma dica para contornar a questão de atualizações de programas no Windows e instalar o software update da iobit ele adiciona uma “loja de aplicativos” com outros programas nao encontrados na loja do windows e permite atualizá-los mesmo unando a versão nao paga do programa (limitação atualiza 2 programas por vez na versão free)
obs = mesmo programas instalados sem ele são detectados e a quantidade de opções e bem grande