Minha experiência em 7 meses no Linux

(Sou novo aqui neste lindo fórum se eu fiz algo errado, por favor avise imediatamente)

Ganhei este notebook em 2019, ele é bem antigo, um LG R410 com 2GB de RAM, Intel Pentium 4 e afins.
Ele foi usado por um amigo da minha mãe e ele me deu, ele veio com Windows XP (todo travado) como eu nunca tive um PC próprio, eu era meio lerdo em certas coisas, mas resolvi tentar instalar pelo menos o Windows 7.
Com meses de pesquisa (sim, MESES) e conversa com amigos do Discord, consegui instalar o Windows 7 e conseguir usar o PC bem, nessa época, eu não usava tanta coisa eu só usava o PC pra jogar Minecraft e SÓ.
Daí em 2020 começou a pandemia do coronga virus e ai começou as EAD e eu tive a sorte de ter um PC utilizável.
Comecei a usar o PC para muitas coisas além de só jogar e sentia que ele tava sofrendo MUITO para coisas que parecia básicas como usar o navegador e participar de Google Meets ou criar documentos no word (online).
Como não sabia de muita coisa, achava que isso era por causa do Windows 7 (ou será que não?) usando a mesma capacidade que consegui instalar Windows 7, eu instalei o Windows 10 (piorou) eu tentava fazer as mesmas coisas e nem de meet conseguia mais participar, o meu PC parecia uma turbina de tanto ar quente que saia dele…

Ai resolvi jogar todo o meu ódio no meu twitter e um ser iluminado me deu as palavras do Linux e me interessou em usar outro OS no meu PC
Ele me recomendou o Zorin OS Lite, confesso que gostei bastante deste OS e ainda mais para um usuário que não sabia de nada do Linux e do que fazer nele, o Zorin deu outra vida em meu PC e consegui fazer os trabalhos escolares de boa.
A pandemia aqui na minha região deu uma trégua e a escola reduziu o EAD fazendo rodizio entre aula online e presencial.
Comecei a usar o meu PC não só pra escola como pessoal, e fui me familiarizando, fiquei pesquisando coisas sobre o Zorin e tanto o Linux, aprendi coisas interessantes sobre tudo e acabei testando e usando o que aprendia no meu PC.

Vi que não existe apenas o Zorin como o único OS bom e acabei procurando distros mais leves e simples para um usuário que só joga Minecraft e usa o navegador pra fazer tudo.
Encontrei o Lubuntu, uma OS que consome menos que o Zorin e que agradou mais.
Com o aprendizado que eu tinha eu usei no Lubuntu e acabei ficando 7 meses apenas no Lubuntu, eu amei esse sistema só porque ele me oferece o básico e o que eu gostaria de ter.

EAD acabou totalmente e pensei em voltar pro windows e ser “feliz”. mas gostei tanto de usar Linux que resolvi pesquisar mais distros parecidas com o Lubuntu e com o Windows.
Achei o Kubuntu e estou usando ele faz 1 mês e ele encaixou bem na minha vida, ele tem funções ÓTIMAS que tinha no windows 10 só que “linuxzadas” e bem simples

E é isso, eu não me considero um usuário “avançado” mas vou continuar a procurar mais conhecimentos sobre o Linux e outras distros, sigo canais como o Diolinux pra ajudar nessa jornada que amei demais em caminhar todos os dias

25 curtidas

Massa @Williams_Felipe. Eu também entrei no mundo linux e me apaixonei cara. Só tenho usado o Ubuntu mesmo, mas tenho vontade de experimentar outras distros. Mas isso exige tempo e readaptação e não estou tão folgado assim pra isso.

Mas não sinto falta nenhum do (ru)indows. Se eu pudesse dar um conselho, diria pra não ficar procurando algo parecido com windows no linux… Desencana logo do windows e aceita a distro do jeito que é… Vai ser mais produtivo.

2 curtidas

Tem muitas distros que eu vi por ai e queria experimentar todas, mas o medo de acabar quebrando o HDD do PC então eu só uso elas no Live USB (seria top se pudesse instalar linux e rodar eles no pendrive como se estivesse instalado no disco), eu tô apaixonado pelo mundo Linux e descobri que é mais que um pinguim simpático.

Sobre desencanar do Windows, na parte de eu querer usar distro que “pareça o Windows” é que assim, o que me interessa é só a barra de tarefas, daquele tipo de ícones e afins que o Kubuntu tem por exemplo.
Eu gosto daquele estilo (que é idêntico ao Windows) mas fico feliz que estou longe dos 90% de disco em uso e de ligar o PC já com 60% da RAM sendo usada do Windows

1 curtida

@Williams_Felipe então começamos parecido na mesma situação, tinha um note velho de guerra que minha mãe usava na faculdade (tipo uns 12 anos atrás) pouca ram, processador muito limitado. Instalei primeiro o kubuntu pq achei bonito e consumia tudo bem menos que o ubuntu na época, aprendi um pouquinho e após comprar um novo notebook mudei para o POP_OS ai sim me apaixonei mais ainda pelo mundo linux. Gosto muito de como podemos usar hardware limitados para fazer as tarefas do cotidiano que no windows acaba consumindo muito hardware. É aquilo linux abriu meus horizontes e ta permitindo aprender bem mais até trazendo melhores experiencias pro meu aprendizado da faculdade e do trabalho hahaha.
Muito obrigado por compartilhar a experiencia maninho!!!

1 curtida

Muito interessante em ver que em 2022 hardware bem antigos consigam rodar um sistema atual sem tanto engasgo!
Como sou uma pessoa que gosta de falar e opinar sobre TUDO, e como descobri esse fórum vou aprender mais coisas e também falar da minha experiência no mundo Linux ao decorrer do tempo, espero ser muito feliz aqui

3 curtidas

Seja bem-vindo ao mundo Linux! :smiley:

O Windows 10 certamente tem mais processos rodando em 2º plano se comparado ao Windows 7. Meu sonho era poder usar o Windows 7 até hoje, foi a última versão do Windows que me agradou.

Mas uma coisa que tem que levar em consideração é que de nada adianta ter o sistema operacional mais leve do mundo se você abrir muitas abas no seu navegador e/ou usar outros programas pesados.


Um toque, Linux é um sistema bastante modular, é interessante você se familiarizar com suas “partes”, especialmente os ambientes gráficos. Um mesmo sistema operacional pode ter versões com diferentes ambientes gráficos (e você pode instalar outro ambiente gráfico numa instalação já pronta de uma distribuição Linux). No caso do *ubuntu, essa distribuição faz a brincadeira de mudar de nome a depender do ambiente gráfico usado:

  • Ubuntu: a versão principal que usa o ambiente gráfico padrão da distribuição, GNOME

  • Lubuntu: *ubuntu com LXQt (antigamente era o LXDE)

  • Kubuntu: *ubuntu com KDE Plasma

  • Xubuntu: *ubuntu com Xfce

Mas outras distribuições não fazem isso, lançam versões com o mesmo nome, por exemplo, a distribuição Mageia disponibiliza uma versão com KDE Plasma, outra com GNOME e outra com Xfce , mas todas se chamam “Mageia”. Essa é a regra da maioria das distribuições.

Sobre o consumo, alguns ambientes gráficos consomem mais recursos da máquina do que outros. Até onde eu sei, o que mais consome recursos é o GNOME, o que consome menos é o LXQt e os que são meio-termo (caem na categoria de leves, na verdade) são o Xfce e KDE Plasma.

O que você gostou foi do KDE Plasma. Considero esse o ambiente gráfico mais completo do mundo Linux, outros ambientes gráficos carecem de recursos super básicos que chega a ser embaraçoso, mas o KDE Plasma os tem nativamente, os que mais se destacam são:

  • Configuração de pasta individual: como assim? Na maioria dos casos, eu prefiro que as pastas e arquivos sejam exibidos de forma cronológica do mais novo ao mais antigo, mas há pastas que eu prefiro uma configuração diferente, por exemplo, a pasta onde guardo minhas pastas de músicas prefiro que a exibição seja feita em ordem alfabética e em formato de lista. Na verdade, essa característica é do Dolphin, gerenciador de arquivos do KDE Plasma. Se a pessoa quiser, ela pode instalar o gerenciador de arquivos de um ambiente gráfico em outro, por exemplo, você pode instalar o Dolphin no Lubuntu. Outro gerenciador de arquivos que tem isso é o Nemo, do Cinnamon.

  • Configuração para que o touchpad seja desabilitado quando o mouse-USB é conectado. Mas para habilitar isso, você precisará instalar ou o pacote xf86-input-synaptics, ou o pacote xserver-xorg-input-synaptics, depende da distribuição.

Uma reclamação que as pessoas têm é que o KDE Plasma “polui” demais o ambiente mostrando muitas opções, mas eu não tenho essa percepção. Não sou do tipo minimalista :slightly_smiling_face:. Mas é claro que tudo na vida tem limite, a versão do KDE Plasma lançado na distribuição MX Linux é terrivelmente poluida com opções, se bem que o MX Linux é uma distribuição “feia”, por mais tecnicamente competente seja a equipe por trás da distribuição…

2 curtidas

Eu gostei do KDE Plasma justamente por ser cheio de opções, eu gosto de personalizar o PC inteiro, colocar atalhos em tudo, personalizar os sons e tudo.
No Lubuntu eu não tinha esse nível mas eu conseguia fazer com o que eu podia fazer, o Zorin eu conseguia mas não agradava tanto

4 curtidas

Bem bacana o seu relato. Usar Linux é realmente como conhecer um mundo novo. É algo animador e divertido, rs.

Eu migrei no começo de 2020 e, desde então, nunca mais usei Windows (anteriormente, usei XP, 7, 8, 8.1 e 10). Eu uso para estudar, trabalhar, jogar, assistir séries, tudo. Já usei Ubuntu, Pop!_OS, Kubuntu, Debian, Manjaro, ZorinOS e por aí vai…

O que me fez migrar foi ter visto um print screen do Fedora GNOME. É sério. Era lindo, ao contrário do Windows 10, que eu achava horroroso.

P.S.: é surpreendente a quantidade de furries que curtem Linux. :smile_cat:

Nesse caso o KDE é bem bacana para o seu perfil mesmo. Eu usei por um tempo, mas acabei retornando ao GNOME (se encaixa melhor no meu caso).

3 curtidas

Olha só, comecei antes de você - agosto de 2019 (e eu achava que você era veterano!!)

2 curtidas

Inclusive a roda de pessoas que me levou a usar Linux SÃO FURRIES, o que aconteceu pra ser tão comum isso? :joy::joy:

Mas dá, você só precisa de 2 pendrives.

Surpresas da vida. Eu achava que vocês eram daqueles que usavam Linux desde “quando era tudo mato” :joy:

Eu comecei em julho de 2015, no fim uso há mais tempo que vocês

3 curtidas

Tem tutorial disto?

1 curtida

boa é isso ae, sempre estude e adquira mais conhecimento no mundo linux.

Talvez por furries serem pessoas criativas e legais, rs. Na real, talvez porque furries tendem a ser mais mente aberta para muitas coisas. Dos meus amigos furries, mais da metade usam ou já usaram distribuições Linux.

Eu até cheguei a ter contato com distros Linux anteriormente - cheguei a testar o Fedora bem rapidamente no modo live e usava Ubuntu nos computadores de um curso que fiz -, mas não a ponto de realmente me aprofundar.

Comecei a usar “de verdade” só no início de 2020 mesmo. Mas fui aprendendo algumas coisas rápido porque mergulhei “de cabeça”. Não passei pela fase do dual boot, nem mesmo no meu desktop, que é usado principalmente para jogos. :wink:

Eu achava que você era veterano, rs.

2 curtidas

Um resumo da minha história com Linux

Por sinal, este tópico não poderia ser movido pra lá, @KairanD?

2 curtidas