Se vc tivesse 3 partições, quais distros e interfaces instalaria?

Sim, sou um “distro hopper” (a propósito, descobri esse termo hoje kkk)!

Adoro ficar experimentando as diversas caras do Linux e ver como cada desenvolvedor(es) explora(m) esse universo magnífico do open source para OS.

Se você tivesse 3 partições em seu HD, quais distros e interfaces gráficas instalaria???
Agora eu estou assim:

1: Manjaro Gnome (principal)
2: Manjaro KDE
3: Deepin

(certeza que até amanhã essa minha configuração muda kkk)

Dúvida: tenho uma partição /home reservada. Nesse instala e desinstala de distros, vou ficando com resíduos das distros que já mandei pro espaço. Tem algum meio de limpar o /home das configurações e apps que não existem mais (sem formatar)?

2 Curtidas

Xubuntu
Kubuntu
Deepin

Não exatamente seguindo essa ordem. Depende do dia. :upside_down_face:

1 Curtida
  • Windows
  • Fedora Gnome
  • Linux Mint Cinnamon

Como eu jogo muito Valorant eu preciso do Windows instalado.

1 Curtida

Bom, no momento tenho 10 ─ e espaço para mais 2:

  • openSUSE Tumbleweed KDE
  • Arch KDE
  • Debian testing KDE
  • Fedora KDE
  • KDE Neon (ainda 18.04 Bionic)
  • PCLinuxOS KDE
  • Mageia 8 alpha 1 KDE
  • Mint + KDE
  • Void KDE
  • MX Linux KDE (beta 2)

Acho que manteria o Arch, Void e Tumbleweed.

Ou Debian?

1 Curtida

Uau, quanto espaço de HD você tem? kkk

Meu sonho ter esse armazenamento todo pra usar tanta coisa.

1 Curtida

Na verdade eu tenho kkkk:

  • Arch KDE
  • Ubuntu KDE ultra very ligth (só o essencial do essencial)
  • Windows 10
1 Curtida

Não precisa ter muito espaço, se cada distro ocupar ~20 GB dá 200GB um HD de 500 GB dá e sobra

2 Curtidas

Exato.

Em um SSD de “480 gigas” (447 GiB), tenho 1 partição de 50 GiB para o openSUSE (BtrFS com snapshots) e 11 partições de 30 GiB para outras distros:

$ lsblk
NAME    MAJ:MIN RM   SIZE RO TYPE MOUNTPOINT
sda       8:0    0 447.1G  0 disk 
├─sda1    8:1    0     2G  0 part /boot/efi
├─sda2    8:2    0    50G  0 part /media/Linux1
├─sda3    8:3    0    30G  0 part /media/Linux2
├─sda4    8:4    0    30G  0 part /media/Linux3
├─sda5    8:5    0    30G  0 part /media/Linux4
├─sda6    8:6    0    30G  0 part /
├─sda7    8:7    0    30G  0 part /media/Linux6
├─sda8    8:8    0    30G  0 part /media/Linux7
├─sda9    8:9    0    30G  0 part /media/Linux8
├─sda10   8:10   0    30G  0 part /media/Linux9
├─sda11   8:11   0    30G  0 part /media/Linux10
├─sda12   8:12   0    30G  0 part /media/Linux11
├─sda13   8:13   0    30G  0 part /media/Linux12
└─sda14   8:14   0  65.1G  0 part /media/Storage

Ainda usei 65 GiB para uma partição de documentos ─ mas podia ter adicionado 10 GiB para o openSUSE e 5 GiB para cada uma das outras.

Particoes

Com isso, podia ter mantido as pastas /home dentro da partição de cada distro, e ainda aumentava o espaço livre.

É verdade que tenho outros “discos” ─ só porque não jogo fora ─ mas são mais lentos, e alguns são bem velhos:

HDD    1 TB   Sata3   (Seagate 2016)    12 /home + Arquivos
SSD    1 TB   USB 2   (Samsung 2011)    Backup de Arquivos
HDD  320 GB   Sata2   (Maxtor  2008)    Arquivos velhos
HDD  320 GB   Sata2   (Samsung 2008)    ... sem uso por falta de baia no gabinete do PC

Tudo junto, não vale um SSD moderno.

Acho que se fosse abrir mais uma partição aqui, colocaria o OpenSUSE Tumbleweed. Como já tenho o Manjaro Gnome, ia experimentar Pantheon ou DDE, só pra ver qual é!

1 Curtida

Tenho 1 hd exclusivo para fuçar as partições e instalar o q bem entender, mas a realidade é que nunca saio da base Debian.

1 Curtida

Fedora (kde plasma)
Arch linux (gnome)
Linux mint (cinnamon)

1 Curtida
  • Arch Linux com Gnome/DWM.
  • Windows 10.
  • Espaço para experimentar.

To pensando em criar um espaço e instalar o Gentoo, mas não tenho 100% de certeza.

1 Curtida

Pergunta aos usuários do Arch: instalei e desinstalei distros que meu hd já deve ter até um buraco nele hehehe… mas ainda tenho resistência com o Arch achando q vai dar merd@ ao tentar instalá-lo. Talvez entre ele e o Manjaro, o mais interessante seria ficar com o Arch que deixa fazer com ele o q vc quiser, até transformá-lo no Arch “Manjaro” rs. Eu posso instalar o pamac super de boa nele né?

Tinha o Windows como OS principal, mas aos poucos fui ficando cada vez menos dependente dele e preferindo a leveza e liberdade do linux. Ainda uso o Windows pra usar o pacote Adobe para trabalho. Já tentei essa categoria de opensources no linux, mas a versatilidade e qualidade de acabamento nos projetos de arte/design ainda não me convencem.

Valei-me Nossa Senhora das Partições! Tu deve reiniciar o PC umas 30x por dia kkkk
Como é sua experiência com essas distros? Tu tem uma preferida né? Qual é?

Estou com o DDE e finalmente lançaram essa semana o RC1, saindo da fase Beta. Melhorou bastante, deram uma boa polida, mas ainda noto que ainda precisa de vários retoques. Se os devs se atentarem, o Final Release será digno de exportação e começar a concorrer cara a cara com o Windows. O Pantheon é bem mais sólido, nem se compara, mas o DDE tem potencial bem maior por ter uma linguagem visual mais atraente e intuitiva. Elementary: perfeito se vc prefere beleza e solidez / Deepin: perfeito se vc quer acompanhar a evolução de um projeto visualmente lindo e ambicioso.

Posso ter qtas distros forem, mas tbm me sinto assim. Não sei o que houve, mas agarrei no Manjaro Gnome e não consigo largar hehehe.

1 Curtida

DDE é mais de curioso, mas nunca usei nenhuma das duas DE, sou do time Gnome mesmo!

1 Curtida

Em 2007, fiz o curso oficial da finada Mandriva, usando a distro na máquina da empresa, porém, nunca senti vontade de sair da base Debian.

1 Curtida

arch kde
windows 10
alpine bspwm

1 Curtida

Para 12 distros, um SSD de “480 gigas” (447 GiB) já dá para começar.

Eu planejava um HDD de “1 tera”. Aí, meu filho falou da diferença de velocidade que ele sentiu, quando passou a usar SSD, e me convenceu. Mas o preço do SSD de “960 gigas” estava alto, fiquei no “480 gigas”. Não me arrependo. Para uma mudança inesperada de planos, ficou até bom.

Resolvi juntar mais uma grana e botar outro SSD de “480 gigas”, para deixar 6 distros em cada um, com partições /home separadas, um Swap maior, e alguma folga de espaço, mas o Covid19 atrapalhou os planos. Fica para depois. Está tudo funcionando bem. Dá para esperar até 2021 ou 2022.

Mas minha experiência é particular. Não se aplica a todos. Cada um deve considerar aquilo que pretende fazer. Não sei como seria, se eu instalasse mil jogos, ou se eu ficasse instalando 300 aplicativos de todos os tipos “para experimentar”. Ou, se eu instalasse dezenas de Flatpaks, AppImages, Snap2’s. Já encerrei essa fase de querer experimentar mil coisas. Hoje, só quero experimentar o Gentoo, e dominar melhor as distros que já escolhi, com os aplicativos que sei que me atendem. Nem penso em usar outra interface. Só KDE.

As distros que escolhi cobrem os vários “troncos” do Linux (.deb, .rpm, Arch, Void, Slackware), e sempre que possível, algumas “sem-SystemD”. Esse leque me dá uma boa visão geral das coisas ─ e muito campo para aprender.

Na verdade, fico dias e dias sem reiniciar. Deixo tocando música e vou dormir ha ha.

Acabo usando muito a última distro instalada, ou a última que fiz upgrade, ou instalei nova versão. Quando instalei o Arch, fiquei um tempão usando quase que só ele. Depois, o Debian… Depois o Mint, o Void, o MX Linux… Só reinicio para atualizar (todos), 1 ou 2 vezes por semana, depois volto para o último que instalei e fico mais um tempo só nele, até ajustar tudo. Quando não consigo resolver 1 coisa, deixo para pesquisar e resolver depois, com calma. Nada é urgente, porque se precisar, sempre posso usar outra distro que não tem aquela limitação.

Já fiz tudo isso, no meu antigo PC, do início de 2017 até o início de 2020 ─ e sempre tem alguma novidade. ─ Este ano, fiz o upgrade (mais um) do Fedora. Nenhuma surpresa. Ontem, fiz o upgrade (mais um) do KDE Neon. Minha conexão anda ruim, levou horas, acabou quase meia-noite, e depois disso ainda nem carreguei outra vez, para ver que bicho vai dar. Tenho o final de semana para ver isso com calma. Talvez acabe ficando nele por 1 ou 2 semanas.

Até agora, só sei que o Grub do KDE Neon se embolou com o Grub do Mint. Eu já tinha amansado o Grub no antigo PC (Bios-MBR). Agora, tenho de amansar o Grub em UEFI-GPT. Tenho diversão para vários meses.

Distro preferida, não tenho mais. Antigamente, era o Kubuntu, por ser a primeira que consegui dominar (+/-), por isso era nela que eu conseguia fazer tudo que eu precisava. Aí, consegui dominar (+/-) o Mint KDE, depois o KDE Neon, e as 3 ficaram sendo minhas “preferidas”.

Só que eu não confiava muito em depender da Canonical. Era um risco permanente, depois que consegui escapar da M$. Por isso, desde o início de 2017 comecei a investir fora da “base-Debian”, e também no próprio Debian (que demorei a dominar +/-). Ano passado, deletei o Kubuntu ─ quando tentou me forçar a usar o chromium.snap2 ─ sinal de que eu já me sentia à vontade com outras distros, o suficiente para não depender dele para absolutamente nada. De qualquer modo, fiquei avisado de que, cedo ou tarde, o problema chegaria ao Mint e ao KDE Neon.

O Mint 20 foi um ótimo “ensaio” do cavalo-de-batalha que vem por aí. Eu já usava o Chrome no PCLinuxOS, há uns 2 anos, e nunca me criou problemas, de modo que essa foi minha opção no Mint 20, e até agora está tudo bem. Provavelmente vai ser minha opção também no KDE Neon “Fecal Foss”. Durante o upgrade, já vi que veio uma penca de “snapd”, que vou ter de remover. Provavelmente substituiu meu chromium.deb por ele.

Sou capaz de ficar semanas, usando o openSUSE Tumbleweed ou o Fedora, mas é a mesma questão (embora sejam bem mais previsíveis do que a Canonical). Já penei muito, na mão de “empresas”. Me sinto mais tranquilo, porque hoje posso ficar semanas usando o Debian ou o Arch, mas a Fundação Debian tem muitos representantes das grandes corporações no seu Conselho, e a própria comunidade Arch se rendeu fácil ao SystemD. Por isso, fico feliz de me sentir à vontade trabalhando durante semanas seguidas com o Void, o PCLinuxOS ou o MX Linux, e quero voltar ao Slackware, que é a distro que menos consegui “dominar” até agora.

Infelizmente, as opções são comunidades pequenas, com muitas debilidades, a médio prazo. Falta encarar o Gentoo. Espero não ter de chegar ao LFS, mas, quem sabe. O importante é estar pronto para mudar ou, pelo menos, saber como alterar o que não me convenha. Sabendo alterar, depende-se menos de “decisões prontas”. Quero acompanhar as alternativas ao SystemD que o Debian anda prometendo, e nessa hora fico feliz de ter algumas distros para comparar e ver como lidam com isso, como Void, PCLinuxOS, MX Linux, possivelmente Slackware e Devuan (que experimentei até o ano passado, e posso instalar de novo).

Um problema (ou, incômodo) que vejo no MX Linux, Devuan, LMDE, é que se baseiam no Debian “stable” ─ ao passo que me sinto mais à vontade com o Debian testing, devido ao KDE mais atual ─ mas, como disse, são comunidades pequenas, precisam focar seus poucos recursos, em vez de caçar sarna pra se coçar. Dessas 3, no momento o MX Linux é o que me interessa mais.

Bom, é uma resposta longa, complicada, e cheia de coisas pessoais, mas é assim que vejo a questão de “distro preferida”. Não consigo entender a busca por “uma única”, ou por uma “distro ideal”. Menos ainda, ficar “pulando” (hopping). Também nunca usei VM, pois um desastre em uma única distro “real” me deixaria sem distro nenhuma ─ e obrigado a parar tudo, até reinstalar, configurar etc. ─ Tendo várias, nunca fiquei refém de nenhum desastre. Só um defeito de hardware me deixaria no mato sem cachorro, mas felizmente isso nunca ocorreu. Meu antigo PC durou de 2009 até o início de 2020, sem falhas (e só não uso mais, porque 2 máquinas complicariam minha vida). Os HDDs de 2008 e o SSD USB2 de 2011 ainda não apresentaram nem 1 único badblock.

O que realmente prefiro é a simplicidade etc., aliada a um certo respeito a “padrões comuns” ─ afinal, todas as distros aproveitam um “patrimônio comum”, fruto de trabalho de outros (Kernel, LSB, Freedesktop, Xorg, SPI etc.). ─ Não gostei do modo como o Fedora criou um novo problema para o Grub (sem oferecer solução para o Grub), e felizmente foi fácil desabilitar a “novidade”. Acho que vou gostar ainda menos de uma outra “novidade”, pior ainda, no caso da /home. ─ Em suma, não ficar refém de nenhuma empresa.

1 Curtida

Eu já tenho, três HDs de 1TB cada, com os seguintes SOs instalados:
Gentoo + Plasma
elementaryOS
Windows 10 (Valorant :D)

Três e de 1tb pra cada OS??? Gente, quanta ignorância huahuauhahua

(Windows 10 eu tenho instalado, mas não estou considerando nessa enquete)