Redcore ─ será assim tão pouco usada entre nós?

Fazem hoje 5 dias que baixei a ISO do Redcore ─ aparentemente, uma “não-distro”, pois se propõe a ser apenas um modo amigável de instalar o Gentoo.

Por que? ─ Porque minha experiência, iniciada com o Sabayon, foi interrompida por sua “descontinuação”. ─ Há meses, monitoro o Mocaccino, mas não vejo um resultado “prático” a curto prazo.

Mas, mesmo que entrevisse… Não sei se quero embarcar naquela sopa de “conceitos”, numa linguagem escorregadia, que há 10 ou 20 anos vem me desagradando cada vez mais.

Explico: ─ Não faço parte daqueles 99% dos usuários Linux que são desenvolvedores, super-jogadores, têm super-máquinas misturando 3 ou 4 placas de vídeo, 5 monitores com escalas fracionárias, aspirando a uma distro supostamente imutável, em cima da qual se queira rodar Flatpks, Snap2s etc. ─ Sou só aquele 1% que vive fora do Olimpo, com um hardware simples, e curte pecados não tão espetaculares. Sim!, sei que estou em esmagada minoria! Um mero usuário, é coisa rara!

(preciso dizer que contém ironia?)

Acho que quem já leu um mínimo sobre Mocaccino poderá entender o que estou dizendo. ─ Não, não é o que eu buscava no finado Sabayon. ─ “Não é a mamãe!”, diria o mini dinossáurio.

Meu escopo, no mundo Linux ─ afora ter 3 ou 4 distros 100% usáveis para tarefas bobas, como navegar, ver e baixar vídeos / extrair músicas, pesquisar alguns assuntos não-TI, ler livros em ePub (ou PDF), editar imagens (o Gimp me atende bem), planilhas, gerar alguns gráficos etc. ─ é lidar com “o Linux”, sem nenhuma pretensão de atender os reclames induzidos pelo capetalismo, nem tentar reproduzir um universo de “consumidor Windows”.

De cada distro, quero “a distro” ─ não os “objetos de desejo” que o mundo Windows tenta, todos os dias, introduzir em nosso mundo. ─ Por isso, o que tenho visto do Mocaccino não me atrai. Nenhum motivo para ficar hipnotizado (como um rato, por uma cobra), esperando… Esperando o que? Não é aquilo que quero.

Não, não estou pronto (nem interessado) em tentar LFS, nem o Gentoo, por enquanto. ─ Primeiro, quero “usar” e “me familiarizar” com “algum tipo de” Gentoo ─ como vinha fazendo, com o Sabayon.

Mas, já estou falando mais do que o homem da cobra. ─ Relevem, por favor. ─ Só queria me situar como “não-parte” dos 99% que têm hardware super-detalhado, desempenham tarefas super-fantásticas. Em suma, que sou aquele 1% de comuns mortais, com hardware simples, tarefas bobas, nenhuma super-exigência, nenhuma super-necessidade.

Só um usuário comum ─ um “joe-qualquer-coisa” ─ com a pequena diferença de que, sim, entendo alguma coisa do Linux, e pretendo ir devagar, para não queimá-lo no altar do consumismo ansioso.

Bom, pesquisei aqui por “Redcore” ─ e só encontrei 2 conversas +/- relacionadas a ele:

  1. Gentoo é tão bom assim?” ─ Duas menções ao Redcore nas respostas #5 e #81.

  2. As distribuições derivadas do Gentoo também são instaladas através de compilação?” ─ Só o @TiagoCardoso (autor da pergunta) cita o Redcore.

Então, pergunto:

  1. Algum colega teria algo mais a dizer?

  2. Algum colega teria algum interesse em acompanhar uma experiência de instalação e configuração do Redcore ─ sabendo, desde já, que meu foco difere de 99% do universo?.. (uso simples, usuário simples, hardware simples).

Só o que posso adiantar é que: ─ (1) Vou instalar, ou agora, ou mais adiante; e (2) Fui obrigado a usar o wget para baixar a ISO ─ coisa que nunca me ocorreu, em todos esses anos, nessa indústria vital.

PS.: - A velocidade de 19.9 MiB/s no download da ISO me anima! ─ Já desisti de distros cujas ISOs baixei com muito sacrifício (a primeira vez, vá lá!), porque, depois de instaladas, haja bags para encarar “velocidade de conexão discada”, a cada atualização, semana após semana!

2 curtidas

Me identifico com boa parte de seu perfil também. Tenho nítido interesse também por distros e DEs que não sejam as mesmas batidas de sempre, sistemas que de algum modo saiam da caixinha das famílias populares e volta e meia sou atiçado a querer descobrir mais sobre essas “diferentonas excluídas”, mas, noto que pelo menos aqui no Brasil há uma concentração muito grande em certas distribuições e não é só por popularidade, é até interesse mesmo.
Sobre o Redcore em particular, o pouco de conteúdo multimídia que temos é esse:

Fique atento ao canal de YouTube Jaucity também, que sempre mostra essas distros incomuns pelo menos em nosso país e em breve fará uma análise da usabilidade do Redcore pela perspectiva do usuário geral comum (como é sempre a proposta dele) que procura usar o sistema no cotidiano de uma forma amigável, longe do perfil do profissional de TI.

3 curtidas

Então… Com esse belo texto que eu adorei ler do início ao fim te faço uma pergunta: Funtoo não te agrada nenhum pouco? Ele trata os perfis de uma maneira diferente do Gentoo. Não posso esquecer de mencionar o Bentoo que é um “Funtoo brasileiro” e você pode saber mais sobre ele neste link:

3 curtidas

Gostei do que vi nos vídeos. Redcore corresponde ao que eu esperava.

Pelo que eu li nos 2 tópicos citados, o Funtoo também está envolvido no projeto Mocaccino, e não consigo ter certeza de que continuará como é hoje.

Achei interessante ele oferecer ISOs pré-otimizadas para diferentes gerações Intel, até a sexta:

The intel64-skylake subarch specifically supports processors based on Intel’s Skylake microarchitecture. Skylake desktop processors are branded as 6th Generation Intel Core i3, Core i5, and Core i7 Processors.

Pesquisei mais um pouco, agora, e achei o Funtoo um pouco mais complexo. Pode ser interessante para aprender mais. Preciso ler mais antes de decidir.

Pesquisando as distros baseadas no Gentoo, vejo que no momento Redcore está entre as mais procuradas ─ mero índice de interesse dos visitantes em se informar sobre cada distro.

Quanto ao Bentoo, as informações nos 2 tópicos citados, aqui do fórum, são de que ainda está em desenvolvimento.

1 curtida

A tendência é que o Bentoo seja no futuro o mais amigável dessa família, mas, como frisado por você ainda está em desenvolvimento.

1 curtida

@frc_kde, @TiagoCardoso
Desconhecia essa informação de que o Bentoo estava em desenvolvimento. O que mais me chamou a atenção nele é que é um projeto nacional diferenciado. Normalmente o que surge por aqui nos últimos tempos são distribuições baseadas em Debian ou Ubuntu. Poucas são exceções, como, por exemplo, aquela distribuição que é baseada no openSUSE e que eu me esqueci completamente como se chama.

2 curtidas

Sim e por esses motivos é um dos lançamentos mais aguardados.

1 curtida

Desde que o projeto não seja abandonado pela metade…

2 curtidas

O Funtoo vai mesmo ser alterado para Mocaccino?

Caso sim, como ficaria o desenvolvimento do Bentoo?

Já foi. Tem até site oficial e ISO’s geradas para download.

1 curtida

Me deu até calafrio…

Visão Geral da Instalação

Essa é uma básica visão do processo de instalação do Funtoo:

  1. Realize o Download e inicie o live CD da sua escolha.
  2. Prepare seu disco.
  3. Criar e montar sistema de arquivos.
  4. Instale o Funtoo stage tarball da sua escolha.
  5. Chroot no seu novo sistema.
  6. Faça o Download da Portage tree.
  7. Configure seu sistema e sua rede.
  8. Instalar um kernel.
  9. Instalar um bootloader.
  10. Completar passos finais.
  11. Reinicie e divirta-se!
1 curtida

Sim… Apesar disso, é uma distro desenvolvida pelo criador do Gentoo, mas não negarei que pode vir a ser trabalhoso. Se não me engano ele já fornece ISO’s com otimizações pré-configuradas para uma variedade de processadores visando uma eficiência maior e um menor tempo de processamento durante as compilações.

1 curtida

O caminho parece ser pouco amigável.

1 curtida