Prós e Contras Arch/Arch-based

Olá pessoal,tudo certo?
bom este é meu primeiro post aqui e caso eu tenha que adequar algo por favor me corrijam
pois bem,gostei muito do Arch Linux,to estudando bastante(wiki,guia foca,etc).
Pois bem,acredito que Manjaro também ser 1 boa distro(apesar de ser bem poluída)
queria algum conselho(sei que tem 1 questão pessoal) mas acredito que talvez alguém ja pensou da mesma forma que eu

2 Curtidas

Realmente é algo pessoal, muitas vezes uma mesma coisa pode ser vista como vantagem por um, e como desvantagem por outros.

O que eu gosto:

  • Rolling Release
  • AUR
  • Documentação na Wiki
  • Legal para estudar e entender como o sistema funciona, através da configuração de arquivos diretamente

O que eu não gosto muito:

  • Bleeding Edge
  • Instalação manual
  • Falta de aplicação no mercado (é uma distro focado em uso pessoal, ainda que alguns dizem usar para outras finalidades, nenhuma solução, do ponto de vista de conseguir emprego, geralmente usa Arch)
  • Não existe preocupação com o usuário final do ponto de vista de experiência de uso, você monta o seu sistema, se ficar bom, sua culpa, se ficar ruim, sua culpa também. Essa preocupação fica restrita a qualidade dos pacotes.

Poderia continuar, mas acho que já expliquei mais ou menos, eu incentivo que você use e teste o Arch, pode ser uma experiência bem interessante, especialmente se a sua intenção é entender como um sistema operacional funciona, no entanto, existe outras distros pra essa finalidade também, como o Slack e o Gentoo.

4 Curtidas

Dio,primeiramente é 1 honra estar falando contigo,e sim concordo com o que disse,até cheguei de instalar Arch linux em uma VM para testar,e bom,consegui sim faze-lo subir uma Interface e os conceitos que peguei no livro Linux a Biblia(que estou finalizando) acredito que tenham me dado uma base de como funciona

1 Curtida

Imagina brother :slight_smile:

O legal da tecnologia (Linux&OpenSource) do meu ponto de vista, é aplicabilidade sempre, é importante entender em que tal conhecimento será útil ou aplicável.

No meu caso, posso dizer que a utilização do Arch me fez aprender mais sobre particionamento de discos em modo texto por exemplo, montagem de dispositivos e coisas, não que eu não pudesse aprender isso em outras distros, mas como a própria instalação manual requer certas configurações dessa forma, ele acabou me ‘forçando’ a ver mais sobre isso.

Eu aprendi muito sobre SWAP e FSTAB por exemplo ao montar meu servidor Ubuntu, inclusive para rodar esse fórum. No fim, eu acho que independente do sistema que se use, o aprendizado vem de quando você se coloca perante a desafios e se dedica para transpô-los. :slight_smile:

Abraços!

1 Curtida

Eu não acredito nessa ideia de que cada distro tem seus prós e contras, claro que se for por uma questão mais técnica vão surgir alguns elementos que talvez possam ser alguma desvantagem, mas como você mesmo disse, é tudo uma questão pessoal. A ideia principal do Arch é ser simples, aberta e livre. A proposta da distribuição é justamente isso. Julgar como desvantagem o fato dela ser minimal é errado, porque é justamente o que a distro propõe. E isso vale pra qualquer distribuição, ex: a proposta do Debian é estabilidade e segurança. Julgar o Debian como uma distribuição não tão atualizada é errado, porque faz parte da proposta do projeto. Entende?

Eu acredito que grande parte das distribuições que existem por ai cumprem bem o que se propõem. Cada uma é voltada pra cada perfil de usuário, e você deve encontrar a distro que mais combine com o seu.

3 Curtidas

então,estou meio que entre as duas,mas acredito que algo mais minimalista seria mais interessante pra mim(ja nao basta os bloatwares que tenho que deletar no windows)

É que pelo jeito você tem interesse em distros Arch Based, mas se for por bloatwares, pode instalar qualquer distro com pacote minimal, até o Ubuntu na instalação tem a opção minimal, inclusive é o que uso.

1 Curtida

estou optando pelo Arch mesmo,to dando 1 lida no que eu vou precisar aprender antes de tudo(e treinar em VM)

1 Curtida

Prós/Diferenciais

  • Minimalista
    O sistema atenderá suas necessidades, não as necessidades dos desenvolvedores.

  • Rolling release
    Não é necessário re-instalar a cada 6 meses ou 2 anos.

  • Bleeding edge
    A última versão de todos os pacotes, não é necessário utilizar repositórios de terceiros ou Snap/Flatpak.

  • Pacman
    O gerenciador de pacotes do Arch Linux é extremamente rápido e eficiente.

  • Não realiza modificações
    O Arch Linux não faz modificações em pacotes upstream.

  • Documentação
    A wiki tem todas as respostas.

  • Community based
    A distro atende os interesses da comunidade, não os interesses comerciais de uma empresa.

Contras

  • Não faz pipoca.
6 Curtidas

…Ainda não faz pipoca

2 Curtidas

Aff, queria ir para a base arch. Mas, como não faz pipoca eu desisto. Hehe.
Quero muito ter tempo para configurar o arch na raça. Porém, fazendo faculdade não ajuda muito no tempo de configurar o arch por completo.

Não faz pizza também haha

@aleximf1

A menos que a sua necessidade seja diferente do minimalismo, aliás, todo sistema é limitado, a priori, ao que os desenvolvedores podem oferecer, no caso do Arch, o que é legal, é que os desenvolvedores parecem menos presentes no resultado da instalação e dá a sensação de que você realmente ajudou a construir o sistema que usa, pois de fato, ajudou, bem bacana :slight_smile:

O que o sistema vai ser depois de instalado, depende de como você fez ele se tornar

Isso é massa também, mas mesmo distros com point releases, como Fedora, Ubuntu e Mint, que você pode ir atualizando de uma versão pra outra, o que no fim das contas acaba dando no mesmo, se a ideia é evitar reinstalação, ainda assim, acho que a maioria dos usuários Linux não passa dois anos sem formatar de toda forma haha. Mas Rolling tem essa vantagem.

O que dá diferença nesse modelo de point releases para a rolling, é que mesmo que nos dois casos você possa ir atualizando simplesmente, na Rolling, quando ela for bleeding edge, como o Arch, você recebe as versões mais recentes dos sofwares ao longo do tempo, enquanto que nas poits, você recebe as Major Upgrades, geralmente na troca de uma versão para outra.

Aí depende o que o usuário prefere :slight_smile:

A menos que você queira um software que não está no repositório, ou com suporte oficial pelo dev. Apps open source realmente sempre estão nas últimas versões, o que pode ser bom pra quem gosta de novidade, mas é ruim para quem busca estabilidade em linhas gerais, vide Red Hat, Debian e CentOS, que ficam por muito tempo debugando os mesmos pacotes e são usados em larga escala em sistemas de missão crítica.

Ainda bem que no Desktop não é esse caso, e o bleeding edge fica mais inofensivo, muitas vezes não dando problema nunca, especialmente se o user souber o que faz.

O AUR é um repositório de terceiro muito importante no Arch, e com ele de fato, você não precisa depender de Snap e Flatpak tão fortemente, o que é bom pra quem não curte estes formatos por algum motivo. Sem AUR é complicado instalar coisas como o Spotify por exemplo, e mesmo com essa versão, a versão com suporte oficial por parte da empresa é a em Snap e Deb, e você tem o Flatpak construído à partir da versão Deb.

Taí uma coisa que nunca realmente entendi, quem sabe um dia até faço uns benchmarks. No fim das contas, ele faz o mesmo que qualquer outro gerenciador, instala o software.

Francamente não faz tanta diferença se instala em 2 segundos a menos ou a mais, e sobre gerenciamento de dependências, acho que a maior parte dos gestores são eficientes, se isso fosse algo super incômodo, o mercado já teria mudado o comportamento dos sistemas usados em larga escala a bastante tempo, penso.

O que não faz o Pacman menos interessante, sem dúvida.

Isso é um diferencial mesmo, não exclusivo, mas é. Porém, não vejo como algo necessariamente positivo, muitas vezes a adaptação para o consumidor final torna o produto melhor, é como as customizações do GNOME, ou mesmo as custom do Android que algumas fabricantes enviam, usar o puro não traz necessariamente vantagem, a menos que a intenção do usuário seja exatamente essa.

Ela é muito boa mesmo. Mas convenhamos, não tem “de tudo”, tanto que existe o fórum do Arch justamente para o que a Wiki não cobre, entre outros sites.

Alguns projetos encaixam muito bem nessa proposta mesmo, é o Arch é um deles. Mas eu sempre julguei que quando não há risco (de perda de receita, por exemplo), há menos compromisso. Quando o compromisso é passional, às vezes ele acaba.

O lado ruim de ser uma empresa por trás, é que eventualmente decisões serão tomadas focando outra coisa, que não o usuário.

Não vejo nenhum dos casos como melhor ou pior, simplesmente são diferentes, e alguns se identificam mais com uma coisa ou com outra.

Penso que ter ao menos uma fundação com fins comerciais ou mesmo de arrecadação faz bem para qualquer projeto, como aconteceu com o Blender e o Krita, e às vezes as empresas conseguem criar um diálogo também direto com suas comunidades, deixando as coisas meio híbridas. O que pode criar situações bem legais.

Resumindo @aleximf1, eu não vejo um motivo sequer para não testar ao menos o Arch, muita gente, como o @anon48453804 usa a distro há muito tempo e são muito produtivas em suas atividades diárias usando o sistema, é uma das distros mais interessantes disponíveis, sem dúvida.

Só acho que muitas das coisas que o Arch clama para si como diferenciais, e que são realmente diferenciais, muitos deles citados pelo @anon48453804 mesmo, são diferenciais não exclusivos, pois na verdade também existem em outras distros eventualmente, como por exemplo o openSUSE Tumbleweed, o Debian, o próprio Fedora, que ainda contam com o diferencial de serem distros usadas para fins profissionais em servidores também, o que pode ser legal para a sua carreira como profissional.

Costumo pensar que um usuário Linux avançado desdobra qualquer distro e faz ela fazer o que quer que seja.

Mas claro, nada impede que você use Arch numa máquina, e use CentOS no seu server, tenho certeza que você conseguirá aprender muito usando o Arch.

Abraços!

Não creio que seja errado, pois depende do que a pessoa espera. O Debian tem pacotes mais antigos por conta do modelo de desenvolvimento, com foco em estabilidade, mas isso pode ser ruim para o uso de algumas pessoas, o Mint vem cheio de programas e muito out-of-the-box, completamente o aposto da proposta do Arch, quem busca minimalismo, não vai ficar satisfeito com o Mint e assim vai.

meu deus hahaha vocês são uma figura,acredito realmente que Arch va atender as minhas necessidades(não ter 1 monte de software e sim eu escolher o que vai ter),sobre o DE,escolhi estou entre KDE,Gnome e Deepin(tenho 16GB de RAM e um i7,acredito nao ter lentidão)

sobre não fazer pipoca tudo bem,nada é perfeito e da pra criar algo que conecte o OS com algum sensor para o forno ligar e desligar

Nesse caso a pessoa não deveria estar considerando o Arch Linux, já que esse é um dos selling points da distro.

Poder pode, mas na prática nunca funciona muito bem, os upgrades sempre acabam quebrando um monte de coisas no processo, o Ubuntu é uma das piores distros nesse ponto, tanto que algumas distros derivadas não oferecem upgrades, como é o caso do KDE neon e do elementary OS.

O Arch Linux tem um dos maiores repositórios, a única distro que rivaliza em quantidade de pacotes é o Debian. Mas se a pessoa costuma usar aplicativos proprietários o Arch Linux não é uma das melhores opções, eu utilizo apenas software open source no meu PC.

É importante lembrar que o AUR não é oficialmente suportado e você deve utilizá-lo por conta e risco, já houveram casos de malware no AUR.

Não exatamente, o Pacman é consideravelmente mais rápido que o APT e DNF, e a resolução de dependências é melhor. O APT e o DNF costumam deixar dependências órfãs no sistema ao desinstalar um aplicativo, mesmo utilizando os comandos apropriados, o Pacman remove tudo de maneira cirúrgica.

Reduz a quantidade bloatware no sistema.

Bom, tudo o que eu precisei para instalar e configurar o sistema estava na wiki, não precisei recorrer a conteúdos de terceiros. A wiki também contem soluções para problemas comuns.

Isso é bem pessoal mesmo, algumas pessoas se sentem mais seguras quando existe uma empresa por trás, já eu vejo como algo negativo. A comunidade do Arch Linux é bem grande, e boa parte dos usuários possui conhecimentos mais avançados, creio que assim como o Debian sempre haverá pessoas interessadas em manter o sistema vivo.

2 Curtidas

sobre isso que eu queria saber…driver nvidia(tenho 1 avell G1550 MUV) e acredito que utilizaria de drive proprietário para estar trocando entre as placas

Basta instalar o driver da Nvidia (430.40) + Optimus Manager (via AUR)

Optimus Manager: GitHub - Askannz/optimus-manager: A Linux program to handle GPU switching on Optimus laptops.

PS: A versão 435.17 só esta disponivel via AUR por enquanto.

1 Curtida

sim sim,na verdade ja estou instalando ele(ainda estou testando em outro pc com 1 mx150,meu avell deu ruim,digamos que animais e computadores não podem se ver)

Tenho avell aqui também. Aqui depois de instalar o driver e reiniciar, aparecia a tela preta, foi um custo descobrir que tinha que instalar o optimus manager para resolver.