Por que o "MX LInux" é tão popular?

Uso Debian testing há 5 anos, e sempre achei “sólido”, sem problemas etc. (*).

Falar de “estabilidade” gera confusão. – Quando se fala de Linux, significa “não mutável”. – O Debian testing muda o tempo todo, sem parar, como qualquer distro rolling-release.

Estável é o Debian stable, que mantém os mesmos pacotes, nas mesmas versões, com apenas algumas correções de bugs.

(*) O único problema que lembro nesses 5 anos, é que a atualização do último Domingo introduziu 4 pacotinhos do KDE Plasma 5.23.0 – e 1 deles é incompatível com o resto do KDE, que continua 5.21.5.

Aliás, não entendo essa política do Debian, de atualizar parcialmente uma DE.

2 curtidas

O sparky ja vem com a parte de firmwares proprietários junto ou não?

Sim, por estabilidade eu me refiro ao uso “cômodo” do sistema, isto é, raridade de bugs e falhas.

@ruanelivelton18
Em geral sim (maioria dos casos), um ou outro é que pode ser necessário fazer manualmente depois.

2 curtidas

Estou tendo muita dificuldade em baixar a ISO KDE…

EDIT — Falha de HDD !!!

(vou copiar o código da postagem original, para publicar os detalhes em outro tópico – e deixar aqui só o que diz respeito ao MX Linux)

Resolvi baixar mais uma vez – agora, para a partição /home do Slackware – e deu tudo certo.

Soma sha256, ok.

Soma MD5, ok.

Post-scriptum (1)

Sessão Live já razoavelmente configurada.

4 curtidas

Instalado.

2 curtidas

Um resumo da instalação do MX Linux 21 KDE:

Esse negócio está ficando tão simples, que resolvi complicar um pouco:

  1. Instalei numa partição provisória – e testei

  2. Adicionei a antiga partição /home – e testei

  3. “Movi” para a partição definitiva – em substituição à instalação anterior (Beta1) – e testei

  4. Deletei a partição provisória

Diálogo de upload do Chrome

EDIT - Essa “novidade” é do Chrome… Vou abrir um tópico específico sobre isso.

Agora, outra novidade:

Commit Log for Mon Oct 25 02:51:36 2021

Removed the following packages:
digikam
digikam-private-libs
firefox
libasound2-plugins
libavresample4
libcanberra-pulse
libqtav1
libqtavwidgets1
plasma-pa
pulseaudio
pulseaudio-module-bluetooth

Upgraded the following packages:
ffmpeg (7:4.3.2-0+deb11u2) to 7:4.4-1~mx21ahs+1
google-earth-pro-stable (7.3.3.7786-r0) to 7.3.4.8248-r0
libavcodec58 (7:4.3.2-0+deb11u2) to 7:4.4-1~mx21ahs+1
libavdevice58 (7:4.3.2-0+deb11u2) to 7:4.4-1~mx21ahs+1
libavfilter7 (7:4.3.2-0+deb11u2) to 7:4.4-1~mx21ahs+1
libavformat58 (7:4.3.2-0+deb11u2) to 7:4.4-1~mx21ahs+1
libavutil56 (7:4.3.2-0+deb11u2) to 7:4.4-1~mx21ahs+1
libpostproc55 (7:4.3.2-0+deb11u2) to 7:4.4-1~mx21ahs+1
libswresample3 (7:4.3.2-0+deb11u2) to 7:4.4-1~mx21ahs+1
libswscale5 (7:4.3.2-0+deb11u2) to 7:4.4-1~mx21ahs+1
lo-main-helper (21.10.03mx21) to 21.10.05mx21
mx-installer (21.10.11) to 21.10.14
mx-packageinstaller-pkglist (21.10.03mx21) to 21.10.05mx21

Installed the following packages:
apulse (0.1.13-1)
libzimg2 (3.0.3+ds1-1~mx21+1)

Consequências percebidas até agora:

  1. Desapareceu do KDE System Settings a seção “Áudio”

  2. Desapareceu do Painel o widget de controle de Volume

Apesar disso, achei bacana… não sei dizer por quê.

Outras coisas não diretamente ligadas:

  1. As teclas de Mute, +Volume, -Volume etc. só funcionam se o VLC estiver visível e se for a janela ativa

  2. A tecla Pause / Stop interrompe um vídeo no Youtube, mas apertar “>>” avança 1 música no VLC – mesmo estando totalmente minimizado

Ok, as teclas do Teclado não têm nada a ver com essa substituição do PulseAudio pelo APulse, com remoção das partes do KDE relacionadas ao Áudio.

Na verdade, nunca usei as teclas para essas coisas. – Só agora resolvi tentar, para ver se contornava os recursos perdidos do KDE – e vi que não resolvem. São capengas.

Aliás, Teclado é coisa que vive mudando. Poucos duram muito tempo, e nunca mais encontro outro igual.

Outra coisa: – Remover o Firefox como requisito de uma atualização corriqueira, parece meio forte. – Se fosse meu browser preferido, eu ia ficar indignado.

Também não uso Digikam. – Já usei, numa época, mas hoje nem lembro para quê. – Também parece coisa meio forte, para uma atualização corriqueira.

3 curtidas
1 curtida

“Disk-manager era baseado em python2 e o autor original não iria atualizar o aplicativo para python3. Então, adotamos o disk-manager na família de ferramentas mx (com permissão do desenvolvedor original Mertens Florent), e uma nova versão foi portada para python3 em grande parte pelos membros da equipe MX Nite Coder e fehlix. O gerenciador de discos mantém sua capacidade de montar partições internas e atuar como um editor para / etc / fstab. O aplicativo está atualmente disponível no repositório de teste MX e, eventualmente, chegará ao repositório principal assim que as traduções ficarem um pouco mais atualizadas”.

https://mxlinux.org/blog/disk-manager-and-mx-samba-config/

3 curtidas

Fatos como esse fazem o projeto do MX Linux ser mais interessante do que pode parecer.

A única coisa que me desagrada significativamente no MX Linux é precisar instalar do zero cada versão baseada numa nova edição do Debian Estável. Mas isso não chega nem perto de ser transtorno.

1 curtida

Estou usando o MX Linux xfce 21 por uma semana. Retornei pra ele. O Fedora KDE está em dual boot. Portanto, mais um que usa MX Linux e que já tinha se manifestado nesse mesmo tópico antes, falando sobre a adaptação melhor do MX ao meu hardware.

1 curtida

Ia esquecendo – mas pode ser útil.

$ sudo aptitude install pulseaudio

Primeira proposta: NÃO

Segunda proposta: SIM

Agora, restabelecer as configurações de Áudio no System Settings e o widget no Painel:

Instalar plasma-pa:

Et voilá:

Outra coisa interessante: – Incluíram o YT-DLP, que contorna a lentidão imposta pelo Youtube ao Youtube-DL.

Commit Log for Sat Feb  5 08:22:51 2022

Removed the following packages:
youtube-dl


Commit Log for Sat Feb  5 08:23:30 2022

Installed the following packages:
python3-mutagen (1.45.1-2)
python3-pycryptodome (3.9.7+dfsg1-1+b2)
python3-pyxattr (0.7.2-1+b1)
python3-websockets (8.1-1)
rtmpdump (2.4+20151223.gitfa8646d.1-2+b2)
yt-dlp (2021.12.27-1~mx21+1)
4 curtidas

Acabou de sair mais uma análise detalhada e elogiosa do MX Linux:

A única coisa que, a meu ver, depõe contra essa distro é a necessidade de instalá-la do zero a cada nova grande edição, ou seja, a cada uma que se baseie numa nova edição do Debian. (Mas esse é um problema que vemos também no Zorin OS, no Linux Lite e no Bodhi Linux em relação ao Ubuntu que têm como base.)

Há colegas que se queixam do fato de o MX não aderir ao systemd. Só que ele se instala com a opção de contar com systemd, e a opção consta no próprio menu do Grub.

1 curtida

pow… esses caras insistem em “falar línguas”… :scream:

E se alguém falar mal do systemd… é a III Guerra Mundial !

1 curtida

No livecd o bixo ta “potente”


Imagino essa coisa rodando num PC fraco.
Viva o SystemD
Não entendo o pq do sistema tentar subir tanta coisa sem uso

Coragem de quem usa isso…

Tenho o MX Linux 21 Xfce instalado num computador da família. Carrega consumindo RAM na faixa de 500 a 600 Mb, segundo o htop. Não é um boot “magrinho”, mas está dentro do que se espera de um sistema em Xfce.

Ademais, no geral, as distros sem systemd apresentam consumo menor de RAM logo após o boot: Devuan, Slackware, AntiX e Artix são três ótimos exemplos. O @frc_kde tem até um gráfico mostrando isso.

1 curtida

Seria necessário indicar quais aplicativos estavam rodando – e comparar com outras distros, exatamente nas mesmas condições. – Por exemplo: todas no mesmo SSD, todas com a /home no mesmo HDD, todas com a mesma DE, todas sem nenhum aplicativo em execução etc.

Da última vez que registrei os dados das várias distros:

               Processes    Threads    RAM   init

openSUSE Tw      271 (0)    446 (9)   1047   systemd 249
Arch             245 (0)    390 (8)    910   systemd 250
Debian testing*  249 (0)    436 (9)    973   systemd 250
Fedora           268 (0)    483 (9)   1116   systemd 249
KDE Neon         257 (0)    406 (6)    876   systemd 245
PCLinuxOS        273 (0)    427 (8)    919   sysvinit-3.01
Mageia           266 (0)    ??? (6)   1118   systemd 246
Slackware        258 (0)    413 (7)    973   sysvinit-3.01
Void             250 (0)    381 (9)    827   runit
Manjaro          264 (0)    459 (9)    957   systemd 250
MX Linux         253 (0)    390 (9)    951   sysvinit-2.96

Obs.:  Todas as distros com Plasma KDE
Dados: uptime ~11 minutos
RAM:   MemTotal - MemAvailable
Data:  15 Março 2022
(*) Debian iniciando sem transparência

Extraí os dados de capturas do Conky, para todas as distros. – Exemplo do MX Linux:

Esse gráfico é um pouco mais antigo – onde “New Calc” é o cálculo MemTotal - MemAvailable, feito por um script a partir dos dados em /proc/meminfo – numa época em que meu PCLinuxOS ainda estava alterado, com uso de RAM aumentado:

Pela minha experiência pessoal, o MX Linux é, sim, uma ótima distro para PCs mais “fracos”, antigos (inclusive, 32bit, abandonados por muitas distros) etc. – É uma das distros que me atendem melhor, entre as que tenho instaladas aqui. – Naturalmente, seria recomendável usar uma DE mais leve (não que KDE seja tão pesado, hoje em dia) ou, de preferência, um WM; mas o que realmente pesa é abrir um navegador dos tempos atuais, ou qualquer Office.

Não vejo grande diferença entre usar SystemD, ou Runit, ou Sysv-init etc. – O que torna o Arch e o Void mais leves, é que você mesmo constrói, portanto só instala os pacotes que quiser, e só habilita os serviços que quiser – enquanto openSUSE, Fedora, Mageia etc. vêm com uma série de coisas a mais, por padrão.

Obs.: - Todos os dados (acima) variam de um boot para outro. No caso do gráfico, tirei médias de vários boot.

4 curtidas

O porem e conseguir pelo menos subir o terminal(ja que de 74% pula pra 93% facil, e usando 1GB RAM e 2Cores de CPU e meio impossivel qualquer distro com SystemD travar…)
Pra uma distro que se diz ser “leve” ou fluida e bem feio passar uma vergonha principalmente numa VM.

Não entendi seu raciocínio… se seu Oracle VM Virtualbox com 1 GB alocados pula de 74% para 93%… consequentemente qualquer distro com SystemD não travaria em hipótese alguma??

Sim, O Linux Mint com Cinnamon não trava em idle(nas mesmas specs impostas na VM), ja o MX COM XFCE conseguiu travar em idle(incrivel pra uma distro que diz ser leve kkkkkk)
Dentro de uma VM o basico e funcionar… Ja que promete ser leve comparado com qualquer coisa com SystemD… Se não faz o basico fazer oq
Alias ja que o MX não aguentou manter nem 1min sem surtar na memoria quem dira uma distro com um init superiormente estavel…


Qualquer coisa sem SystemD e problema… isso e fato

já utilizei o MX linux e gostei bastante, ótima distro, bem sólida e robusta.
Não tive problemas.

3 curtidas