Por que a pirataria de software é tão comum no Brasil?

Confira o post completo no blog: https://diolinux.com.br/2020/11/por-que-a-pirataria-e-comum-no-brasil.html

A pirataria de software é algo tão comum para algumas pessoas que às vezes passa desapercebida por muitos, mas, você sabe o porquê ela é tão comum no Brasil? Confira nesse post.

3 Curtidas

Primeiro por uma questão social histórica;
Segundo porque no passado indiretamente o próprio governo brasileiro através da engenharia reversa possível por meio da extinta lei de reserva de mercado da informática (algo que aconteceu no passado guardadas as devidas proporções com o Japão e Coréia do Sul e atualmente com a China);
Terceiro por desconhecimento de uma parte da sociedade completamente leiga;
Quarto por um aspecto nefasto cultural do Brasil (que dependendo do caso pode ser entendido como “jeitinho”, “malandragem”, “dar-se bem a qualquer custo”, etc).

5 Curtidas

https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l7232.htm

1 Curtida

ótimo, mas acho que deveria incluir o ponto 2 dentro do 1, já que ambos tratam da questão histórica

1 Curtida

Preços muito altos pra realidade brasileira contribuem

7 Curtidas

Adoro essa “questão histórica”. Ainda mais aplicada a softwares, coisas que só começaram a existir pra população nos anos 90, quando a maioria aqui já era nascido.

O fator principal é a falta de poder aquisitivo da população. Ou vcs acham que em outros países pobres a população vai comprar a licença do Windows?

Outro fator importante é a impunidade, onde a pessoa física dificilmente sofre as consequências desse crime. Mas nesse ponto as próprias empresas detentoras dos direitos fazem questão de não mover ações, pois um usuário pirata está aprendendo a usar o seu software. Eles vão agir apenas quando seus softwares passam a gerar riqueza, na maioria das vezes as pessoas treinadas em casa com o software pirata vão trabalhar nas empresas, essas sim precisam estar em dia pois facilmente podem receber a visita da polícia.

A exceção é a indústria de entretenimento, que tem o principal público usuários domésticos. Esses desenvolvedores se preocupam tanto com a pirataria, que seus jogos tem programas específicos anti-trapaça (anti-cheat), mas que na verdade deveriam ser chamados de anti-pirata.

A indústria audio-visual também é um caso a parte. Ela não conseguiu a mesma estratégia da indústria de jogos e processar as empresas que usam seus produtos não foi tão efetivo. Nesse caso eles optaram pro criar o sistema de assinatura. O público continua comprando “um CD por mês”, tem acesso fácil a uma imensa biblioteca acessada com criptografia digital, mas quando o usuário deixa de pagar, deixa de ter acesso à toda biblioteca e também a todos os dados offline que ele tenha baixado.

Não pensem que o Brasil é um caso a parte…

4 Curtidas

Na minha visão não diretamente falta de condições nem cultura , mas se pensar-mos de maneira mais ampla veremos que todos os produtos que chegam ao Brasil já fora lançados em quase todos os paises , e acabam hegando aqui com uma monstruosa carga tributaria , assim elevando o estupido preço dos produtos internacionais , sem falar no tal do monopólio que ainda predomina , assim o ser humano é ousado e criam alternativas para usufruir de produtos aos quais não pode ou não querem pagar , por exemplo eu conheço um rapaz que acabou de comprar com a ajuda da mãe um carro de 52,000 reais não tem nem casa nem garagem pra guardar , isso é falta de cultura ou ousadia ??? kkkkkkkkk.

1 Curtida

Não quis dizer “falta de cultura” eu estava a me referir a cultura da pirataria

1 Curtida

Ai é falta é de juízo mesmo…

2 Curtidas

Acho que estou com muitos problemas, sempre tenho “comido” palavras em minhas frases e trocado nomes

kkkkkk mas de qualquer jeito o brasileiro quer ter sua nave mesmo sem ter como sustenta-la kkkkkkk

1 Curtida

assim como no mundo da técnologia , quem quer pagar R$ 1.099 em um sistema operacional que a cada dois dias tem updates e vive cheio de bug,s ??? ai é que entra o Auto-KMS kkkkk.

2 Curtidas

Tá igual aqueles caras que deixam faltar o básico em casa para sustentar supérfluos somente para ostentar luxos (fala do caso do carro)…

2 Curtidas

pois é eu iria pensar primeiro numa casa mas cada cabeça é um mundo kkkkkk

2 Curtidas

Claro que a maioria de nós quer ter bens que nos tragam conforto, eu mesmo adoro carros, mas, por exemplo se não tiver condição de não ter nenhum, primeiro vou pensar em ter comida, um teto próprio e algum dinheiro guardado para emergências principalmente de saúde. A menos que ele precise do carro para trabalhar, estudar ou para transportar alguém com dificuldades de locomoção não faz sentido.
Eu mesmo gostaria muito de adquirir um laptop ultraportátil do tipo corporativo para viagens, mas, o momento (cotação do dólar, pandemia e meus recursos) não permite. Mas, isso tudo vai justamente de encontro a alguns aspectos que mencionamos da pirataria no Brasil, se bem que eu sou da opinião que um pouco de esclarecimento da população somado a mudanças de hábitos no caso por exemplo da informática através do uso de softwares livres resolveria uma parte significativa desse problema.

4 Curtidas

E o probleminha que o governo inventou ao longo do tempo pra arrecadar recursos kkkkk ha sim IMPOSTO que e o nome kkkkkkkk

1 Curtida

Cuidado com a lavagem cerebral! Imposto é o custo de viver em sociedade. Mesmo nas comunidades tribais, onde não há dinheiro nem governo, é esperado pela própria tribo que cada um também faça tarefas pro grupo. Embora não seja uma tarefa decidida pelo indivíduo, se ele não colaborar com o grupo não demora e ele é exilado, expulso, preso, morto. Quanto mais a sociedade se torna dependente do capital, menos imposto em forma de trabalho é requerido e mais imposto em forma de dinheiro é cobrado. Esse pensamento utópico de não existir imposto só existiria se o indivíduo fosse auto suficiente (e quanto mais evoluímos tecnologicamente, mais nos distanciamos da auto suficiencia do indvíduo). Claramente a evolução do ser humano, bem como a maioria dos primatas e mamíferos, os fez viver em grupos pois gerou uma vantagem evolutiva.
Você deve estar pensando agora em jogar aquele outro chavão sobre os políticos corruptos, mas aí é chover no molhado. É OBVIO que todo ser pensante é contra a corrupção, a favor da fiscalização e da boa aplicação do dinheiro público no bem-estar social. O correto é criar melhores mecanismos de controle, transparência e fiscalização de TODOS os políticos, ao invés de acreditar que apenas um político (o que eu acredito) é honesto o suficiente para receber o meu voto.

7 Curtidas

Na real nem iria jogar nesse aspecto, ate pq o problema não e simplesmente o negocio do que se paga… Mas o quanto custa, bom se vc tiver uma noção de porcentagem que e cobrado por software(isso inclui games e oq rotaciona em volta disso) vc tem uma ideia do que vale um software/programa que não passaria de 80$ totalmente isento de impostos, Mas o abuso que e imposto por LEI e que o problema, não totalmente os governantes

2 Curtidas

Que é muito alto por sinal kkkkkkkk

3 Curtidas

São vários fatores, mas diria que os principais são três: preço, o desconhecimento de softwares alternativos mais baratos ou gratuitos que fazem o mesmo (quando há) e o hábito. Quem por exemplo pirateia um jogo de video game, pirateia outras jogos, outros softwares e outras coisas, pois já é um habito. E com o custo vida cada dia mais alto e o habito de piratear, a pessoa vai continuar pirateando.

3 Curtidas