Por curiosidade: quanto seu sistema gasta de memória?

Em nome da eterna discussão de que “sistema fulano gasta muito RAM” ou que “interface x gasta menos”, vamos compartilhar nossas experiências atuais?

Bem, já que não existe uma padronização de monitores de recursos pois cada distro usa um diferente, vamos utilizar o htop, creio que todos devem conhecer, caso contrário, basta instalar o pacote disponível na sua distro.

Basicamente, assim que você iniciar a sessão chegando a área de trabalho, procure abrir o htop da mesma forma que você abre qualquer outro programa, e em seguida tire uma captura de tela (pode ser por atalho, tanto faz).

Para terminar, pergunta: você se importa com o consumo de RAM do seu sistema?

  • Sim
  • Não

0 votantes

6 curtidas

Já havia um tópico como esse tempos atrás.

A minha distro, o TigerOS, na série 21, inicia consumindo 500 e tantos MB de memória. Porém, quando desativo funções como: bluetooth, localizar impressora, detecção de atualizações e o painel de boas-vindas, consigo economizar + de 100mb.

6 curtidas

:wave:t2:

Eu prefiro um conjunto RAM, CPU, IO, Sistema Operacional que sejam mais focados, eficientes e com performance.

Meu antigo laptop tinha um CPU Dual core e 8Gb de RAM funcionava 90% de vídeos em 720p.
Meu computador, o Samsung Galaxy Tab S5e tem CPU Octa core e 4Gb de RAM e roda vídeo em Quad HD (acima do Full HD, ou 1080p)

Mas meu computador não funciona Tomb Raiders, Euro e American Trucks Simulators, Ace Online, Trackmania Stadium. Então eu precisaria de um conjunto específico para isso, Windows como Sistema Operacional. E se eu preferisse jogar Fatal Frame do Wii, Super Mario do Switch, Grand Turismo 7 e The Last of Us do Playstation? Eu iria precisar de outros tipos de conjuntos de, RAM, CPU, IO, Sistemas Operacionais, diferentes, os consoles.

Na minha opinião, RAM é como se fossem automóveis (Motos, Carros, Caminhonetes, Carretas, etc…).
Vai de acordo com a necessidade e perfil de cada usuário.

Por exemplo:

1 - Um automóvel com espaço para 16 pessoas. Manutenção e combustível deste automóvel será mais cara.
Transportamos 3 pessoas por dia, seria necessario eu ter este tipo de automóvel?

2 - Mas vamos supor um veículo com espaço para 4 pessoas.
Transportamos 10 pessoas por dia. Neste caso teriamos de fazer 3 viagens. Manutenção e combustível seriam 3x mais. Não seria melhor trocarmos o veículo para o de 16 lugares?

3 - Desta vez temos uma Carreta para carregar toneladas de mercadorias e transportamos 10 pessoas.
Podemos transportar 10 pessoas dentro desta carreta? Poder podemos, mas não tem segurança e é contras as leis.

As respostas que eu penso para todos os casos:

1 - Podemos ter o tal automóvel mas tenhamos em mente que os gastos poderão serem maiores. 64Gb de RAM
2 - Talvez poderia ser uma economia boba ter um veículo mais barato para fazer 3 viagens. O transporte terá 3x mais de tempo para concluir, 3x mais manutenções e gasto com combustível. 2Gb de RAM
3 - Por que teriamos de usar uma Carreta para transportar pessoas? Muitos Tbs de RAM ECC DDR5 etc…

Concluindo, claro que podemos ter mais do que iremos usar. Eu já fui assim muito entusiasta antes, aprendi bastante mas, também gastei bastante $$$ com tecnologias. Hoje eu sou mais controlado e cauteloso.

Mas eu penso o seguinte: o mundo precisa de tudo, se não fossem entusiastas, quem iriam testar novas tecnologias? Talvez a tecnologia poderia estar passos atrás nos dias de hoje.

:vulcan_salute:t2:

5 curtidas

Em meu notebook, o Mint Xfce 20.3 fica nos 550 Mb de consumo de RAM logo após carregar e antes de eu acionar os programas.

Consumo de RAM, de processador e de recursos gráficos deve importar para quem tem máquinas com processador mais modesto, RAM de 4 Gb ou menos e vídeo integrado. É o caso do meu notebook.

Mas um computador que lide bem com Windows 10 ou 11, mesmo modesto, tem condições de lidar bem com uma distro com GNOME, como o Pop!_OS, o Ubuntu e o Fedora Workstation. Só não lida bem naqueles casos eventuais de hardware com que os sistemas Linux ainda têm problemas de compatibilidade (mas, aí, já vimos computador penando para rodar Lubuntu e mesmo Bodhi Linux, Peppermint das antigas e Q4OS…).

3 curtidas

Vejo 2 problemas nessa proposta:

  1. Isto significa abrir um Terminal – o que altera o uso de Memória RAM. – Quem usa um Terminal “mais leve” será menos impactado; e quem usa um Terminal “mais pesado” será muito mais impactado.

  2. O htop andou alterando seu cálculo de uso de Memória RAM. – Em algumas distros, a versão do htop usa um cálculo; e em outras distros, outra versão do htop usa outro cálculo.

Atualmente, a única ferramenta que usa o mesmo cálculo em todas as versões – e portanto, em todas as distros – é o free.

Exemplos:

Acima: - Em Outubro do ano passado, o htop 3.1.0 tinha alterado seu cálculo para “Memória Total - Memória Disponível”.

Acima - Agora, o htop 3.1.2 “regrediu” para um cálculo diferente.

Ou seja, não dá para comparar o htop de distros diferentes.

Obs.: – Faço o registro sempre 10 ou 11 minutos após o início da sessão, pois nesse período são finalizados vários processos que só eram necessários durante o boot.

Na segunda imagem (acima), esta semana, o openSUSE iniciou em 31 segundos, usando 1,06 GiB RAM, com 302 processos (3 ativos) e 491 threads (11 ativas).

Após 11 minutos “em repouso”, caiu para 1,02 GiB RAM, com 271 processos (nenhum ativo) e 446 threads (9 ativas).

5 curtidas

Aqui após um boot.
Concordo com os pontos levantados pelo @frc_kde e usei o free mesmo.
Logo que acabou o boot abrir o terminal e dei o comando e fiz alguns hits do mesmo comando com intervalo de uns 30s entre cada um deles.

Segue imagem abaixo.

Sobre a pergunta se importo ou não com uso de RAM, sim, importo porém não na fissura do quanto o sistema fica arrancando em si e sim ao longo do caminho como ele consegue manter o gerenciamento com a relação de utilização dos aplicativos. Uso muitos apps abertos simultaneo, então me interessa que o sistema seja bem otimizado na alocação de RAM de seus processos que estão gerenciando aos apps e etc rodando.

Daí é claro que DEs mais sofisticadas visualmente vão consumir mais com o volume de janelas e itens em necessidade de renderização simultânea e com efeitos visuais.

Porém pensando máquinas mais atuais acima de 8GB de RAM Gnome/KDE vão bem tranquilo ainda mais pensando que otimizaram muito o quanto requerem do uso de VRAM tbm para consumir/renderizar o visual.

Máquinas mais antigas com 4GB de RAM ai realmente é preciso pensar em DEs mais simples, tanto no consumo com o visual alocado no WM quanto a seleção de apps nativos do DE, leitor de pdf leve, player de multimídia mais simples, etc.

3 curtidas

Fiz um tópico sobre ps_mem

Se quer saber o valor real, este é um pacote que realiza este processo contando tudo.

6 curtidas

4 curtidas

O Manjaro consumia um pouco menos no geral que o KDE Neon de agora, e o consumo está um pouco mais elevado creio eu por está utilizando o Wayland.

3 curtidas

Eu uso o pop_os! e ele fica por volta de 1.2G a 1.4G logo após a inicialização

1 curtida

Eita, pois é, varia muito de distro pra distro. O seu está gastando essa quantidade, mas já vi de alguns aqui ficar abaixo de 600 mb, mas também é necessário tirar alguns recursos como a própria Loja, enfim, o importante é que esteja fluído.

1 curtida

Então, eu uso o Arch e a captura que tirei acima é no X11 (Xorg), porém, usando Wayland é o mesmo consumo, 500mb, não sei se esse é o motivo.

2 curtidas

Isso é fato, mas tem gente que mesmo 8GB de RAM ou mais ainda se incomoda se o computador está usando 1-2GB de largada. Seria neurose ou avareza? Não sei dizer.

1 curtida

Eu sabia que não era o método mais adequado, mas ao mesmo tempo não achei que haveria muita discrepância do resultado geral.

Bem leve mesmo, mas ainda não acho que seja mais leve o legado LXDE, lembro de tê-lo instalado num notebook de 2GB de ram e gastava ~150 mb.

Esse é um ponto interessante, conheço gente que mantém o computador ligado 24/7 (e não é servidor, é pessoal mesmo). Ter um sistema que saiba gerenciar memória e processos por dias e que não congele é um desafio.

1 curtida

openSUSE:

Arch:

Debian:

Fedora:

KDE Neon:

PCLinuxOS:

Mageia:

Slackware:

Void:

Manjaro:

MX Linux:

  1. Todos com KDE

  2. +/- 11 minutos após o boot, sem abrir nenhum aplicativo

  3. Sem abrir Terminal. – O Conky quase não consome Memória RAM.

  4. Os únicos números confiáveis – mesmo cálculo em todas as distros – são “Total - Available” e “free” (do lado direito).

  5. Esses números (do lado direito) são atualizados a cada 10 segundos, portanto não são influenciados pela captura de tela (gnome-screenshot).

  6. Esses números incluem 2 widgets: – Weather e Moon phase – que devem “consumir” uns 40 ~ 60 MiB.

Um modo de executar o comando free (ou qualquer outro), sem abrir o Terminal, é alternar para um console virtual, por exemplo, tty2 (CTRL+Alt+F2). – Isso não provoca nenhum aumento no uso de Memória RAM (ao contrário do Terminal)… mas fica sem captura de tela. Aí, só apelando pra foto de celular.

Eu me importava mais, quando tinha só 4 GB de Memória RAM. – Porém, sempre usando KDE. – O que realmente “consome” Memória são os navegadores (uso Chromium, Chrome), o LibreOffice, o Gimp… em suma, os aplicativos ditos “pesados”, além do acúmulo de outros mais “leves”, como Dolphin, Kate, Konsole, Gwenview etc.

Uma vez, fiz esse teste no antigo PC, com 4 GB RAM…

 Uptime        Mem      Swap      Free   EasyFree    |    Mem (no_buffers = false)

1st day   2,66 GiB    70 MiB   289 MiB   1,19 GiB    |   3,56
3rd day   2,34 GiB   394 MiB   283 MiB   1,50 GiB    |   3,56
4th day   2,73 GiB   363 MiB   230 MiB   1,12 GiB    |   3,62

… sem desligar o computador durante 4 dias de trabalho intenso, – abrindo e fechando uma ou mais janelas / abas do Dolphin, Chromium, KDiff3, LibreOffice, Gwenview, Kate / KWrite, Gimp, Konsole, KSysguard, KDE System settings, KRuler / ScreenRuler etc. – Claro que eu não abria tudo ao mesmo tempo, mas também não ficava fechando um para abrir outro.

Isso foi em Janeiro 2019, KDE Neon. – Números do Conky, que nesse tempo usava o mesmo cálculo do htop – e ambos, ainda não tinham mudado.

O que eu sempre fiz, para economizar Memória RAM – e continuo fazendo até hoje:

  1. Desativar ou remover o PIM. – Nunca abro KMail, KOrganizer etc.

  2. Desativar a “Pesquisa de arquivo” (baloo_file)

  3. Desativar ou remover a “lojinha”, a verificação de atualizações, as atualizações automáticas etc.: Plasma-Discover, PackageKit, unattended-upgrades. (Só no KDE Neon mantenho o PackageKit, mas sem nenhum agendamento).

  4. Também desativo vários “efeitos” do desktop KDE, mas isso não tem grande efeito no uso de Memória RAM.

2 curtidas

Só de você ter iniciados todos os sistemas que usa e tirado o print já vale o like hahaha

Mas, e o Void, ein? 372mb, muito Impressionante!

Engraçado que quando usava Windows não tinha essa preocupação, na época era outra máquina que também tinha 4GB e sempre consumindo acima de 800 mb (Windows 7 Ultimate; Windows 8 e 8.1 eram 1,1-1,3; e o Windows 10 é 1,5 fácil).

No meu caso, que uso um Samsung Flash, enquanto o Windows 10 roda super bem, o Gnome apresenta lentidões.
Há algum tempo eu atualizei esse notebook para o Windows 11, e embora ele não tenha ficado lento, o desempenho piorou em relação ao Windows 10. Sendo assim, resolvi testar novamente distros linux.
Primeiro fui de Pop!_OS, infelizmente o desempenho foi uma lástima (e olha que sempre desativo todas as animações, seja no Gnome ou no Windows).
Depois, já ciente que com o Gnome não tem condições, testei o Zorin Lite e o Mint XFCE; ambos são de fato muito leves, mas o XFCE me incomoda bastante na parte estética, principalmente as bordas das janelas e falta de polimento padrão em basicamente tudo na interface.
Eu sei que são coisas possíveis de contornar, mas eu realmente não tenho disposição para ficar modificando o sistema.
Por fim, retornei ao Windows 10 e o desempenho é, como eu já havia testado, bem superior ao Gnome.

1 curtida

Fiz isso na Terça-feira, depois que incluí Processes, Threads e Packages no Conky, ha ha

Com 11 distros, vai mais de 2 horas – mas é bom pra sair um pouco do computador… Inicia uma distro, vai lavar os pratos, volta 10 minutos depois… Inicia outra, vai dar banho no cachorro… Às vezes é bom, pra variar!

O último Windows que tive foi o XP. Quando encerrou o suporte, agilizei a mudança definitiva, que já estava demorando. Fazia dualboot desde 2007, e não desenrolava.

Em 2015, comecei a ter problemas com vídeos no Youtube, excesso de anúncios piscando nos portais etc. Agilizei o que faltava, e deletei o Windows.

O hardware era de 2008, só 4 GB RAM, tive que descobrir um jeito de contornar esses problemas no Linux: compositor XRender, desativar aceleração de hardware no Chromium, desativar o excesso de “efeitos de desktop”, bloquear anúncios etc. – Continuei trabalhando nele até Janeiro 2020.

1 curtida