Mudanças no Fedora 33

O desenvolvimento do fedora 33 está em andamento, e tem algumas mudanças que podem fazer dele o maior dos lançamentos da distribuição. Algumas mudanças são simples, e outras podem impactar no futuro do sistema.

Uma das grandes mudanças, é o uso do BTRFS como sistema de arquivos padrão nas instalações a partir do Fedora 33. Essa é uma mudança que nem todos concordaram, mas ainda tem como utilizar o sistema de arquivos Ext4 nas instalações.

Além da troca por BTRFS, o Fedora 33 irá utilizar zram ao invés da partição SWAP. O zram trabalha com compactação, e devido a isso, ele utiliza metade da memória RAM como tamanho. Uma explicação dobre a mudança pode ser encontrada na wiki do Fedora.

O Fedora está tentando padronizar o serviço de systemd upstream. A padronização reduz as diferenças de comportamento entre diferentes distribuições Linux. Para isso ele irá utilizar o systemd-resolved por padrão.

As alterações do Fedora 33 permitem o suporte a novos recursos de proteção de código no nível ARMv8.3 ~ 8.5, a fim de aumentar a segurança. Isso deve servir para tornar o Fedora mais resistente a outras classes de ataques em tempo de execução.

Os desenvolvedores do Fedora também estão discutindo abandonar o suporte a BIOS herdado e seguir a abordagem somente UEFI. Essa alteração ainda está em discussão.

Uma mudança que terá pouco impacto, é a troca do Vi pelo Nano como editor padrão no terminal. Além do novo GNOME 3.38 que chegará em meados de setembro.

O que você achou destas novidades?? Deixe nos comentários, confira nosso Feed RSS e até a próxima notícia, dica ou tutorial!

9 Curtidas

Interessante as mudanças, mas confesso que dá um certo receio. Fedora me parece ter certa mania de inovar e errar mais com isso, apesar de corrigirem rapidamente depois.

Na minha visão, é melhor inovar e quebrar a cara as vezes, do que ser apenas “mais do mesmo”…

2 Curtidas

Sim, por isso uso Fedora. Mas que dá um medinho… dá. :rofl:

3 Curtidas

imagino…

Que venham as mudanças, serão bem vindas. Mas… medo em modo “ON”. Meu porto seguro tem sido há algum tempo o openSUSE Leap (a rocha), mas tenho aos poucos mudando para o Fedora, por ser uma distro interessante e gostosa de usar, sem contar que o Gnome passeia lindamente nela.
A questão do Btrfs penso que já deveria estar em uso a mais tempo, ainda acho que demoraram, estou empolgado para ver qual vai ser, acho que vai dar bom.

1 Curtida

Estou usando o Fedora 33 há uma semana e rodando liso. Deve entrar em desenvolvimento beta nos próximos dias, mas para meu uso já está bem estável. É a distro com navegação mais agradável e responsiva pelo touchpad, pois o Firefox em Wayland torna esta tarefa perfeita.

1 Curtida