Microsoft renova o visual de vários aplicativos nativos no Windows 11

https://diolinux.com.br/sistemas-operacionais/windows/windows-11-visual.html

O Windows 11 está bem próximo de seu lançamento e a Microsoft está trabalhando no design de alguns dos seus aplicativos nativos.

5 curtidas

O novo Windows 11 está resolvendo um aspecto que sempre me incomodou bastante no sistema da Microsoft, que é justamente o da inconsistência visual. Essa nova versão está belíssima, os cantos arredondados são muito bonitos, além de não serem exagerados, como é o caso do Zorin e do Deepin.

8 curtidas

Impressionante como o Windows e companhia se recusam a oferecer algo disruptivo por 26 anos consecutivos, e lá vem o Windows 95 parte 10 eeeeeeee

Party Celebrate GIF by Girl Starter

5 curtidas

O ■■■■ é que o Windows só faz sucesso devido ao seu conservadorismo. É o dito: quem usou o Windows 98 não se sentirá em outro lugar usando o Windows 11

3 curtidas

Por que oferecer algo disruptivo quando o que se tem já funciona de forma satisfatória?
Não vejo sentido em mudar só pra dizer que fez algo diferente, vide o Windows 8.

2 curtidas

Acho q não. Negócio é o suporte aos programas mais usados. Dê uma distro com gnome ou kde que tenha todos os programas usados pela massa. Ninguem iria usar Windows.

Então, o problema é que não funciona, a maioria das pessoas se perde na interface do Windows,

Eu concordo que uma mudança drástica possa causar problemas, mas é complicado saber que por quase 30 anos o estilo de interação proposto ainda não ter saído da fase de protótipo, mesmo coisas simples são virtualmente impossíveis de se fazer no Windows que teoricamente se supõe quebrar os limites de um ficheiro físico:

Eu trabalho no setor público, preciso frequentemente fazer ACIs, eu não posso simplesmente criar uma ACI vazia pra cada tipo e salvar em um lugar especial → abrir o Explorer (que em teoria deveria ser o local certo pra fazer isso) → Clicar em novo e começar escrever minha ACI

Isso não acontece simplesmente porque a Microsoft a 26 anos mantém um componente central essencial como um protótipo o mesmo vale pra qualquer ferramenta do Windows, Notepad (que não é um pad), Paint Brush que não permite colagem… Curioso como um sistema que custa R$ 1099,00 só tem a calculadora como app finalizado sem contar que no Windows a única novidade real foi um esboço do que seria as “meta pastas” que são vendidas como “Bibliotecas”, um exemplo bem óbvio de inovação que não afetaria negativamente em nada é o uso de hashtags no explorer, simples e eficiente…

26 anos vendendo um protótipo dizendo que é uma tecnologia pronta não só é desonestidade como é chamar os usuários de burros

3 curtidas

Conheço uma galera q fica perdida no Windows desde o 98.

Mas se for observar nos posts sobre novidades do Mint, povo sempre reclama q nunca mudam.

3 curtidas

Vai ter calculadora gráfica agora?! Ou melhor, a calculadora em modo avançado, terá um sub-modo gráfico.

1 curtida

Eu concordo que o Windows tem umas deficiências bem toscas, chega a ser desleixo considerando o tamanho do sistema operacional, não por acaso eu resolvi testar algumas distros Linux. Mas ao mesmo tempo percebi que no geral é muito mais fácil fazer as coisas pelo Windows, pelo menos para usuários mais comuns, como é o meu caso.

1 curtida

Eis uma coisa q não consigo compreender, depois de 15 anos ensinando o uso básico de uma distro para usuários leigos.

1 curtida

@Daigo, não adianta ensinar se a pessoa não está disposta a aprender. Infelizmente, no mundo desktop, ainda teimam em querer que uma distro Linux faça tudo do mesmo modo que no Windows. Por exemplo instalar um navegador. No Linux Mint, por exemplo, basta abrir o software center, no Windows, sem o winget, você precisa ir ao site do desenvolvedor… Ou ainda, drivers da Nvidia. A gente reclama, mas pelo menos na maioria das distros basta adicionar os drivers pelo gerenciador de drivers adicionais, como no Ubuntu, e tá funcionando… Em fim, a ignorância sempre vence no final :man_shrugging:
Obs: digo mundo desktop pois no mobile nunca, jamais, vi alguem reclamando “ain, no Android é assim”.

3 curtidas

Vide galera esperneando como crianças com o Gnome.

3 curtidas

Eu não vejo dessa forma. Algumas pessoas simplesmente não têm tempo pra isso, ou acham que não vale a tanto a pena. No meu caso, instalei o mint (xfce) no meu notebook que uso pra faculdade, é um samsung flash. No geral, é um uso bem básico mesmo, no entanto, tudo nele funciona melhor com o Windows.
Alguns exemplos:

  • a inicialização com Windows demora poucos segundos, mesmo ele tendo um hardware extremamente limitado, já com o mint leva mais que o dobro do tempo, eu sei que provavelmente devem existir maneiras de melhorar isso, mas isso já devia vir ajustado.
  • O notebook também vem com um leitor biométrico, mas não encontrei uma forma de fazer funcionar no Linux.
  • Outro fator é que gostei bastante de usar o Edge e no Linux a Microsoft não vai dar o mesmo suporte, tanto que até hoje ele tá em fase beta.
  • Eu não sou muito de jogar, mas tem um tempo que jogo Duel Links, instalando ele pela Steam no Mint, por algum motivo, eu não posso utilizar o meu ID da Konami para usar a minha conta.
  • Não achei o KDE Connect bom o bastante para substituir a integração que o Windows tem com os celulares da Samsung.

Com certeza eu poderia viver utilizando só Linux, tanto que usei ao longo do ano. Porém, eu sinto que não existem tantas vantagens assim pra eu mudar o meu uso. Ou seja, vejo que não sou o perfil de usuário ainda.

1 curtida

estão muito mal acostumados, ficam no Windows por que acham que são mais simples, sempre arrumam desculpa, uma hora o Linux é feio, outra hora tem que usar o terminal em tudo, outra hora é difícil de mexer, é cada desculpa esfarrapada, depois que eu vim pro Linux, não volto pro Windows, é um sistema bem mais simples que o Windows, quase não dá problema, enquanto o Windows se corrompe do nada.

1 curtida

Quer q o sistema faça uma conexão neural, compreenda seus gostos e se ajustes?
Até q não seria uma má ideia… :joy_cat: :joy_cat: :joy_cat:

Zoeiras a parte, é a boa e velha pesquisa sobre como deixar o sistema mais rápido.
Em gerenciador de configurações, vá em Sessão e inicialização → Inicio automático de aplicativos.
Desmarque por ex, as opções: Bluetooth, Miniaplicativo de impressão e o q mais achar q não precisa.

1 curtida

De fato! Mas, depois de um tempo de aprofundamento no Linux, verás que fazer as coisas por aqui é mais prático e rápido do que o fazê-las no Windows. A verdade é que o maior aliado dos usuários Linux e, quase inimigo dos usuários comuns (Terminal), é muito melhor do que procurar softwares pela web, por exemplo. E isso é só um exemplo de tudo o que se dá para fazer!

Tá ai o significado de querer mudar. Analogia besta, mas, se tu quiser perder peso, precisará:

  1. Uma dieta indicada por um profssional;
  2. Exercitar-se com frequência;

Não adianta nada querer ficar no shape e ficar achando que será igual a rotina anterior de só ficar sentado no sofá, esperando que um milagre aconteça. Eu agradeço que existem alternativas e liberdade de fazer de N formas o que preciso no Linux, coisa que se eu estivesse no Windows e, caso não gostasse da forma que uma tarefa é feita, sentar e chorar, pois a MS tá pouco se lixando para isso.

2 curtidas

Fiz isso, desmarquei todos que não utilizava e não funcionou tão bem quanto no Windows.

Eu modifiquei as distros que utilizei (Mint e Kubuntu) para o meu uso, mas colocando na balança, o Windows se saiu melhor para as minhas tarefas. Não que ele seja perfeito, longe disso, só faz mais sentido pra mim.

Concordo plenamente, é uma maravilha existir alternativas. Para muitas atividades, faz todo sentido usar distros Linux. Assim como, para alguns usuários pode não fazer tanto sentido assim.
Antes de usar Linux, eu sentia que não havia opção ao sistema da Microsoft e de certa forma, só exista uma maneira de fazer determinadas atividades. Depois que passei esse ano no Linux e voltei para o Windows, eu já não me vejo preso assim, já que dessa vez eu escolhi usar.

1 curtida