Fedora 37 pode remover compatibilidade com o modo Legado das BIOS

Cada distro tem seu nicho. E o do Fedora definitivamente não é ficar suportando hardware antigo.
Essa discussão já deu o que tinha que dar.

1 curtida

Pelo menos grande parte da comunidade Fedora e contra a essa insanidade

Tu leu minha postagem anterior? os mantenedores estão saturados, aceitando ou não, é independente da comunidade (alguém vai se habilitar?), as pessoas responsáveis por manter o código funcionando estão abandonando o navio, não importa o sempreupdate ou sites que tem o mesmo apelo, importa quem trabalha pra deixar a coisa funcionando, o resto é balela.

1 curtida

Depende do que você chama “ficar preso ao passado”, a verdade é que ninguém liga para o que está dentro do capô desde que possam fazer as coisas que querem fazer, com flatpak hoje em dia, a vida é 100% normal numa distro mais conservadora. Realmente hoje estar sempre com o kernel mais recente o a gclib não é uma obrigação para usar o software que você deseja.

Tranquilo, isso realmente vai de cada um para cada um, mas para mim, Fedora é bleeding edge já que não é viável para missões criticas. De qualquer forma até distros bleeding edge precisam de um canal de testing, Rawhide vai além, é literalmente um canal de nightly builds da distro.

2 curtidas

a proposta não foi aprovada, por enquanto…

2 curtidas

Insanidade é achar que os desenvolvedores tem que ficar perdendo tempo com código legado e obsoleto enquanto poderiam estar se preocupando com tecnologia recente. Fato é que o modo Legacy vai ser deixado de lado uma hora ou outra. Pode não acontecer no Fedora 37, mas vai acontecer.

1 curtida

Concordaria se o “corte” tivesse um bom fundamento.
Mas a RHEL e que se vire com as próprias burradas com seu projeto de testes, desde que não influencie nas outras distros que e a atual preocupação da comunidade
Isso já rendeu bem, é como a MS não e tão estúpida de descontinuar código legado sabendo que e vantajoso e é melhor pro “Linux” continuar bem distante do desktop já que uns querem ferrar com o pequeno progresso que a Valve e outros projetos conseguiram conquistar.

O fundamento para isso é simples: desenvolvedores estão perdendo totalmente o interesse em manter o suporte para BIOS. Fedora é como ímã no mundo Linux, o que eles fazem, outras distribuições farão cedo ou tarde.

Tem usuários desse forum que não se cansam de espalhar FUD sobre o Fedora…

E é por isso que até hoje o Windows 10 vem com discador de modem. Estupido é manter código legado e obsoleto de 20 anos atrás num sistema atual como o Windows 10/11.

@romulopd
Não sei o que você entende como missão critica… Eu o tenho usado constantemente no meu home office … Como ganho dinheiro com isso, acho que minha definição d missão de critica , é diferente da sua…

Nossa … Que chato, neh!!!

Missão crítica não pode ficar fora do ar, simples assim, algo que, com o hardware certo tem uptime de 99.999+% garantido mesmo com updates. Mas isso não é minha definição, é padrões de indústria, o restante está em algum grau de testing.

De resto, mais um passo além de distros como Fedora e você está em nightly builds de diversos pacotes, se isso não é bleeding edge, então nada é.

1 curtida

Esta é uma questão muito polêmica. Ao meu ver, pouco importa. Máquinas que operam apenas no modo legado já deixaram de ser fabricadas há quase uma década, se tornando este um público muito nichado. Reclamar do fim deste suporte seria equivalente a querer de volta o suporte aos Macs PowerPC. Pouca gente realmente usaria.

Para o argumento de “mas isso limita o uso em locais carentes de tecnologia onde máquinas mais antigas têm de ser usadas”, a minha resposta é o fato de que o Fedora nunca esteve entre as escolhas mais inteligentes para hardware fraco. Ou seja, realmente fará muuuuuuita pouca diferença.

3 curtidas

Qualquer distro pode nos surpreender… Eu uso o fedora em um Lenovo desde o 29, atualizo todos os sábados e até agora não tive problema algum…
Em compensação há uns dois anos atrás, fiquei sem teclado depois de uma atualização do Debian 10, e foi em um Acer todo Intel. Tive que usar um teclado USB por quase um mês, até descobrir o que tinha acontecido.

O Fedora não é e nem nunca foi bleeding edge. Ele oferece pacotes mais recentes e ao mesmo tempo consegue ser mais estável do que muita Ubuntu-based por ai. O Fedora é uma distribuição leading edge, pois está comprometida com inovação.

2 curtidas

Para mim é. Na verdade, qualquer distro que tenha realmente muitos pacotes com a última versão disponível no upstream, é, na minha visão. Mas eu não vejo problema, é uma questão de opinião, e a minha é mais conservadora nesse aspecto.

1 curtida

Eu entendo, mas estou falando de missão crítica… Este tipo de coisa não é aceitável:

https://bugzilla.kernel.org/show_bug.cgi?id=201685

1 curtida

Ou Windows e Mac… essa inconstância do Linux nunca foi positiva em termos de mercado o universo Debian sempre segurou as pontas, mas ultimamente nem eles estão segurando

1 curtida

Uma ponta de “iceberg” e o certo a se dizer, mas vamos ao ponto
O suporte legado em geral e benéfico, não pra nós meros usuários mas para o meio empresarial, não sei em parte vc atua mas pense de maneira geral, vc quer manter algo funcionando sem tempo pra ser descontinuado ou substituído pra evitar gastos mas ao mesmo tempo dar avanço ao software ou hardware, pra isso e necessário manter aquilo até onde der
“Mas o usuário… Isso e aquilo” o usuário atual não tá afim de trocar o equipamento por causa de um dev infeliz que não tem foco na área que ele atua, quer simplesmente ver funcionar… Assim como uma empresa de alto porte que não quer gastar nem um mísero trocado com equipamento.
E graças a isso que a Microsoft mantém um sistema com toneladas de código legado, pra se manter no topo facilmente porque não precisa fazer nada pra agradar a maioria das empresas tanto de hardware quanto software porque elimina CUSTOS com o código legado
O problema com o fedora não e simplesmente com a decisão sem fundamento mas a influência que leva aos outros projetos que estão tentando sair do certo “nicho” atual e se tornarem visíveis no mundo, não e uma estupidez dita por um usuário que diz que entradas ISA são obsoletas ou monitores com luz a fósforo (se e que isso algum dia existiu) vão sair dessas empresas sendo que seria um prejuízo, enquanto tem gente que dá manutenção e empresa que cobra o funcionamento o negócio vai continuar bom pra própria Microsoft
Se e que alguém quer que o desktop Linux seja uma realidade

Tópico foi desviado do debate do assunto original e a discussão que se seguia não era construtiva.