Desenvolvedor do KDE acredita que a interface Plasma pode se tornar o "Windows ou Android" do mundo open source

https://diolinux.com.br/kde/kde-plasma-o-windows-do-mundo-open-source.html

Recentemente, Nate Graham um dos desenvolvedores do projeto KDE apresentou sua ideia de que o Plasma pode se tornar o próximo Windows ou Android do mundo open-source.

9 curtidas

Tenho uma grande admiração pelo KDE e outros projetos que fazem parte do seu ecossistema. Uma pena que o Plasma Desktop não funcione tão bem no meu pc como eu gostaria :man_shrugging:t4:

5 curtidas

Sem duvidas o Plasma vai evoluir bastante , só espero que deixem ele mais simples de usar e modificar.

Uma boa IDE… Digo Digo interface gráfica rsrsrs

1 curtida

KDE é excelente, o que estraga é quem distribui

2 curtidas

Depois de testar várias interfaces e ver a evolução do Plasma, concordo plenamente!

1 curtida

Bem, eu acho simples de usar e modificar, inclusive os temas podem ser baixados diretamente pela interface (diferente de qualquer outra DE), o que incentiva o usuário a personalizar, mas é claro que exige uma curva de aprendizado, só que não é esse bicho de sete cabeças não, sem dizer que basta pesquisar qualquer configuração que te levará até a área que deseja (ex.: tela de bloqueio, mouse, ativar numlock, etc.).

6 curtidas

Muito legal a ambição, mas tem MUITA coisa que precisa ser feita antes, inclusive tomar o “controle” do GNOME e se tornar o maior ecossistema.

2 curtidas

Também acho que o lance do KDE Plasma seja esse mesmo, por ter tanta opção você pode ir tirando o que não precisa pra deixá-lo minimalista ao seu modo.

2 curtidas
Xfce tem um recado

LOL ROFL

Seria incrível e, particularmente, eu acho o ambiente gráfico do KDE incrível. Mas para chegar ao que estão pretendendo e ambicionando, devem ao menos deixá-lo menos lento e pesado. Não conheço uma distro (nem as mais puras) com KDE que não consumam exageradamente GPU, CPU e RAM até dizer chega. Muitas vezes, também acabam deixando de lado o minimalismo e “cara limpa” característica do mundo Linux. Precisa corrigir muita coisa ainda.

2 curtidas

Se o fenômeno que vem se mostrando nos últimos tempos prosseguir, isso vai ocorrer naturalmente, e talvez mais pelo próprio Gnome do que por conta do KDE mesmo.

Acho que faz tempo que você não testa o KDE Plasma.

Antigamente também achava isso. :wink:

4 curtidas

Fiquei muito tempo usando o GNOME e, depois de muita resistência, acabei dando uma chance ao KDE quando migrei para o Manjaro. Estou adorando tanto quanto adorava o GNOME. Eu não diria que um é melhor que o outro, são apenas diferentes. Há vantagens e desvantagens de ambos os “lados”.

Contudo, para o KDE se tornar algo mais “mainstream”, ainda acho que falta melhorar a organização dos menus - por mais que eu goste do KDE, ainda considero uma bagunça - e corrigir alguns bugzinhos visuais.

O Xfce eu já acho mais limitado e, acima de tudo, feio. Com customizações pode ficar legal, mas o visual padrão dele fica devendo bastante para o KDE. E, nos testes que fiz aqui, o KDE não parece tão mais pesado. Achei o KDE bem levinho, mesmo no meu netbook.

1 curtida

Sempre usei o KDE, especialmente por causa da Big Linux, melhor distro que já usei. Acho muito simples e prático de configurar e muito organizado. Para mim, o melhor ambiente de trabalho que existe!

3 curtidas

Fato, o kde sempre foi a interface mais próxima do usuário, mas comecei usar o gnome pelo minimalismo ou menos coisas para c um configurar, leve inclusive. Porém agora o Gnome se complicou está pesado e então testei o kde e voltei através do BigLinux. Rápido, simplista, até na instaçao, mas ainda muitas coisas pro usuário configurar. Precisa ver isso se quer o Linux nós desktops tem que se simplista, o usuário quer usar o sistema, para navegar, ouviu música, editar um texto, e-mail rotinas, amigos, mas como fazer se o sistema não permite, lentidão, difícil instalação, enfim para que eu ofereça o sistema a outras pessoas precisa ser simples interface intuitiva, como é o Android e macox. Nao vou citar windows porque só passo raiva.

2 curtidas

opinião e chá de boldo amargam mas não matam. sonhar nunca é demais. kkkkk

2 curtidas

Realmente, meu KDE iniciando com 500mb discorda disso que ele falou.
Assim que instalei estava iniciando com ~425mb.

Consumo de memória RAM NÃO é parâmetro para definir se um software é pesado.

O software tem MUITA coisa pra levar em consideração. A quantidade de RAM utilizada por um programa bem feito DEVE ser maximizada, para diminuir acesso a disco. Até o acesso a um SSD é no mínimo 10 vezes mais lento do que um acesso a RAM. Quanto MAIS RAM um programa gasta (se for corretamente escrito), mais rápido e responsivo ele vai ser.

Um algoritmo pode não gastar quase nada de RAM, mas a depender da intensidade da tarefa, sua conclusão pode demorar muito tempo, correndo o risco de comprometer a estabilidade de todo o sistema, uma vez que a tarefa vai estar exigindo atenção do processador. Já outros algorítimos podem usar mais RAM, mas acabar em 5% do tempo. Ademais, nessa discussão podemos incluir o funcionamento da paralelização de um programa.

Um programa que coloca carga de um núcleo do processador em 100% é muito mais pesado do que um programa paralelizado que consome 4, 8, 16 vezes mais RAM, mas que utiliza todos os núcleos disponíveis e finaliza a tarefa em uma fração do tempo.

Enfim, repito…

Consumo de memória RAM NÃO é parâmetro para definir se um software é pesado.

9 curtidas

Boa tarde, meu nobre.

O dia que uma Distro com KDE iniciar usando menos de 500mb de RAM, aí podemos conversar. Até lá o Xfce continua sendo mais otimizado, sinto muito.

1 curtida

@Yofiel Leia bem o que eu escrevi, por favor.

3 curtidas