Defenda sua interface gráfica!

OPA E AI POVO, eu aqui outra vez o criador de tópicos inúteis!!! Hehe, vamos lá dessa vez estou querendo criar um tópico para cada um comentar sua interface gráfica preferida / mais usada e explicar os motivos por utiliza-la e de brinde defende-la com a própria vida HAHAH! Brincadeiras a parte, eu estou querendo fazer esse tópico por primeiro gostar de conversar com o povo e segundo por causa que já vi bastante tópicos de recomendação de interface gráficas, mas todos acabavam sempre virando algo como uma disputa entre KDE e Gnome.
Nesse tópico eu gostaria que vocês debatessem sobre a versão que vocês utilizam, seja modificada seja a pura, forks e etc., gostaria que falassem suas opiniões, algo totalmente pessoal! (ps: desculpe pelo meu português de dar raiva de tão ruim…)

EU COMEÇO: Cinnamon, why? Vamos lá, eu acredito que o Cinnamon mantem a aparência de um desktop sem perder nenhuma funcionalidade, além de oferecer uma boa customização de fabrica. O Cinnamon para mim é bem estável e confiável, consigo ser produtivo com ele sem sacrificar o visual ou sem ter o meu desktop com cara de notebook ou tablet (não estou ofendendo quem gosta).

espero que meu tópico não seja apagado por ser um tema “repetido”… :stuck_out_tongue:

4 Curtidas

Concordo, pra mim Cinnamon é uma das melhores também. Exatamente o que tu falou, eu sinto estabilidade nela, e o sistema é bonito também e bem customizável. Sinto falta de uma extensão de menu global, mas isso é mais um gosto pessoal.
E falando em menu global, eu também vou defender outra que passei a gostar muito, o Unity. Não vou mentir que comigo foi aquela velha história, “Você só dá valor quando perde”, usei antes e não gostei tanto, depois que foi descontinuado que eu voltei a usar e percebi como é uma interface bonita e que tem um ótimo aproveitamento do espaço. No meu caso que tenho notebook 14’’ e resolução HD, alguns pixels a mais fazem um pouco de diferença. Tudo bem que tu pode transformar outras distros pra ficarem parecidas com o Unity, mas nunca vai ficar igual igual, a interface tem umas firulas de design que são bem bacanas.

2 Curtidas

Cinnamon e KDE.

Cinnamon
Interface bem personalizável, estável, confiável e bonita. É como tudo que tu disse, mantém o “design clássico” de desktop.

KDE
Acho que a mais customizável por padrão é linda. Eu de fato não consigo afirmar ainda que é estável e confiável por N motivos, mas eu gosto bastante dela. Nela já é possível “fugir” um pouco do “design clássico” de desktop e ir para algo mais moderno, semelhante ao que pode ser visto no design de algumas UI’s de tablets e smartphones, apesar de eu ainda mantê-la com um workflow semelhante ao do Windows e por consequência do Cinnamon (Barra embaixo, “menu iniciar”, mostrar desktop, etc)

2 Curtidas

GNOME
Tem uma comunidade sólida, o que garante maior longevidade do projeto. Assim como muito apoio de empresas empregando muitos desenvolvedores.
Tem um padrão de qualidade e design que é simples e intuitivo. Não implementa opções e botões apenas por “adicionar mais features” e no fim causar mais confusão do que eficiência no uso… (Menos é mais)
Tudo parece ser muito bem pensado na experiência do usuário, porém ao mesmo tempo é a o projeto que traz e desenvolve novas tecnologias, não fica estagnada, o que enriquece o ambiente, como Wayland, bom suporte a flatpak, bom support a hidpi, melhorias no compositor etc…

XFCE

É ao contrário do GNOME no que diz respeito a novas tecnologias, quanto mais estagnado melhor. Simples, leve, estável, customizável e modular.

Concluindo, gosto das duas cada um a sua maneira.
Não uso GNOME tentando modificar o workflow ou design, deixo praticamente puro como seus criadores oferecem originalmente(eles manjam mais que eu). Se algo realmente prejudicar minha experiência, partirei para outra DE sem problemas.

No XFCE a pegada é outra, ele praticamente “implora por modificação” (se já não vier customizado pela distribuição) apesar de eu ser leigo já usei vários bons layouts diferentes com esta DE.

6 Curtidas

XFCE
O Renato já disse tudo. Mas esse negócio de ser uma interface muito estagnada é o que mais gosto (ela não dá bug).

5 Curtidas

Minha interface gráfica preferida é o Unity. Por que? Eu aprendi a usar o Linux e comecei a gostar do Linux usando essa interface. Gosto da Dashdock do Unity, do menu global, do recurso de fusão das janelas maximizadas com a barra de cima. Não gosto do tema de icones; mas eu troco ele. Também prefiro deixar a dash dock em modo ocultar automáticamente. E eu instalo um outro menuzinho (menu classic) para usar junto com menu global. Eu gostaria que pelo menos um ambiente grafico fora o Unity tivesse a opção fusão da barra de cima com a janela maximizada. Aliás eu vi isso com a opção netbook do Ubuntu Mate (que ficou meio bugada no meu pc) e acho que também com o Munity do Ubuntu Mate (que achei uma imitação pobre do Unity).
,

1 Curtida

Da pra fazer isso no KDE

4 Curtidas

Olha, uma vez eu fiz essa pergunta no grupo e ninguém me sugeriu nada. Depois mais para frente vou ver como é no KDE. Valeu pela dica.

2 Curtidas

Dá sim, e fica uma belezura

4 Curtidas

Tem como deixar os maximizar e minimizar em modo ocultação que aparece apenas quando leva o mause a eles? Assim:

1 Curtida

Para mim todas tem o seu valor dependendo do propósito. Para uso geral, minhas preferidas são o Plasma e DDE.

3 Curtidas

eu chamaria de “criador de tretas” dps desse post aqui HAHAHAH

2 Curtidas

Kkkkk :slight_smile:

1 Curtida

Gerenciador de janelas conta? Hehehhee
i3wm minha preferida, sem dúvidas.

4 Curtidas

Para mim atualmente o KDE Plasma.

  • O workflow dele funciona muito bem para mim, talvez porque eu venha do Windows a pouco tempo.
  • Por ser baseado em widgets, é possível “encaixar” o seu desktop como bem entender, deixando tudo ao seu gosto.
  • Bastante opções para customização de praticamente tudo. De temas, animações, blur (até demais, devo confesar), títulos de janelas e por aí vaí. É possível extender ainda mais com a adição do Kvantum.
  • Últimas versões estão rodando extremamente lisas e sem gastar tantos recursos .

Bom, esses são alguns pontos. Obviamente que não é perfeito. GNOME tem tido incríveis resultados com as últimas atualizações e só tem a melhorar, XFCE continua estável e rápido como sempre, além de outras DEs ou até mesmo WM que não vou citar se não o comentário ficará maior que o esperado. Todos possuem prós e contras.

Porém para o meu uso pessoal e minha workflow, o KDE PLASMA ganha.

3 Curtidas

Ainda vou me desafiar um dia e instalar ele como WM principal. Acho incrível o conceito de Tiling WM. Ocupar todo espaço em tela e a workflow separada em desktops diferentes. Talvez após o término deste semestre eu dê uma olhada. (Além de achar tiling WMs estiloso para caramba aahahhaha)

1 Curtida

pra mim vai ser dificil sair do KDE por um detalhe que pode para muitos ser bobo mas é o que sempre procuro nas DEs.
acho que o nome é “xdg-desktop-portal-kde”

1 Curtida

Já tive vontade, algum dia ainda irei tentar.

1 Curtida

Plasma.

Bem user friendly quando se trata de customização, sem falar dos widgets e etc… é uma ótima alternativa pra quem quer fugir do gnome, ou não gosta do mate por conta de falta de animações (assim como xfce), pessoalmente não gosto muito do compiz, então kwin vai melhor no meu gosto.

6 Curtidas

KDE Plasma

Esses dois pontos são cruciais:

  • É possível fazer com que cada pasta tenha sua própria configuração de visualização e ordenação dos arquivos e pastas (acho que só o Nemo do Cinnamon que tem essa função. É triste)
  • Creio que todos os ambientes gráficos (pelo menos do XFCE pros mais pesados) tem dois perfis de som, um para quando os fones de ouvido estão conectados e outro perfil para quando somente usando as caixas de som do computador. Mas o KDE Plasma tem um diferencial que dei falta em muitos ambientes gráficos, ele tem um recurso nativo e com GUI para desabilitar o touchpad assim que o mouse for conectado; é inaceitável que eu tenha que baixar o touchpad-indicator ou rodar um script para fazer isso em outros ambientes gráficos.

Esses detalhes também são importantes:

  • Possuir um conjunto de ferramentas com GUI para eu configurar o meu sistema. Muitos ambientes gráficos até que o possui ferramentas para editar coisas mais básicas (especialmente o visual do ambiente gráfico), mas as ferramentas de configuração do KDE Plasma mexem com mais coisas.
  • Ao mesmo tempo que é bonito, não tenta inovar em demasiado (detesto, por exemplo, aquele menu “moderno” do GNOME)
  • Tem uma grande coleção de programas que são excelentes, o meu favorito é o Okular e o KolourPaint.
5 Curtidas