Chroot - uma ferramenta subestimada que pode te salvar de uma reinstalação

O chroot é uma ferramenta subestimada que permite ao usuário recuperar um sistema Linux danificado através de outro (geralmente um LiveCD/LiveUSB). É até compreensível que ela seja pouco usada: ela praticamente só funciona em modo texto - portanto você deve estar familiarizado com o terminal e suas ferramentas - além de exigir dois sistemas Linux, o que está danificado e um que está funcionando (por exemplo, um ambiente de instalação Live).

Etapa 0 - Abrir um terminal na pasta do sistema danificado

No seu sistema que está funcionando, abra a partição raiz (vai ter as pastas bin usr lib dentro) do sistema que está com problemas. Usando o gerenciador de arquivos, clique com o botão direito num espaço sem pastas e abra um terminal na pasta dela.


Exemplo desse tipo atalho, no KDE Plasma.

Se você for mais experiente, use o comando mount.

Etapa 1 - Espelhar os dispositivos (Muitas vezes opcional)

Os comandos que por alguma razão precisam de acesso ao hardware exigem que essa etapa seja feita. Ele espelha os arquivos que representam os dispositivos do computador e seus periféricos.

Faça o comando:

for i in proc sys dev; do sudo mkdir -p $i && sudo mount -B /$i $i; done

Etapa 2 - Fazer o chroot

Faça o comando

sudo chroot .

A partir daí, é como se estivesse rodando o sistema danficado.
Pode-se completar atualizações mal sucedidas, instalar um pacote importante que você sem requerer removeu, etc.

Quando terminar a manutenção, digite exit e você voltará ao sistema atual. Lembre-se que, até você digitar exit, é como você estivesse em um terminal do sistema danificado: digitar /bin/programa vai abrir o arquivo do programa do sistema danificado, não o do sistema funcionando e no qual você está rodando chroot. Se você, por exemplo, errar as etapas anteriores, terá que digitar exit.

Qual a vantagem disso sobre reinstalar?

À primeira vista, o fato de esse método exigir um sistema Live faz ele parecer inútil; afinal, a reinstalação está a poucos cliques de distância. No entanto, se for possível consertar por chroot, poupa-se o esforço de reinstalar todos os programas de novo, e de ter que fazer o backup da home em sistemas em que ela não é uma partição separada. Além disso, uma live de uma distro pode consertar quaisquer outras através do chroot, mas só consegue instalar ela própria.

5 Curtidas