APT: o que é e dicas práticas

O APT de forma resumida é um gerenciador de pacotes, presente em diversas distros derivadas do Debian, essa ferramenta foi desenvolvida para administrar seu formato de pacotes nativos o .deb.

O nome APT é um acrônimo para “Advanced Package Tool” algo como “ferramenta de empacotamento avançada” - e mesmo que no uso cotidiano não seja necessário usá-la diretamente, conhecer um pouco dessa ferramenta pode ser muito útil para solucionar problemas e manter seu computador otimizado.

O APT é um conjunto de ferramentas que serve de interface para outro comando, chamado “DPKG” que atua em um nível mais baixo do sistema operacional.

Aviso importante: utilizar o apt e o dpkg de forma incorreta pode quebrar seu sistema, de forma que não aja outra solução além de reinstalar ou restaurar um backup. Ao instalar pacotes manualmente, baixados diretamente da internet, verifique se eles são recomendados para a versão do sistema que você está utilizando.

Outras ferramentas relacionadas

Existem outras ferramentas que acrescentam funcionalidades ao APT, adicionando mais camadas de funcionalidades, como uma interface gráfica no caso do Synaptic ou uma interface texto mais elaborada no caso do Aptitude.

Diferença entre APT e APT-GET: O apt-get é uma das funcionalidades do APT, assim como outros comandos que iremos ver logo mais. Porém, como era um recurso muito utilizado, muitas pessoas pensavam que o nome da ferramenta era “apt-get”. Há alguns anos o comando foi simplificado apenas para “apt” para ajudar a eliminar essa confusão.

Em quais sistemas que o APT está disponível?

Praticamente todas as distribuições baseadas em Debian como Ubuntu, Pop!_OS, Linux Mint, KDE Neon, Zorin OS, entre outras, disponibilizam o APT como uma das opções para gerenciamento de pacotes. Algumas delas implementam lojas de aplicativos como a Gnome Software e AppCenter, que inclusive podem permitir gerenciar graficamente outros formatos como snap, flatpak e AppImage.

Apesar de não ser muito comum, foram desenvolvidas versões do APT que podem ser utilizadas em distros baseadas em RPM como Fedora e RedHat.

Dica de segurança: Instalar pacotes manualmente (ou quase) é uma tarefa sensível para o sistema, portanto, a recomendação é que você utilize o comando “sudo” para elevar as permissões do usuário ao invés de executar os comandos diretamente como root.

Principais comandos

O comando básico para gerenciar pacotes é apt seguido de um dos parâmetros abaixo, que fornecem funções como instalação, remoção e atualização de pacotes em um sistema operacional. Confira os principais comandos para apt.

  • install / --reinstall
  • remove
  • purge ou --purge
  • upgrade
  • update
  • clean e autoclean

Exemplos de uso para instalação e remoção de pacotes

  • Como instalar um pacote via linha de comando: $ sudo apt install [nome-do-pacote]
  • Para remover um pacote, você pode utilizar o comando: $ sudo apt remove [nome-do-pacote]
  • Para remover um pacote e suas configurações: $ sudo apt purge [nome-do-pacote]
  • Para remover um pacote, suas configurações e dependências: $ sudo apt purge --autoremove [nome-do-pacote]

Exemplos para gestão do cache local e atualização

  • Atualizar o banco de dados locais de pacotes: $ sudo apt update
  • Atualizar todo o sistema operacional: $ sudo apt upgrade
  • Apagar todo o cache de pacotes armazenado no computador: $ sudo apt clean
  • Apagar o cache de pacotes que não são mais necessários ao sistema: $ sudo apt autoclean

Comandos para pesquisar pacotes instalados ou não

Os seguintes comandos servem para interagir com a base de dados (local e remota) para extrair informações e localizar pacotes apt-cache:

  • pkgnames
  • search
  • show

Formas para Localizar pacotes e visualizar informações

  • Listar todos os pacotes instalados no sistema: $ apt-cache pkgnames
  • Localizar um pacote, pesquisando por um trecho do nome: $ apt-cache search [nome-do-pacote]
  • Para listar todas as informações sobre um pacote: $ apt-cache show [nome-do-pacote]

Obs.: como o apt-cache apenas exibe dados, não é necessário ter permissões extras para executá-lo.

O apt é uma ferramenta bastante poderosa, existem outras opções bastante úteis com foco em resolver problemas na instalação de pacotes, que irei abordar em outro artigo. Deixem suas dúvidas sobre apt nos comentários.

:vulcan_salute:

23 curtidas

Muito bom!! Parabéns e obrigado por compartilhar.
Esses artigos da comunidade estão tão bons que pode sair um livro disso tudo num futuro próximo. :wink:

4 curtidas

Obrigado por compartilhar!!!

2 curtidas

Dica extra:

Veja se o APT vai destruir o seu sistema:

Para isso coloque os parâmetros -s e -y ao instalar, remover ou purgar um pacote, exemplo, se você usa Pop _OS! (O nome chato de escrever) e quer saber se é uma boa remover o gedit

apt -s -y remove gedit

O APT vai dizer tudo que ele vai fazer, mas não vai fazer nada

5 curtidas

Serve para atualizar um pacote também? Já vi atualizações que puxavam dependências que conflitavam com as de outras partes do sistema, principalmente no uso de PPAs.

1 curtida

Serve, só dar install --reinstall no pacote:

apt -s -y install --reinstall pacote-suspeito
3 curtidas