Aposentei o google chrome

Bom dia pessoal!!! Bom, como o título diz, resolvi aposentar o google chrome e adotar o firefox como meu navegador padrão. Notei que o firefox apresenta recursos mais interessantes e depende de menos extensões, então resolvi adotar o mesmo para substituir o navegador do google, sem contar que a raposa devora menos ram e recursos do hardware.

4 curtidas

Cara, eu adoro o firefox. Uso a mais de 10 anos e realmente não entendo porque as pessoas não usam mais. Acho incrível, bonito, funcional, seguro e ainda por cima é soft. livre, o que é sempre bem vindo.

6 curtidas

Gosto de como ele fixa as abas, transdormando-as em uma espécie de webapp

Sou apaixonado pelo Firefox e julgo que as extensões funcionam melhor nele, mas migrei para o Google Chrome porque ele consome menos RAM (pelo menos é assim na minha máquina) e RAM é um recurso precioso pra mim que estudo com navegador, Visual Studio Code e IntelliJ IDEA abertos ao mesmo tempo.

Mas assim que eu aumentar a memória RAM do meu notebook, voltarei na mesma hora para o Firefox. :slightly_smiling_face:

3 curtidas

Estranho, comigo ocorre exatamente ao contrário
Quando estou com o chrome aberto com várias abas abertas, noto a fan do processador girando com mais força, já com o firefox, é mais silencioso, quase impeceptível.

Mesmo motivo que a grande maioria dos usuários, técnicos ou não, tem preconceito com Linux: efeito manada. @Rodrigo_Chile e eu já debatemos isso diversas vezes. Uso o Chromium raramente para sites muito específicos, ademais, estou a uns 3 anos sem clicar no Chrome e não pretendo voltar.

1 curtida

a princípio eu pensei em desinstalar o chrome da minha máquina, mas acho melhor mante-lo aí, quieto, dormindo e só abrir quando realmente precisar.

1 curtida

Eu acho que a maioria que utiliza o Chrome no lugar do Firefox é simplesmente porque somos dependentes de outros serviços da Google e o fato de já termos uma conta Google há muito tempo fez o navegador ser o mais fácil de ser utilizado pela questão da sincronização. Eu também sempre preferi o Chrome no Windows, mas no Linux prefiro muito mais o Firefox porque é o único navegador que eu consigo de fato ativar a decodificação de vídeo por hardware e isso é crucial pra quem tem um computador antigo como o meu.

5 curtidas

Já não uso faz um bom tempo

1 curtida

Eu usei o firefox de 2003 até novembro de 2021 e parei de usar simplesmente porque não confio mais nos desenvolvedores do firefox. Parte da culpa dessa perda de popularidade se dá por conta também dos desenvolvedores que seguem à risca a cartilha de “dane-se o usuário”, então, concorrentes mais amigáveis acabam tomando o lugar deles mesmo.

Aproximadamente lá para 2006 dei um tempo no uso do firefox porque eles começaram a lançar versões seguidas múltiplas vezes na semana, o que me colocou numa situação onde não conseguia mais acessar o internet banking ou sites que usavam plugins como flash durante um bom tempo.

Depois disso, quando comecei a usar linux com mais frequência, percebi que o firefox não permitia, no linux, desabilitar o atalho ctrl+q para fechá-lo. Pesquisando no google, vi que esse problema foi reportado para os desenvolvedores em 2000 e se arrastou até o final de 2021, quando finalmente essa opção simples e comum nos softwares foi finalmente implementada, depois de muito apelo por parte dos usuários (e muitos novos concorrentes muito mais amigáveis ao usuário) [Tópico do Bugzilla]. Assim, nessa época, meu navegador padrão no linux passou a ser o chrome, que me permite desativar o ctrl+q e o firefox continuou sendo meu navegador padrão no windows.

No fim, o prego no caixão do firefox pra mim aconteceu no final de 2021, quando eles bloquearam do dia para a noite um plugin de favoritos/tela inicial que eu usava, fazendo eu perder todos os meus favoritos (temporariamente porque achei uma forma de reativar o plugin para recuperar meus dados). De acordo com a equipe do mozilla, o plugin violava a privacidade dos usuários e já havia sido alertada anteriormente, porém, essa afirmação dos desenvolvedores é MENTIRA, já que o plugin que eles alegaram ter sido alertado de estar quebrando as normas de uso era um plugin recomendado pela própria equipe da mozilla pouco tempo antes de ser retirado do ar (sendo que eles foram “avisados” mais de 1 ano antes, de acordo com os devs).

Para ajudar a situação, os moderadores das comunidades do firefox passaram a excluir postagens que ensinassem as pessoas como reativar o plugin para recuperar seus dados.

Ou seja, o desenvolvimento do firefox é repleto de episódios onde eles literalmente ignoram o usuário final e tomam decisões de forma a prejudicar completamente o usuário, seja ignorando pedidos durante mais de 20 anos, causando perda de dados dos usuários sem aviso prévio ou mesmo tornando o navegador incompatível com recursos necessários do dia para a noite. Esse tipo de atitude pode até estar no direito deles de fazer (afinal, o projeto é deles, eles podem tirar do ar quando quiserem e quem forkeou pegou, quem não fez isso, se ferrou), porém, esse tipo de atitude queima o filme deles com muita gente.

Essas experiências que tive foram minhas, e são os meus motivos de ter a confiança no desenvolvimento do firefox destruída até o ponto de eu preferir usar o edge ao invés do firefox (considero o edge muito mais confiável que o firefox), porém, imagina quantos outros episódios parecidos com esses ocorreram no passado, criando assim aversão de muita gente à este navegador.

Claro que existem muitos fatores que levam os chromium based a dominar o mercado, situações como o fato do chrome acompanhar todo equipamento android, da mesma forma que o internet explorer liderou o uso de navegadores um tempo (no passado) por conta de já vir instalado no windows. Porém, os desenvolvedores parecem fazer força para criar marketing ruim sobre o firefox, o que prejudica muito, infelizmente, e acaba ajudando o chromium a se tornar o padrão absoluto da internet em termos de navegador.

Edit:
A sim, no fim não falei o meu navegador padrão. De 2003 a 2021 meu navegador padrão ficou entre firefox e opera (exceto no linux que teve o chrome um tempo, além desses dois). Hoje meu navegador padrão é o Vivaldi.

4 curtidas

Interessante!

Assim, eu tbm fui dos que abandonei o Chrome já tem algum tempo - acho que na minha primeira instalação do Mint, em 2019, passei a usar o Firefox, não me preocupei em instalar o Gugle, mesmo tendo várias contas e usando ao menos uma sincronizado.

Quando descobri o Brave, já usando Manjaro, adotei-o, importei favoritos e senhas e coloquei os primeiros no Brave e as senhas no Bitwarden. Uma coisa legal do Brave é poder fazer sincronização sem a necessidade de uma conta com email (como o Gugle e o FF Sync, que ainda uso). Por mais que passe pelos servidores dele, a chave fica comigo. Mas acabo usando, para diferentes coisas, o Brave, o FF e até mesmo o Chromium. Contudo, Chrome mesmo nunca mais, nem mesmo no celular. Cansei de ser o produto pq o produto é de graça… ou melhor, cansei de ser o produto da Gugle, vou deixar pra concorrência me “vender” - hehehehehe

2 curtidas

Tecnicamente o Google Chrome e todos os navegadores baseados no Chromium são melhores, como desenvolvedor recomendo fortemente o Chrome, apesar de usar um bom tempo no passado o Mozilla Firefox, hoje em dia só abro para testar compatibilidade dos WebApps que desenvolvo.

Abaixo segue um print parcial tirado do site Can I use comparando os principais navegadores, da para ver claramente qual navegador tem mais verdinhos. :wink:

7 curtidas

eu não uso pq ele não e padrão do android a pra salva uma coisa e ter que salva novamente navegador no celular caso eu precise, tem ele pra celular tbm mas achei muito pesado e o fato de precisar de mais uma conta no navegado e no celular e complicado, fora ter dois navegado em alguns celulares ate 3 navegadores.

2 curtidas

Uso Firefox no desktop, laptop e no Android (moto e7) por algum motivo o Chrome sempre trava ou não carrega as paginas quando mais preciso e no Firefox nunca me deixou na mão, assim como no desktop/laptop…

O Firefox é alguns ms mais lento no geral, mas posso conviver com isso, fora que é a escolha das distribuições Linux que uso, o que me traz mais confiança…

4 curtidas

Eu uso o Firefox (somente ele) há mais de 10 anos. Eu já tentei sair e ir para o Chromium( nunca para o Chrome, que a meu ver é um espião) mas não consigo.

O Firefox é visualmente agradável e tem funções das quais eu preciso.

5 curtidas

No celular eu comecei a usar Firefox porque não havia nenhum suporte a extensões no Chrome mobile, e com o navegador ficando mais estável para mim a cada versão vejo cada vez menos motivo de sair.

Pro PC, honestamente Firefox e Chromium não tem muita diferença. Revezo facilmente entre os dois (já que uso poucas extensões, que estão disponíveis em ambos) conforme o que vier instalado na distribuição. A decodificação de hardware funcionar no Wayland também é um bônus interessante.

Usuários de Gentoo devem entender imediatamente minha preferência pelo Firefox.

5 curtidas

Eu amo o Firefox mas não sei por quê no Linux o YouTube sempre fica travando/lento nesse navegador. Atualmente estou usando o Edge (unica coisa da micro$oft que eu me rendi) e tô gostando bastante, me surpreendeu esse navegador. Como tô na facul e não queria me desfazer do meu querido Firefox eu deixei pra ele só as coisas da faculdade e as coisas pessoais estão no edge mesmo.

Se um dia o youtube funcionar perfeitamente no Firefox aí eu voltarei totalmente pra ele.

Detalhe: no janelas o youtube sempre funcionou bem no firefox por isso não entendo essa diferença no linux :confused:

1 curtida

Provavelmente deve ser o suporte a aceleração de hardware, no meu caso o Firefox é o único navegador que eu consigo ver vídeos a 60fps.

1 curtida

Pelo menos dentro das distros Linux o Firefox é o que oferece melhor suporte para decodificação de video acelerada por hardware, no Chrome é possível habilitar mas não funciona muito bem, ainda mais no Wayland. O Edge nem sequer traz a opção pra habilitar na build que a Microsoft disponibiliza.

2 curtidas