TigerOS 23 vem aí! Conheça a questão da software center

Até pouco tempo atrás, quando um brasileiro precisava de um programa para determinada tarefa, recorria ao Baixaki ou Superdownloads, com as gambiarras que enchiam os navegadores com toolbar.
Quando surgiu a Windows Store, a própria Microsoft teve dificuldades de conduzir seus usuários para ela, que em tese, seria uma forma mais segura de se instalar determinado software.

Quando o TigerOS passou a ter colaboradores no seu desenvolvimento e ganhar mercado, a questão de tornar a pesquisa e instalação de programas mais simples e gráfico para usuários iniciantes, foi um dilema.

A série 21 vinha com a Mint Install, pois seu esquema de categorias sempre me agradou. Sem contar que fui bem-sucedido em ensinar usuários leigos a pesquisar por ela.

O que me incomodava era a dificuldade relacionada com a instalação de outros formatos de pacote, principalmente flatpaks.

Sim, a Mint Install vinha com uma categoria com esse nome, mas perdia-se a opção de pesquisa pela categoria.

As 3 opções que mais me chamam a atenção são:

  1. Kylin Software Center
  2. DDE Store
  3. PopShop

Os problemas.
A versão para download no site do Ubuntu Kylin além de não instalar na base 22.04, trás bastante dificuldade para a tradução, principalmente de algumas imagens, que não estão no formato SVG.

Sem contar uma questão compartilhada com a DDE Store: a impossibilidade de usar outro formato de pacotes que não sejam .deb

DDE Store

Mas e a Gnome software? Ela resolve essa questão de pacotes flatpak.

Verdade!

Daí entram 2 questões:

1 – sinceramente não acho intuitivo seu esquema de categorias

2 – aí já entra uma frescura minha: tudo quanto é distro vem com ela

E como listado: PopShop!

Ela é a que mais me agrada no quesito categorias e também, a facilidade de se lhe dar com pacotes flatpaks.

Maaaas tem seus próprios problemas.

Para quem não sabe, a PopShop é derivada da AppCenter do Elementary.

Como TigerOS possui seu próprio pacote de temas, o que acontece é: quando está com temas light, vários textos não aparecem, incluindo o botão de instalar.

Já os temas dark não exibem os textos corretamente, porém, Instalar é apenas uma palavra, sem nenhuma indicação de ser clicável.

Tentei descobrir em que parte do código dos temas oficiais do PopOS estão as instruções para corrigir os referidos problemas, mas não consegui compreender.

A solução: encapsular a PopShop para que sempre abra usando o tema da distro base.

O novo problema: ela vira um alien entre os demais programas.

O foco do TigerOS: empresas.

O que também me incomoda na PopShop é a dupla sessão: Pop!Picks e atualizados recentemente. Motivo: não exibem quase nada realmente útil a uma empresa.

Solução: ocultei ambas as sessões. A ideia é de mais para frente, criar uma sessão chamada “Sugestões (do editor?)”, alterando a cada X tempo, o que aparece por lá.

Ainda referente as categorias, sinceramente me incomoda uma “duplicidade”, mas esse não é o termo correto.

Por ex, temos as categorias:

Escrita & linguagem não é muito diferente de Escritório. Logo foram unificadas apenas como Escritório.

Áudio, Vídeo e Produção Multimídia.

Optei por unir as 3 como multimídia ou Áudio & Vídeo.

Mas Produção Multimídia são ferramentas “a parte”.

Tenho consciência disso, mas no momento, meu principal pensamento é:

Um usuário leigo vai se orientar mais facilmente se procurar por um editor de áudio ou vídeo em Áudio & Vídeo (Multimídia?) ou no nome atual?

Pra terminar: o formato das categorias foi alterado, ficando arredondados. Mas a ideia é a de, logo mais, alterar o visual atual.

O resultado atual é esse:

Então se alguém desejar colaborar com a questão de criar uma sessão de “dicas do editor”, será muito bem-vindo.

Ah, mas não conheço Vala.

Muita coisa usa CSS e lógica de programação.

Espero não ter problema de incluir esse print

6 curtidas

Estava dando uma olhada nos repositórios do Rudra Saraswat, mantenedor do Ubuntu Unity, encontrei a “Modren: a loja linux moderna para todos”, pode ser interessante incluí-la em seus testes:

Tem suporte a: pacotes APT, Snaps, Flatpaks da Flathub e arquivos de pacote DEB.

1 curtida

Problema é a falta de foco do cara.
As vezes parece q ele está codificante a esmo, para ver o q cola e mais gente se interessa em ajudar. A questão é: será que conseguirá manter o Ubuntu Unity + BlendOS + tanta coisa?
Muita coisa no GH está a anos sem atualização.

Aqui lutamos bastante para ajeitar a PopShop para rodar legal no TigerOS. Ficou alienígena?
Sim!
Mas por enquanto quebrará um galho, pelo menos até conseguirmos configurar o código dos temas atuais para corrigir os problemas mencionados.

1 curtida

Uai, mas so porque um software não recebe atualização isso não o torna quebrado, para saber se um software ainda funciona é so testando.

1 curtida

A pergunta é: até quando? Qual a garantia de q numa atualização do sistema, o software não quebrará por conta da atualização, por ex, de uma biblioteca?

Pelo que observei nos códigos, ele usa zenity, html e python, duvido que quebre em uma atualização.

A ideia era te indicar para uns testes, assim como seu sistema tem a belíssima e funcional tela de boas vindas, imaginei que uma loja personalizada autoral poderia somar em seu projeto, ao menos para inclusão de novas ideias e remodelagem. Poderia até fazer um fork e ir moldando conforme o desejo: inclusão de personalizações do TigerOs e, quem sabe para o futuro, lançar uma loja própria com essa base.

1 curtida

Pior que só me preocupei em comentar sobre um possível problema e acabei esquecendo de agradecer a sugestão.
Tenho que terminar umas videoaulas antes do lançamento oficial.

1 curtida

Pessoal esquece que ele tem 13/15 anos e parece que esqueceu como a gente era nessa época. haha

2 curtidas

Hj, como idoso q sou, me preocupo com foco, mas na realidade, queria ter sido tão ativo como ele.
Quando comecei a mexer com 1 computador (1997), era do mercado do meu cunhado, então não tinha liberdade, embora tenha instalado Doom 1 e 2 além de Mortal Kombat 1.

Ah sim! Eu acho ele fabuloso, uma inspiração para jovens e adultos.

Porém, acho válido separar as coisas. É preciso entender que ele está numa fase onde elementos como responsabilidade, planejamento, e a própria evolução pessoal e profissional é badernada e confusa.

Ele mesmo ainda não encontrou “o projeto” dele. Não imagino que esses que ele fez sejam os últimos, inclusive, mais devem vir no futuro. Com o tempo e o amadurecimento, ele vai perceber o que realmente quer fazer, e essa “metralhadora de projetos” deve reduzir um pouco.

Não tem a ver com diminuir o talento que ele claramente tem, mas francamente, se fosse uma empresa, com 100 funcionários, fazer uma só distro bem feita já seria trabalho o suficiente para deixar todos ocupados, imagina quando é uma pessoa só? Sendo o Rudra, ou qualquer outra pessoa, seja um adolescente ou um adulto.

Ele tem mais é que continuar fazendo sem ligar para qualquer crítica, mas do lado de quem usa e recomenda, também precisa haver uma sensatez, até para não colocar um peso desnecessário nas costas do garoto.

2 curtidas