System76 Lemur Pro, um poderoso laptop feito para Linux

A System76 têm produzindo computadores com um sistema operacional próprio, ajustado para tirar o máximo proveito do hardware, comparável com o que a Apple faz, mas em versão totalmente aberta, dando liberdade ao usuário para fazer upgrades e escolher seu sistema operacional favorito.

O novo System76 Lemur Pro é um laptop compacto, que pode vir de fábrica com o Pop!_OS, sistema da System76, ou com o Ubuntu, da Canonical. Ele traz firmwares livres, como o Coreboot, que resolve o problema em alguns aparelhos, onde distros não coneguem suspender e despertar corretamente, além de outros que permitem tudo funcionar corretamente. A melhor experiência deve ser com o Pop!_OS, mas os firmwares estão disponíveis nos principais repositórios, permitindo que a maioria das distros funcionem corretamente.

No site oficial, encontramos o novo Lemur Pro à venda a partir de US$ 1.199. Nas configurações básicas, ele apresenta um processador Core i5 1335U, com 10 núcleos e 12 threadas, operando a 4.6 Ghz, 8 GB DDR5, 250 GB em SSD M.2, apoiados por uma poderosa bateria, capaz de prover até 13 horas de autonomia, algo raro.

Podemos escolher um processador mais poderoso, Core i7 13ª geração, até 56 GB de RAM, 4 TB M.2, além de armazenamento M.2 extra. Ele traz um carregador 65 W, com conector cilíndrico, mas também pode ser recarregado via USB-C.

Em testes feitos pela equipe do portal Wired, a autonomia e desempenho surpreenderam, apesar de contar com GPU integrada ao processador, o laptop conseguiu desempenhar bem trabalhos mais pesados, como edição de vídeo em alta resolução, tudo isso num corpo compacto e leve, fácil de transportar na mochila. A tela FHD de 15 polegadas, apresentou boa qualidade de imagem e brilho, mesmo sob o sol, além de ter algo raro em laptops: uma boa webcam.

Produzido por um fabricante “white label”, a Clevo, o System76 Lemur Pro possui componentes de alta qualidade, muito integrados ao software, oferecendo uma das melhores experiências em laptop.

8 curtidas

A Tuxedo também lançou notebooks novos, com a 4° geração dos processadores Ryzen. Preços começando em pouco mais de mil euros.

2 curtidas

o problema e que esses da tuxedo sao muito caros

Se entregarem no Brasil , soma-se a remessa conforme. Se já tá salgado o preço para os padrões brasileiros, imagina com mais 92% de imposto.

1 curtida

acho que o jeito seria pegar com importador

Meu sonho era o @Dio ser rico pra Diostore ser importadora e distribuidora oficial dos produtos da System76 e Tuxedo.

2 curtidas

:wave:t2:

Rapaz concordo 1000% e seria sensacional a marca Diolinux trazendo para o Brasil, computadores, acessórios, exclusivos do Mundo Linux, com parcerias com a System76, Tuxedo, tem uma na Espanha muito legal também a Slimbook, (https://slimbook.es/), o Nick do canal The Linux Experiment constuma falar bem desta marca. E deve ter outras que focam em hardware para o mundo Linux.

O talvez problema seria o valor final do produto em BRL - Reais. Se o Lemur está custando $1199, pode praticamente multiplicar por 10 que será o valor final dele no Brasil em Reais :man_facepalming:t2:, não precisa nem fazer conta de Dólares para Reais. (Galaxy Tab S8 Ultra nos USA $950, no Brasil… R$9000)…

:vulcan_salute:t2:

1 curtida

Sim, tem o Slimbook, tem hardware da equipe do Manjaro e deve existir outras mais; como existia no passado também a Zareason.

Se a importação de tais produtos é algo ainda distante, mediante o câmbio, custos e etc; creio que ainda sim daríamos pra ter bons produtos certificados para Linux aqui. Uma Positivo tem capacidade de junto de uma loja fornecer bons produtos, com certificação de funcionar 100% com Linux, tal como várias destas marcas citadas tem parceiros chineses, ou usam notebooks licenciados da Clevo.
A questão é alguém disposto a negociar e certificar produtos para comercializar no seu e-commerce. Meu notebook é um Vaio, montado pela Positivo-Bahia; modelo muito bacana, condizente com o preço, bom hardware até; se fosse um notebook certificado para funcionar com alguma distro específica, creio que não teria os problemas com o touchpad genérico, que ainda não está corrigido no Libinput. O mesmo problema dos Compaq, montado também pela Positivo.
Imagina um hardware certificado, uma linha de produtos focadas no Linux; um suporte específico pra quem usa Linux; é nicho? É, mas talvez se torne rentável.

1 curtida

tem a starlabs tambem,eles tem uns computadores legais ate,bom eu acho que se a positivo botasse linux nos pcs deles ia ser bem melhor doq com windows todo travado

1 curtida

A questão é certificar máquinas para que rodem perfeitamente; porque eu comprei um Vaio que veio com uma distro desconhecida, Policorp; e funcionava tudo, mas qualquer outra distro que instalei tive problemas com o touchpad genérico, e isso é irritante.

Imagina só um Diobook ou Bigbook; respectivamente uma máquina certificada pela Diostore ou hardware certificado pelo Big Linux.

1 curtida

ia ser legal soq precisaria de investimento

1 curtida