Reaproveitando dispositivos de TV antigos

Esta semana o técnico da Claro veio aqui em casa para poder substituir o equipamento de internet e eu deixei separado o aparelho de TV, que já estava desconectado há mais de 2 anos, mas eu estava pensando sobre isso já há algum tempo: será que é possível utilizar os aparelhos de TV “abandonados” pelas empresas de uma forma diferente do que eles foram inicialmente projetados?

Eu explico: o hardware tem capacidade para recerber e transmitir informaçòes de rede, decodificar sinais de vídeo e receber instruções via controle infravermelho, mas também consta de porta USB e certamente tem um processador capaz de rodar um sistema operacional razoavelmente robusto para poder dar conta de todos estes recursos.

Assim sendo, considerando que um Raspberry Pi de primeira geração já era capaz de rodar um servidor de mídia caseiro, será que é possível fazer o mesmo aproveitando estes equipamentos? Eles já estão há bastante tempo disponíveis e não seria novidade lidar com software personalizado para recursos de operadoras, haja vista o OpenWRT, compatível com todo e qualquer tipo de roteador.

Qaundo digo “abandonados”, falo literalmente mesmo, quem nunca cancelou um plano ou trocou de operadora para escutar o “passaremos ai para buscar o equipamento” e isso nunca aconteceu? Além disso, como disse, muitos equipamentos já são bem antigos, datando de 2012 ou antes, e não há muito sentido em manter eles na sua proposta original, por falta de resolução 4k para os televisores modernos ou qualquer outro recurso que seja importante e necessário para o consumo de mídia novo.

Eu busquei no YouTube e em alguns foruns mas não encontrei ninguém falando sobre esta possibilidade, talvez porque seja impossível mesmo, mas achei que valreia a pena iniciar essa conversa por aqui. Estou em posse de um Humax HNB100 da NET (hoje Claro), e tinha interesse em me aventurar nessa proposta.

Para quem trabalha na área ou já tem algum conhecimento prévio no assunto: é possível, conhecem algum caso em que isso já foi feito ou tentado?

1 curtida

Olá! =)

Após o cancelamento do serviço, a retirada dos equipamentos deve ser realizada pela prestadora, sem custos para o consumidor. Os equipamentos podem ser retirados pela empresa no endereço indicado por você ou você pode entregá-lo em local conveniente. Caso a empresa não recolha o equipamento até 30 dias depois da solicitação de cancelamento do serviço, você não possui mais responsabilidade sobre a guarda e a integridade dos equipamentos.

Fundamentação Legal: Art. 19, §§ 5º e 8º da Resolução nº 488/2007 da Anatel.

Segundo o que está dito aí a operadora não pode mais reclamar o dispositivo para ela… No entanto… No entanto já ouvi falar de clientes que arrumaram problema com assistências técnicas após o prazo de trinta dias sem irem buscas os aparelhos deixados para reparar, após a data de aviso do “vem buscar que tá pronto”.

Dito isso, se você quiser se precaver antes de se aventurar a fuçar no equipamento, tente fazer a devolução do produto.

Sobre o que pode ser feito para aproveitar o hardware… Em algum projeto maker… Ou como isso pode ser feito… Não tenho nada a dizer. :roll_eyes:

Olá @Votherou, obrigado pelas informações. Sim, eu sei que existe um protocolo a ser seguido na devolução, eu teho, entretanto, outro aparelho do mesmo modelo, e alguns amigos passam pelo mesmo, então a preocupação não é tanto pela viabilidade legal na devolução mas sim pela possibilidade de se realizar essa modificação no sistema do aparelho.

1 curtida

Olha, geralmente esses aparelhos são desenvolvidos com sistemas embarcados de código fechado, além de travas de boot. Teoricamente é possível, mas o fato de não ser facilmente encontrado “open roms” para eles já indica que o processo é trabalhoso e pode sequer valer a pena.

Infelizmente esses aparelhos, alguns modelos de celulares e aquelas primeiras tvs smart seguem no mesmo caminho de virar lixo tecnológico por ter código fechado, que já foi desenvolvido desde o começo para não poderem ser aproveitados de outro modo.

3 curtidas

Concordo. E, também acredito que a maioria desses box mais datados possuem um hardware que não deve atingir nem as specs do Raspberry Pi. Então ao tentar rodar qualquer outra coisa sem os blobs oficiais que ativam os codecs de hardware não devem conseguir realizar nada direito.

1 curtida