O Linux precisa estar pré-instalado nos computadores à venda para crescer

https://diolinux.com.br/noticias/linux-pre-instalado-computadores.html

Após assistir ao Daily Driver Challenge do Linus Tech Tips, Nate Graham percebeu que para o Linux se tornar popular, ele deve ser pré-instalado em computadores de varejo.

13 curtidas

O problema é o usuário comprar um computador com um sistema operacional baseado em qualquer coisa não-Windows pré instalado e correr logo para o primeiro técnico meia boca da esquina com o objetivo de instalar qualquer Windows, seja pirata mesmo, desde que seja Windows. Já vimos este cenário muuuuuitas vezes. Mesmo se a distribuição pré-instalada for alguma que realmente tem alguma preocupação com o usuário final, o mesmo vai tentar instalar os programas dele, ver que não vai ter jeito e pedir pra alguém arrumar. Não adianta nada simplesmente empurrar um sistema operacional guela abaixo no mercado por meio deste tipo de parceria, é necessário também um incentivo ao usuário para ficar por ali. Ele compra um computador novo e se vê em um lugar desconhecido, sem muita ajuda para resolver os problemas primários (como certos tipo de programas) sendo que o objetivo primário dele era simplesmente usar o computador.

21 curtidas

E se o Linux fosse distribuído em computadores de varejo?

Já vimos isso no programa Computador para Todos, não adianta o Linux vir pré instalado se ele não caminhar de encontro com o público, literalmente todas as vezes que eu disse apareceu um infeliz pra encher o saco… Então não creio que vá mudar muito

6 curtidas

Ele tem toda razão! faz anos que as distros deveriam buscar empresas para por seus sistemas em pc mais famosos, como a dell usando ubuntu uma epoca.
Uma distro que seria perfeita para muitos notebooks hoje seria o Zorin os, parece com o windows e é fácil de usar, empresas como a Asus, Dell, Acer, Lenovo e outras poderiam lançar alguns notebooks com sistema linux pronto.
Um dos motivos que eu usei o Pop os é que ele é o unico OS Linux feito por uma empresa que também faz pcs, então eu quis apoiar o projeto, eu quero que a distros cresçam pois eu quero concorrência pro Windows, por enquanto se continuar dependendo sempre instalar Linux pelo pendrive, Distros linux sempre vai ser minoria.

Tenho experiência própria com o assunto - X2 inclusive, de q isso é mera falácia.

Como comentado pelo @Natanael.755 na época do Computador Para todos, apenas lojas muito específicas, como da HP, q as máquinas vinham com XP, todas as outras marcas vinham com alguma remaster BR.

Como ex-funcionário de uma dessas distros, a FeniX, trabalhando no suporte, tenho certeza q 99,9999% dos compradores de máquinas com alguma distro, ligavam perguntando/pedindo ajuda para instalar o Windows. A taxa de pessoas q realmente mantinham, era praticamente nula.

Também como técnico de manutenção de computadores, cerca de 95% dos chamados, era para remover a distro e instalar o XPirata.

Mas vc tem certeza de q quem compra o hardware, mantém o Pop?

Como o Aghibi e o Natanael já falaram, vai mudar em nada. Usar Linux é coisa de “nerdola esquisito” como já foi debatido nos N tópicos “Qual distro você usa e por que?”. Não levem a mal, mas uma pessoa que se julga “normal”, vulgo efeito manada e só quer o PC ligar e usar (por muita vezes Windows pirateado), não vai mudar. Precisamos é parar, refletir e agradecer que gostamos de usar Linux, sabemos o mínimos de informática e não ficamos no pensamento “hehehe, Linux ruim, Widows bom, roda jogos, funciona Adobe”.

7 curtidas

Além da implementação feita atualmente.
A Dell distribui Ubuntu apenas no Dell G15 e uns inspirons de entrada.
A Lenovo usa uma distro defasada e descontinuada: Satux
A acer disponibiliza endlessOS mas cria uma partição com drivers de Windows, além do suporte não ser dos melhores e a distro ser mais “nichada” (na minha opinião)

Isso de distribuir em pcs de varejo foi algo que o Linus (Torvalds) contestou em uma entrevista acho que de 2011, mas não faz muito sentido se todos estão acostumados com o jeito Windows de usar o PC :confused:

1 curtida

Acho que flexibilidade, aparência, estabilidade e suporte como explicaram não é o bastante.

Me pergunto: Qual “Linux” seria este?

Pois não importa o OS, no momento que pesquisarem por Free Fire ou Photoshop ou qualquer que seja o app / jogo mainstream que não for compatível, vão correndo procurar o primeiro formatador que encontrarem…

4 curtidas

Penso que é possível explorar essa possibilidade, mas ela demanda algumas questões:

  1. Instalações OEM - é comum a pessoa comprar um pc com uma distro e não saber a senha, aí não consegue instalar nada (o Mint, nisso, é excelente, pois proporciona instalação OEM)
  2. Tour de pré e pós configurações mais detalhadas - indicando diferenças, como instalar programas, tutoriais de wine, lutris e proton/valve
  3. Mostrar as vantagens e desvantagens - um sistema mais seguro, gratuito, que evita pirataria, mas que é diferente, não é Windows. E que vc é livre para tirar o sistema, mas é por sua conta e risco e que instalar sistemas piratas é crime e viola os termos de garantia

Tem mais, mas já é um começo…

7 curtidas

Vou falar por mim: O Linux pode ficar como está hoje pois o sistema já tem notoriedade suficiente no mercado, até porque o mercado depende do Linux e sem ele, quase nada vai funcionar, ou tem alguém aí com dúvidas quanto a importância do Linux para a tecnologia geral atual?

Agora a ser o sistema mais usado entre pessoas comuns, isso ainda vai demorar muito tempo! Se é que vamos chegar à esse cenário. Simplesmente colocar o Linux pré instalado em computadores novos, não vai fazer “crescer” o sistema para esse público. A transformação desse cenário virá aos poucos, como já ocorre atualmente da alta demanda por profissionais que conheçam o Linux.

Assim, quem sabe, com o mercado começando a exigir no mínimo o conhecimento do sistema, as pessoas comuns venham a se interessar, conhecer e por fim, preferir o Linux nos seus computadores.

3 curtidas

As distros serão sempre coisa de nicho. Pode ser que esse nicho aumente um pouco mas vai ser sempre assim.

O que pode mudar eh uma empresa criar um SO (ou plataforma) baseado no kernel Linux, padronizar as coisas e bancar a distribuição do mesmo junto às fabricantes. Aí sim tem espaço pra crescer e muito, basta ver o chromeOS. O resto eh utopia.

Como um amigo falou acima a gente tem que ficar feliz por poder usar o sistema e ele estar tão bom atualmente e de graça!

1 curtida

Bom dia. Penso que a melhor maneira do linux entrar na vida das pessoas, é conseguir o apoio maciço dos governos e empresas públicas para a troca do sistema operacional no dia a dia. Serão milhares de funcionários que usarão inclusive o Libreoffice como ferramenta de trabalho, ambientando-se com este sistema operacional.
Quantos mil professores no Brasil poderão ser os multiplicadores do uso do Linux?
Mas a primeira experiência é muito importante. Ao ligar a máquina, o usuário deve receber de forma simples e direta, a mensagem das vantagens deste sistema, e junto, pequenos tutoriais em vídeo para resolver dúvidas e descobrir as funcionalidades mais usadas por usuários comuns especialmente focadas na estabilidade e segurança no uso das redes sociais e plataformas de vídeo, que é o que 98% dos usuários mais jovens usam, incluindo aí, crianças.

2 curtidas

Desejo que as distros Linux NUNCA foquem em ser a mais usada e sim a MELHOR. O Mac OS não é o mais usado e é um sistema operacional excelente e o foco do sistema é ser cada vez melhor do seu jeito. Distros Linux não são as mais usadas mais são ótimas, e na minha opinião devem continuar focadas em ficar cada vez ainda melhores, cada uma do seu jeito e com suas características, melhorando sempre a segurança, o desempenho e a estabilidade. O Windows sim é focado em ser o mais usado, e é de todos o sistema mais pesado, o mais bugado e com pior desempenho em comparação com os demais já citados acima.
É claro que acredito que o sistema vindo já pré instalado em Notebooks pode sim ajudar outras pessoas a conhecerem boas distros Linux, mais somente se junto ela receber uma boa quantidade de informações sobre ele, os muitos benefícios como a segurança do sistema, dos dados pessoais dela, do desempenho e leveza dele, da loja de aplicativos, dicas de como usar o sistema, como baixar programa na loja, como obter suporte e ajuda do fabricante e também da comunidade que usa aquela distro Linux.
Hoje em dia as pessoas pesquisam sobre absolutamente tudo na internet em busca de informações, mesmo os leigos em tecnologia, e acho que é exatamente isso que elas precisam para gostar do sistema:
1 Saber previamente que ele existe;
2 Que ele funcione bem e conhecer as vantagens de se usar uma distro Linux nos quesitos segurança, leveza e nos uso de seus dados pessoais ou dos dados da sua empresa.
Se as distros Linux focarem em serem os sistemas mais populares acho que podem se perder pelo caminho.

2 curtidas

Foi isso q aconteceu na época do Computador para todos, como descrevi anteriormente. Fracassou!

No governo Lula tentaram. Fracassou!
Nesse caso posso citar 3 casos:
1 - MS pagando propina para deputados exigirem o Office proprietário, por conta de funções inexistentes no LibreOffice na época, mas nem por isso usadas.
2 - Incompatibilidade de arquivos criados no MS Office 2007 (principalmente).
3 - Funcionários fazendo todos sabem o q, doce q não sabiam como usar o sistema

Quase nenhum, no PR e alguns outros estados tentaram fazer isso. Os profs boicotaram, pedindo por softwares proprietários.

1 curtida

Outro problema, é que se o usuário comprar um micro com linux, a empresa onde trabalha ou na escola onde estuda, tem que ser linux também. Usuários novos vão ter dificuldade em se adaptar à nova interface, ou mesmo os tipos de arquivos. Parece que ainda existe um tipo de receio em migrar para linux.
Drivers de vídeo, ou rede devem ter atualizações rápidas e fáceis de instalar pelo próprio usuário.
Deveria existir algum incentivo à pesquisa em fóruns e sites, por respostas rápidas e fáceis de ajudar em algum tipo de problema.

Linux Educacional é basicamente tudo isso e tudo que ele fez foi afastar pessoas

Cara, você tocou num ponto importante. A Universidade Federal daqui já faz isso. Usa Linux nos seus computadores. Lembro que eu usava sem nem saber o que era. A estadual que trabalho ainda está com o windows. Mas acho que um bom começo é ir pelos convênios das Universidades com empresas que possam disponibilizar o uso sem ter que pagar caro. Os usuários se acostumam a usar. Claro que isso é uma pequena parcela, mas concordo que é possível ir apresentando distros e apps devagar. Minha namorada já usa o Libreoffice, VLC, Okular e está começando a usar o Inkscape. Comecei assim até estar com o Fedora KDE, apenas. Porém, concordo com os amigos anteriores que competir de igual pra igual com o windows seria utópico. Eu vou apresentando o que posso aos meus alunos e colegas professores.

Alguns meses atrás eu divulguei q a Unifafibe de Bebedouro SP tornou-se parceira da minha distro, o TigerOS. Ano q vem serão muitas outras, além de ONGs q ofereçam cursos profissionalizantes.

4 curtidas

Simplesmente apontar que pré-instalar um Linux em Notebook ou desktop, automaticamente, o fará crescer é uma análise simplista demais.

É mais provável que as distros sejam engolidas, no médio prazo, pelo ChromeOs em virtude do menor custo, integração com Playstore, similitude com celulares Android, etc., do que consigam ter mais penetração no mercado.

No meu entendimento, o Linux desktop é um nicho e cada Distro é um sub-nicho e, na minha visão, nos próximos anos uma quantidade massiva de distros vai perecer.

Seja pela incapacidade de atrair usuários que virem devs e retribuam, seja pelo Windows aglutinando cada vez mais o Linux ou pelo ChromeOs tomando mais parcelas do segmento de entrada e médio de Notebooks.

Uma coisa que eu acho q seria interessante mas que ainda nenhum distro ainda n oferece seria termos uma suíte como Office 365, G Suite etc. Imagine um [Sua Distro Preferida Aqui] Docs, Mail, Drive etc. Seria algo que demandaria muito investimento, mas seria muito interessante.