O futuro do Ubuntu Cinnamon Remix

Recentemente Joshua Peisach do projeto Ubuntu Cinnamon Remix, publicou algumas notas no blog do projeto, falando sobre o futuro da distribuição e o impacto que o projeto terá aos usuários já que as notícias não são as melhores,

A equipe do Ubuntu Cinnamon Remix, precisa de permissões para fazer o upload para repositórios do Ubuntu, algo que eles não podem fazer por algumas razões. O objetivo deles é não ter um PPA, eles deveriam ter o mínimo de pacotes nele. A solução seria mover os pacotes para os repositórios oficiais do Ubuntu.

Segundo Joshua, há algumas desvantagens cuja maioria delas está relacionada apenas a ele, mas que possuem um impacto aos usuários.

Em resumo, após o dia 13 de agosto(uma semana após a point release), o projeto irá focar no status de flavour. A equipe trabalha não apenas com pacotes do Ubuntu cinnamon, mas em pacotes do cinnamon como um todo e a inserção desses pacotes no Ubuntu, é um processo complicado, já que os pacotes devem ser públicos ao Debian. Com vários problemas que surgiram, Joshua Peisach irá parar nesse ponto.

Em 13 de agosto, os pacotes de terceiros da distribuição, não serão mantidos até que eles possam saber o estado. Então os pacotes do PPA serão excluídos, e o código no GitHub será arquivado. A equipe do Ubuntu Cinnamon Remix, recomenda que os pacotes .deb sejam salvos em algum lugar caso alguém queira.

Joshua não achou que chegaria a esse ponto, porém a posição que eles estão é um tanto quanto desconfortável e sabe que esse post pode causar problemas e parecer pouco profissional da parte do projeto, já que eles estavam querendo entrar no status de flavour.

Você pode conferir a postagem completa a partir desse link.

O que você achava do Ubuntu Cinnamon? Você espera que o projeto seja retomado em breve? Deixe nos comentários pra gente, confira nosso Feed RSS e até a próxima notícia, dica ou tutorial.

2 Curtidas

Estranho, é como se Joshua estivesse querendo criar algum tipo de pressão para que o projeto seja aceito como uma flavour oficial. Pode ser apenas uma impressão minha, mas realmente está soando assim para mim.

2 Curtidas

Desperdício de tempo!
Já temos o Mint com o Cinnamon, cuja base é o Ubuntu, sem contar que eles não incluíram as ferramentas particulares do Mint, que ajudam o Cinnamon a ser o que é. Além de que, o que tem no repositório do Ubuntu, até aonde eu saiba, está algumas poucas versões atrás da versão oficial, do Mint.

Então não consigo enxergar razão plausível para a existência desse remix.

O que eu acredito que o Joshua deveria fazer, é trabalhar com a equipe do Mint e ajudar a evoluir o Cinnmamon.

6 Curtidas

Concordo…

1 Curtida

Concordo, Mint Cinnamon já é suficiente e bem estável.

Muito melhor utilizar diretamente o Mint, ou baixar os pacotes do Cinnamon no repositório do Ubuntu e utilizar a DE normalmente.
Mas são as liberdades do Software Livre, concordo inclusive que a equipe poderia contribuir com o time do Mint no aprimoramento do Cinnamon.

2 Curtidas

Quando eu vi esse Ubuntu Cinnamon pela primeira vez eu achei que era uma piada, não vejo sentido nenhum na continuação desse projeto

1 Curtida

O que eu acredito que o Joshua deveria fazer, é trabalhar com a equipe do Mint e ajudar a evoluir o Cinnmamon.

Perfeita colocação, seus esforços seriam muito mais aproveitados trabalhando junto ao pessoal Mint do que focar em mais uma flavour do Ubuntu pq nossa ja tem até demais :rofl: :rofl: :rofl:

1 Curtida

Discordo plenamente meu caro!

Existem diversas diferenças entre uma distro baseada no Ubuntu e uma flavour oficial.

Para se tornar uma flavour oficial, o projeto deve seguir uma série de “regras” que devem ser seguidas, e que no logo prazo podem influenciar bastante a utilização do usuário. (Você pode checar nesse link).

Claro que no fim das contas você poderia argumentar que isso é uma besteira, e que isso não influencia na experiência final do usuário, e talvez seja o caso para certas pessoas, mas falando especificamente do Linux Mint, não sei se você ficou sabendo, o projeto decidiu bloquear a instalação de pacotes Snap por padrão, o que nunca aconteceria numa flavour oficial, já que acredito que deva ser um pré-requisito adotar as tecnologias padrões da Canonical na distro, excluindo algumas exceções.

Sobre o fato de contribuir com o desenvolvimento do Cinnamon, é muito provável que o Joshua tenha contribuição bem ativa no projeto, da mesma forma que a Canonical tem contribuído bastante no Gnome.

Uma coisa linda do open source é a possibilidade da descentralização de ideias e a criação de comunidades, na minha opinião, é mais interessante que haja mais projetos utilizando o Cinnamon de forma ativa do que manter um certo monopólio nas mão do Linux Mint. Mesmo que ambiente tenha se originado com eles, dentro da filosofia open source, faz muito mais sentido pensar que o projeto Cinnamon ganha novos ares e novas possibilidades caso tenhamos o aproveitamento por parte de outras distros.

3 Curtidas

Sim, estou por dentro. O Clement decidiu agir dessa forma com o projeto que ele está a frente.
Como comentei em algum grupo do Face: por mim, o Mint seria descontinuado e o Cinnamon se tornaria uma flavor do Ubuntu, que deveria “atualizar” sua Snap Store e Atualizador pelos que foram criados para o Mint.

Tenho que admitir que estou beeeem por fora dessa questão. Mas como a primeira ISO foi 1 trabalho pra lá de porco, tal como o DDE Remix, fico na dúvida.

1 Curtida