Novidades do Linux Mint para o mês de Julho de 2020

Confira o post completo no blog: https://diolinux.com.br/2020/08/novidades-julho-2020-linux-mint.html

Confira as atualizações mensais e novidades da equipe do Linux Mint para o mês de Julho.

5 Curtidas

Após ler a notícia não compreendi quais são as novidades do Mint. São as estatísticas identificadas? Obg.

1 Curtida

Essas são as “novidades” do Mint pro mês de Julho rsrs.

2 Curtidas

Interessante em ver como os usuários do Mint estão dando preferência para as versões .3 do que a versão recém lançada.

Eu mesmo usei muito o LMDE (acho que o “primeiro”) por muito tempo, migrando pra base Ubuntu, por conta da máquina que eu estava usando estar muito lenta com o Cinnamon, então precisei do Xfce.

1 Curtida

só estou no 19.3 porque não consegui atualizar para a 20 e não quero formatar já.

Lendo a página que eles tiram dúvidas sobre a atualização, percebi que não sou o único. Tem muita gente assim.

1 Curtida

Nossa, ficou parecendo que a novidade foi os devs do Mint terem aprendido a fazer gráficos no Writer ou seja lá qual editor usaram

3 Curtidas

Realmente, esse mês eles fizeram a apresentação dos dados que ajudarão a guiar o futuro do projeto, me parece que eles continuarão a ser conservadores em algumas questões do mint, focando mais na estabilidade do sistema, além de apresentarem o motivo do LMDE existir mesmo não sendo tão divulgado…

1 Curtida

Pessoal, tenho uma dúvida:
Por onde posso contribuir para o projeto do Mint?
No caso, relatando bugs, sugerindo melhorias, donates…

Encontrei esta página do linux mint sobre como você pode se envolver: Get Involved - Linux Mint

A realidade é que o Linux Mint é uma distro de “entrada”, ou seja: ela é extremamente win-like para reduzir a curva de aprendizado, minimizando ao máximo o impacto visual de quem vem do mundo Windows, então, como consequência, dificilmente veremos mudanças drásticas em seu visual.

Para quem não conhece a história, quando a fundação Gnome decidiu reformular a interface de seu Desktop, muitos odiaram. Como essa era a interface padrão, que ajudou o Ubuntu a ganhar popularidade, a própria Canonical também não gostou, tanto que eles preferiram adquirir o projeto Netbook Remix e trabalhar num desktop próprio.

Quem realmente quer usar o Mint, mas gostaria de um aspecto visual mais particular, minha dica é a de instalar a ISO com Xfce e executar os Xscripts.

1 Curtida

Nem imaginava que o Mint 17 e 18 ainda era utilizado, esto bem por fora do que acontece no Mint.

Verdade. Infelizmente, por mais que o Mint tenha um lugar no meu coração, vejo o Zorin hoje como uma solução mais viável e atrativa. Quando coloco na frente de alguém os dois, a escolha pelo Zorin acaba sendo quase imediata, sem contar que o Zorin investe pesado em melhorias em vez de focar no tradicionalismo, o que acaba agradando mais.

3 Curtidas

Valeu!!

Quanto ao que foi dito acima, concordo em partes.
A ideia de curva de aprendizado vai de cada um; acredito na ideia de que: se a distro for funcional, pode ser mais ou menos parecida com o Windows… tanto faz, basta atender aos requisitos. Outro ponto é que se você for no community do Mint, enxerga-se um gráfico bem controverso… enquanto comunidades brasileiras tem 2k de membros com o nome da Distro, o Mint só registra 431 usuários brs. O que isto representa? a ideia da mentalidade do “Se é de graça, eu não preciso ajudar em nada, só baixar e sair usando.”, mas creio que nós como usuários temos o dever de ao mínimo relatar bugs, sugerir melhorias, melhorar algo (se for da área), donates (se puder, é claro)… enfim, sou newbie neste mundo, pedi ajuda para o pessoal aqui na época kkkk, e aprendi muito lendo e testando. Ainda tenho muito para aprender, mas creio que enquanto eu for usuário do Mint, irei contribuir com alguma coisa, nem que seja um simples relato de bug ou me registrar no fórum para contagem reais de membros; desta forma, a curva de aprendizado continua sendo boa e eu dou um apoio a algo que me serve de forma gratuita.

1 Curtida

Por XP própria, sei que isso está bem longe da verdade. Infelizmente, as pessoas tornaram-se tão preguiçosas que o simples fato de a MS ter tirado a palavra INICIAR do botão do menu, substituindo-o pela logo do Windows Vista, fez muitas pessoas acreditarem que esse menu não existia mais.

A principal razão do w8 ter sido um fracasso, foi justamente a mudança radical na sua aparência, tanto que pouco tempo depois, tiveram que amenizar isso com a versão 8.1.

Até comentei sobre minhas XPs nesses 2 vídeos:

Acho que o Sr citou algo primordial nessa equação: a vontade do usuário.
Se o usuário quiser, vai aprender tanto na mais “fácil” quanto na mais “difícil”; isso varia do objetivo de quem está atrás do monitor kkk, mas o Sr. tá correto em relação a esta dificuldade de migração.

Obs: Seguia o seu canal e não sabia que era tu kk.

Eu lido muito com empresas e acredite: nesse caso, ninguém quer aprender algo novo, eles querem no máximo saber o nome das alternativas que existem no Linux, ou preferencialmente, instalar o que já estão acostumados no windows, mesmo que pirata.