Novidade no Microsoft Edge para Linux!

Nossa, agora eu entendi kkkkkkkkkkkkkk

1 curtida

Já pensei nisso também, rsrsrsrs, eita desenvolvimento demorado!

2 curtidas

Um pouco off-topic mas… Se o Teams, que é usado globalmente (querendo ou não), demorou por volta de duas semanas para receber um fix update na versão do Electron, que ainda usa a versão 10.x, que já perdeu suporte, e a versão atual é 16.x, quem dirá um navegador com pouca taxa de adesão em outras plataformas que não seja o Windows 11 e o 10…

1 curtida

Pode acabar acontecendo o mesmo que aconteceu com outros softwares proprietários que lançaram versões para Linux como o Foxit Reader e o Nero que tiveram pouca adesão e versões defasadas.

1 curtida

Vish, eu uso o Beta e até agora achei o melhor navegador que já usei, mas tenho esperanças que ainda esse ano sai o estável kkkkkkkkkkkk

Já foi confirmado que será lançado a versão estável ainda este ano.

1 curtida

Link, por favor?

1 curtida

N lembro onde vi. Mas parece q será lançado em novembro uma versão estável.

1 curtida

É o resultado de enrolar demais para lançar uma versão do seu software, as pessoas na nova plataforma vão acabar se adaptando a outras alternativas e quando lançares uma versão oficial ninguém ficará interessado.

Mesmo com o Microsoft Office, acredito que neste ponto, se lançassem uma versão para alguma distro não teria unanimidade como no Windows, pois muitos que migraram de lá se adaptaram a Libre, SoftMaker, Docs, etc.

1 curtida

“se lançassem uma versão para alguma distro não teria unanimidade como no Windows, pois muitos que migraram de lá se adaptaram a Libre, SoftMaker, Docs, etc.”

Tu acha mesmo que se a Microsoft lançasse um Office compatível com Linux, o pessoal não ia adotar porq já estariam usando outras suítes? Duvido muito! Quando verem que por exemplo não iriam mais precisar se preocupar com questões como compatibilidade, fontes, trabalhos problemáticos de faculdades, perca de formatação e etc, mudariam sem pensar 2 vezes.

1 curtida

Sim, o Foxit Reader para Linux sempre pareceu demasiadamente pesado se comparado a versão de Windows, o que levava qualquer um a ver que claramente as soluções já presentes nativamente no Linux eram muito melhores (para uso em Linux), além se serem Open Source. A versão do Adobe Reader para Linux era a mesma coisa, com o adicional de ser antiquada se comparada a versão de Windows e sofrer com problemas de dependências. O Nero versão Linux, era até mais leve que a maioria das versões para Windows, mas, em sua variante Linux parecia além de desatualizado, extremamente limitado. Qualquer um já adaptado com o Linux percebia que fazia mais sentido usar seus equivalentes em Linux.
https://helpx.adobe.com/br/security/products/reader-linux.html

https://www.hardware.com.br/comunidade/nero-linux/828131/

Sobre o Ms-Office eu não sei, porque ele tem o diferencial da compatibilidade com os seus próprios formatos proprietários, então, acho que quem lida com arquivos proprietários no trabalho, universidade, etc, poderia acabar instalando-o mesmo que como suíte secundária.

Usuários de Linux que sabem o que fazem, com certeza não iriam.

O que mais prende usuários no MS Office, isso falando em um contexto de Excel, Word e PowerPoint são as macros VBA, coisa que só seria resolvida, se fosse, se o Office fosse portado como a versão do Mac, uma sandbox, sendo que isso evita de conectar ao Access ou a outros SGBD’s. 95% dos usuários de Linux são um bando de nerd e que gosta de explorar o computador e não viver no “facismo” da Microsoft sendo “é isso, não gostou, não usa”.

3 curtidas

Ixi. Papo de filosofia não curto. Deixo pra 10 anos atrás. Hj em dia usuários querem praticidade. Basta ver o tanto de software proprietário que é usado no Linux hj pelos usuários (sendo que alguns nem percebem isso), como drivers wifi, de vídeo, tecnologias de drm, codecs e etc. Coisas q a galera antiga criticava d+. Como o próprio diolinux falou, acredito só ser de código aberto não mais basta hj. Tem q ter qualidade. Enfim, a era da loucura Stallman já passou (e que bom).

5 curtidas