Me ajudem a entender o WINE

#1

Como muitos usuários Linux, faço uso do WINE para rodar programas e jogos que não têm versões nativas pra Linux (ou até tem, mas…). Eu o uso há anos e atualmente estou com a versão 4.0 no meu Kubuntu 18.04.

Acho importante saber como ele funciona até para poder lidar com problemas de forma mais consciente, então aqui vai algumas perguntas:

  1. Galera, vou usar aqui o termo “drive” para se referir à pasta .wine criada no meu /home, não tenho certeza se este é o termo certo e se usamos outra palavra na língua portuguesa. No meu sistema operacional eu tenho dois drives, um em 64bits e outro em 32bits.

  2. Explain like I am five por que WINE não é considerado um emulador. Galera, levem em consideração que não sou da área de TI (faço graduação numa área completamente diferente), então não assumam que eu conheça termos muito complexos de software e hardware.

  3. Para que os programas rodem, às vezes eles precisam de outros componentes além do que o Windows básico já oferece. Por exemplo, para fazer uso do StarDict Editor eu preciso instalar o GKT Runtime tanto num Windows normal quanto num drive do WINE. Sabendo disso, aqui vai duas perguntas a respeito deste tópico:

  • 2.1. Quais sãos os componentes clonados do Windows que o WINE básico traz? (por “clonado” eu me refiro à softwares que foram reescritos para rodar no Linux e suportar aplicações criadas para Windows). Por acaso seria uma versão livre do WinAPI (falo do “WinAPI” aqui, mas não entendo direito ainda o que é uma API)? Uma versão livre do kernel do Windows (quase como um mini ReactOS dentro do Linux)? Versões livres de alguns dos componentes listados aqui?

  • 2.2 E quanto aos demais componentes do Windows que também são muito importantes como MSXML, DirectX, NET. Framework e Microsoft Visual C++? O WINE por si traz clones livres para quebrar um galho? Eu mesmo instalo esses componentes através do winetricks que, na verdade, baixa os componentes originais do site da Microsoft e então os instala no drive do Wine.

  1. Como funciona essa questão da “emulação” (desculpa, não consegui pensar em expressão melhor) da versão do Windows usada pelo WINE? Explico: no meu Kubuntu 18.04, mesmo o WINE 4.0 está configurado para “se comportar”(?) como o Windows XP por padrão (por que não uma versão um pouco mais nova por padrão como o Windows 7?). Quando eu vou lá no winecfg e troco a versão do Windows, por acaso o WINE muda os arquivos a serem utilizados? Por exemplo, vamos dizer que mudo do Windows XP pro Windows 7, por acaso o WINE passará a usar componentes “mais atualizados” (isto é, o que se esperaria do Windows 7) para que softwares recentes funcionem melhor?

  2. O que é aquele Gecko que o WINE sempre instala assim que um drive dele é criado? Também tem um outro, mas me esqueci o nome.

  3. O que o CrossOver (versão paga do WINE) traz de tão especial em relação ao WINE puro ou ao WINE “tunado” com softwares da Microsoft instalados pelo winetricks?

  4. Por que muitas pessoas não recomendam instalar muitos componentes da Microsoft (como MSXML, DirectX, NET. Framework, Microsoft Visual C++, etc) no drive do Wine? Não seria interessante ter tudo isso instalado?

  5. Há planos para, no futuro, disponibilizar o WINE já com o DXVK de fábrica?

  6. Quando abrimos o winecfg e vamos na aba Libraries, podemos adicionar algumas bibliotecas. Como isso funciona em relação ao winetricks? Pergunto isso porque não me lembro do winecfg fazer o download e instalação de bibliotecas enquanto o winetricks faz isso…

0 Likes

#2
  1. Você se refere ao C:\Program Files\ e ao C:\Program Files (x86)? Se sim isso, se eu não estiver errado, é só a mesma estrutura de pastas do Windows.

  2. Até onde eu sei o Wine “converte”.

2.1. Nenhum, eu acho.

2.2. Eu acho que ele não vem com esses componentes

  1. Não sei no kubuntu, mas no archlinux o padrão é Windows 7 (inclusive vi notícias que o padrão é o Windows 7 de agora em diante, de qual versão do Wine esse será o padrão, ou se é, não sei)

  2. Gecko é um motor de layout que o Firefox usa, talvez seja pro navegador do wine que vem embutido (o que parece com o internet explorer

  3. Automatização, igual o playonlinux. Ao invés de você se preocupar com quais componentes instalar (DirectX, net framework e etc) ele instala pra vc, e deixa separado também, então se um programa é compatível com uma versão mais antiga do Wine, ou mais nova, ele baixa aquela versão.

  4. Li em algum lugar nessa internet que os motivos podem ser 2, que esses programas conflitam ou que não é necessário ter todos esses programas (pensando no lado minimalista da coisa.)

  5. não tenho ideia

  6. também não sei responder

0 Likes

#3

Obrigado pela resposta

0 Likes

#4

Galera, para quem se interessar, eu fiz esta mesma pergunta no Reddit, têm respostas bem bacanas lá:

OBS: Está em inglês

0 Likes