Linux para uso doméstico e acadêmico

Galera, tenho já alguns dias usando o sistema operacional Linux. Atualmente estou usando o Kubuntu 22.04. Não quero voltar para o Windows devido à políticas de privacidade altamente abusivas para meu campo de entendimento.

O linux, nesses poucos dias, mostrou um sistema fácil de se mexer e aprender. Já entendi diversos termos, comandos no terminal, etc. Mas só tem uma coisa que me preocupa em continuar com o sistema: “Todo usuário enfrenta bugs e erros comumente?”

Para simplificar, trabalho durante o dia e, à noite, fico umas 4 horas estudando para concursos públicos. Basicamente, meu uso no Linux seria: "Libreoffice, internet, leitura de PDF (Okular), xournal ++, Obsidian (appimage) e "Drawio (appimage).

Logo, o Linux irá me proporcionar a mesma estabilidade que o Windows me dava? Ou seja, vou ligar o notebook, estudar numa boa e depois dormir sem nenhum problema? Ou, inesperadamente, poderá ocorrer bugs na interface, kernel dar problema, etc. Ontem mesmo já tive problemas com um tal de “initramfs”. Mas já arrumei! Foi um problema devido à queda de energia no meu apartamento.

1 curtida

Olá :vulcan_salute:

Primeiramente, te aconselho encarecidamente que busque por outros tópicos parecidos com o seu pois garanto que há e que estão recheados de bons comentários e dicas.

Mas, vou dar 2 indicações de distro ‘prontas pro uso’: MX Linux, que é base Debian Stable, ou seja, que mira estabilidade; e Manjaro com kernel LTS, ou seja, vem com um kernel mais testado e o restante do sistema mais atualizado.

Dá uma conferida nesse meu projeto AQUI .

Ele pode ter o foco em empresas, mas atende a todos os nichos.
O site oficial é esse AQUI , mas no outro link foi a versão + recente.

A dica que eu dou é: desabilite a localização automática de impressora, de bluetooth e alertas de atualização, que o consumo de Ram cairá uns 180mb.
Só ir no painel de controle, Sessão e Inicialização, para localizar essas opções q sugeri.

3 curtidas

Olá!

Resposta curta, Sim!

Terá tanta ou mais estabilidade.
Utilizando uma base bem difundida e estável o sistema se manterá tranquilo ao longo do tempo.

O importante é você manter e ou respeitar a política de atualização padrão do sistema.
A base Ubuntu que está, o Kubuntu é bem testada e boa. Uma vez instalado e salvo alterações constantes, testes de comandos, coisas forçadas, seu sistema tem altíssima probabilidade de continuar íntegro mesmo após ano.

No seu caso a questão do init… foi como você disse, queda de energia e isso é crítico para qualquer sistema e situação de atualização. Seja qual for… porém existem alguns bem mais “fortes” que outros para aguentar funcionar sem se corromper, mas ai ja começa entrar em outra seara de utilização.

Em suma, mantenha, vai de boa.
Só diga o seguinte, qual é seu equipamento ai? Notebook? Utiliza placas hibridas?
Atualmente experiências em fase de transição estão ocorrendo em alguns conjuntos que contém KDE, Nvidia e Wayland. Tal fato, principalmente porque a Nvidia tem um padrão de tecnologia de driver de vídeo proprietário que ainda está em fase de aperfeiçoamento para funcionar bem com o protocolo wayland que é o “cara” que vai servir as imagens em tela (bem grosso modo). O ambiente KDE, por isso o "K"ubuntu, avançou demais na integração com o wayland tbm, mas vez ou outra pode ter alguma regressão. Porém por isso importante manter o cronograma padrão de update estável porque alinham e consertam antes de chegar no usuário final na maioria dos casos (Windows tbm tem mesmos perrengues numa analogia quando se trata de updates).
Agora, se sua config vai pra intel/amd nativos ai é mais de boas ainda, bem mais porque utilizam drivers open com alta aderencia ao kernel linux e totalmente integrados à pilha de gerenciamento e drivers padrão do Linux (mesa). Não que na Nvidia você não possa utilizar o driver open source o Nouveau, pode, mas a performance dele para qualquer aplicação que requer 3D e poder utilizar o firmware interno da placa nvidia pra escalar frequência e etc não funfa direito por causa da própria Nvidia. Enfim… se for só trabalho rasterizado 2D ainda da pra levar de boa, mas ainda assim a palavra Nvidia e modernidade gráfica de desktop via Wayland não estão bem casadas por excelência. Ahh mas claro, ai tudo pode ficar no ótimo novamente se você alterar o padrão de servidor gráfico voltando ao Xorg/X11 onde o driver de nvidia vai performar no padrão mais nativo, tipo isso.

Bom, diz ai suas specs de PC, ma no geral creio que é por ai.
Seja bem vindo a um novo mundo de descobertas com Linux

#sucesso

1 curtida

Recomendo um sistema já configurado para ser restaurado em caso de mau funcionamento, seja a restauração viabilizada pelo Time Shift (recurso usual no Manjaro e no Linux Mint) ou pelo snapper (o padrão do OpenSUSE e do GeckoLinux).

Considerando tudo o que você informou, recomendo o EndLess OS.
O EndLess OS é diferente da maioria das distribuições Linux, pois ele não tem dezenas de interfaces gráficas pra você escolher, tem apenas uma. Ele não tem centenas de ajustes e configurações de personalização, tem apenas o básico e isso é o suficiente.
O EndLess OS não quebra nunca, a não ser se o problema for hardware. Ele tem uma base estável, o sistema não pode ser modificado nem mesmo pelo super-usuário (root), os aplicativos são separados do sistema e não conseguem modificar o sistema. Ou seja, nada de acidentes, nada de quebradeira por conflito de pacotes.
O EndLess pode ser usado por qualquer pessoa, sua interface se assemelha ao que encontramos nos smartphones e tablets, ou seja, é desnecessário ter contato prévio com o sistema para utilizá-lo.

Não é uma típica distribuição Linux. Não utilizamos rpm, apt ou qualquer outro sistema de empacotamento padrão. Utilizamos um sistema de arquivos raiz habilitado apenas para leitura, e gerenciado pelo OSTree. Juntamente com esse sistema base, provemos pacotes de aplicativos rodar com programas sobrepostos. Temos usuários diferentes. A maioria das distribuições de Linux para desktop são direcionados a usuários e desenvolvedores especialistas. A simplicidade é a chave então escolhemos com cuidado os melhores programas disponíveis para nossos usuários.

O verdadeiro Linux para desktop é o EndlessOS.

4 curtidas

Outra alternativa legal nesse sentido é o Fedora Silverblue.

2 curtidas

O Kubuntu tem o Ubuntu como base, no seu caso a versão 22.04, que é uma LTS, ou Long-Term Support, o que significa que essa versão do sistema será suportada para os usuários comuns por 5 anos após o seu lançamento. O Ubuntu reserva grandes atualizações (como atualizações de pacotes importantes do sistema, como a interface) para as próximas versões, e se você pular de LTS em LTS, só precisará fazer um update grande novamente em 2024 com o lançamento da LTS 24.04.

As versões LTS, por permanecerem um tempo considerável no mercado, são testadas o suficiente para garantir que não oferecerão problemas graves de usabilidade ao usuário, ou seja, se você não fizer bobagem propositalmente, e apenas usar o computador normalmente, a chance de você ligar o computador noutro dia e ele não estar funcionando como deveria é menor do que no Windows.

O kernel quando ele sai da mainline ele deixa de ser testado, ele nunca mais volta a ser testado.
E também nunca mais recebe correção de bug não vulnerável.

Bom como funciona as correção de vulnerabilidade dos LTS.
O que acontece é que quando é encontrado uma vulnerabilidade no kernel mainline que é o kernel em teste é aplicado a correção no mainline e testado, se não ocorrer problema no mainline o código da correção é copiado para o código fonte do LTS e é só isso, nem passa por teste.

Isso é no kernel.org porque tem algumas distribuições que tem as suas próprias versões do kernel com as próprias modificações e processo de atualização e correção.

Mas eu sempre usei a mais de 10 anos os kernel LTS e nunca tive problema que não fosse causado intencional.

A estabilidade vai ter sim, porém isso vai variar de distro pra distro. Eu uso fedora com Gnome e gosto bastante, já faz mais de um ano que meu sistema principal é linux e só uso Windows para jogar algum jogo que não rode no Linux. Para usuários que estão iniciando eu recomendaria o Mint, quando precisei instalar linux na empresa onde trabalho para reduzir custos com licenças de Windows, de longe a adaptação com o Mint foi a melhor. Se você edita bastante textos e trabalhos eu recomendo ir com o Google Docs o Libre é ótimo, mas o corretor do Docs é perfeito, isso é uma mão na roda. É claro, não basta o sistema ser estável e você sair copiando e colando comandos com permissão de root no seu terminal sem saber o que realmente está acontecendo. Como aprendemos no filme do miranha, com grandes poderes vem grandes responsabilidades.

2 curtidas

Tem algum terminal que quando se abre o shell pela primeira vez, a frase é exatamente essa. Acho inclusive que é o do Mint

1 curtida

Acho que é do sudo.

1 curtida

Sim, sim, mas nem todo sudo faz isso, tem uns terminais que dizem outras besteiras… kkkkk

Debian e derivados diretos.

Já do Ubuntu não aparece

1 curtida