Linux Mint assina parceria com a Fundação Mozilla

Linux Mint assina parceria com a Fundação Mozilla - Diolinux

Linux Mint assina parceria com a Fundação Mozilla que deve trazer diversas vantagens para ambas as organizações e também para os usuários.

6 curtidas

A questão da padronização (falta dela) é o que sempre me incomodou… e isso é o que é mais complicado para trazer, principalmente, usuários sem conhecimento técnico, que só querem ligar o PC/notebook e utilizar.
Daí, vai procurar uma solução simples na web e, adivinha, começa a receita de bolo:
passo 1. acessa o terminal;
passo 2. digita o comando x com parâmetros a,b,c como super usuário

passo 100: se não der certo, inicie novamente o processo.

Exagerei, claro, mas, de modo geral, a maioria das dicas são via terminal e não via interface gráfica, mais amigável para os usuários “comuns”.

Outra coisa é o usuário ter um software que utiliza há muito tempo, então, vem uma atualização do sistema, pronto, já deixa de ter compatibilidade com as novas bibliotecas e lá começa o martírio para tentar “compatibilizar” de alguma forma pois ele não faz ideia de como encontrar uma nova versão ou software semelhante que seja compatível.

E por aí vai.

No me caso, utilizo apenas o Mint no notebook da empresa e nos equipamentos de casa, então, acabo por me padronizar o que facilita para manutenção, atualização e solução de problemas.

No caso do Mint, por ser minha preferência, vejo como uma distribuição bem prática, simples e eficiente. Utilizo desde a versão 18.

Minha esposa, professora, sente dificuldades com o LibreOffice ao trabalhar com documentos do word (docx) e powerpoint (aqui é pq todas as colegas dela utilizam MS windows e MS Office, provavelmente um deles ou os dois, piratas!), mas, tem se adaptado bem. Já tentamos o WPS Office, era muto bom, mas, vejo falta de atualizações mais frequentes e falta de dicionário e tradução para o português do Brasil nas versões mais recentes que me fizeram desistir e manter apenas o LibreOffice em todos os meus equipamentos.

Enfim, só para traçar um breve perfil de usuário. Imagino que tenham infinitos perfis para n diferentes finalidades.

abraços.

4 curtidas

A falta de padronização certamente é parte do problema, porém por conta da filosofia do Linux isso não vai mudar. O que tem q ser feito é a maioria do publico Linux no Desktop focar uso numa distro solida tornando a popular para q as grandes desenvolvedoras possam usar ela como base para portar seus softwares. Quanto a questão do terminal, os tutoriais são assim justamente porq não tem como adivinhar que distro o usuário vai estar usando na hora de executar o tutorial, então isso é uma forma de “garantir” que o tutorial seja executado com uma taxa maior de sucesso. Quanto ao seu problema com o Office deixo como sugestão de teste o Free Office.

3 curtidas

Sim… sempre pensei em testar… valeu pela dica… vou testar em uma máquina virtual.

1 curtida

@elviolmp pro meu uso o LibreOffice resolve, mas pra planilhas de Excel muito complexas, ele não se dava bem, testei o WPS, que rodou muito bem, mas acho ele meio invasivo com aquelas propagandas pedindo pra fazer assinatura.

Eu não testei o Free Office, mas estou fazendo alguns testes e até algumas poucas migrações para o OnlyOffice, depois que o Dio indicou e está se saindo muito bem e sem propagandas.

Todas as ferramentas core são iguais em todas as distribuições Linux tirando algumas raras exceções.

Não sei exatamente o que um usuário normal(Que só usa o browser ou um office da vida) iria querer configurar num linux, mas até onde eu sei o básico pode ser feito igual é no Windows via GUI, o resto normalmente é necessário editar um arquivo de configuração usando um editor de texto seja pelo cli ou gui.

Normalmente quando quebra algum pacote é pq ele não foi atualizado, e eles tem sim retrocompatibilidade, tirando o gnome que remove as coisas.

Não sei exatamente pq vc usaria o formato docx utilizando o libreoffice mas enfim… impress faz praticamente a mesma coisa que o powerpoint, a questão é se adaptar.

1 curtida

Só espero que Linux mint comesse a usar o Logo oficial do firefox, dá um ar muito amador aquele icone simplista, sem falar que descaracteriza o navegador.

1 curtida

Nesse caso, do “.docx”, “.xlsx”, etc, arquivos nativos do MS Office 2007 em diante, se deve ao fato da maioria das pessoas, no caso da minha esposa, as colegas delas todas utilizarem o MS Office, então, criam os documentos, planilhas e apresentações nesse formato e, ao compartilhar com ela, enviam esses arquivos.
Eventualmente ela comenta sobre o LibreOffice abrir e algumas coisas, como figuras e tabelas, se comportarem de forma estranha no LibreOffice (ficam desalinhadas, se sobrepõe, ficam fora de lugar, etc). Então ela ajusta tudo e salva no formato do Office para elas consigam abrir novamente. Então, ela devolve o próprio documento editado e, junto a ele, um PDF.

Por isso, vou estudar melhor essas opções do FreeOffice e do OnlyOffice para ver se, durante o período de férias dela, eu consiga analisar junto com ela algumas situações e ver qual das opções seria a mais indicada.

O ideal mesmo seria se todos utilizassem software em comum, por exemplo, todos o LibreOffice ou todos o MS Office. No caso do MS Office eu iria prefererir sempre o mais atualizado, mas daí entra tb a questão de custo para tê-lo sempre atualizado o que me leva a decisão de optar pelo software livre.

Enfim, apenas algumas observações e, como já disse antes, são n opções para n outras utilizções para n*n usuários com diferentes propósitos.

Dizem que “gosto é gosto”, para mim os ícones de aplicativos são horrorosos, já os de pasta e extensão de arquivos até que eu curto bastante.

1 curtida

Engraçado que os atalhos do Firefox no Windows são ótimos de ser apertados no teclado, enquanto no Linux o mesmo Firefox usa atalhos diferentes (atalhos péssimos que nem dá pra apertar com uma unica mão) e esses intelectuais de Araque nem falam nada quanto aos atalhos ( que são uma m*erda na versão Linux do Firefox) … onde já se viu a pessoa apertar CTRL+J e o navegador não mostrar os downloads? No Windows todos os navegadores usam esse mesmo atalho e todos fazem a mesma função sem ninguém brigar por isto… ja no linux outros navegadores possuem este atalho funcional, mas não o Firefox neh… Será que a mãe dele falou que ele não é todo mundo e por isso que ele inventa de fazer atalhps diferentes para sacanear os usuários Linux ?

Engraçado que quando está rodando no Android x86 ou no ChromeOS o Firefox você consegue ser bu.rro o suficiente não perceber que está num desktop e não permite instalar todas as extensões que quero … mesmo com a função “visualizar como desktop” ativada ele Continua pensando que está em um celular e proibido instalar extensões que quero, me deixa instalar apenas algumas poucas extensões… já o Chrome, o ópera e outros navegadores são inteligentes de saber que estou usando o ChromeOS ou Android x86 … ou seja ele sabe que estou usando em um laptop, ele vieram para deixar eu instalar qualquer extensão que eu queira, Parabéns aos criadores do Firefox por terem feito dele o único navegador mais bu.rro de todos

Te pergunto! os atalhos do Firefox no Mac são iguais ao do Windows? Não! pse.

2 curtidas