Licenciamento windows / migrar linux

Boa tarde amigos!

Venho aqui tirar uma dúvida com vocês.

Primeiro, vou caracterizar minha situação.

Passei em um concurso público municipal em uma cidade do interior, meu cargo é de Tecnica em Informática. Sou a primeira servidora nessa área e a responsável pelo suporte técnico de todos os computadores do município. Então, nesse contexto, o rapaz que estava aqui (comissionado) antes da minha posse, instalou Windows em todos os computadores, todos sem licença é claro, bem como o pacote Office.

Como agora estou em estágio probatório e qualquer processo administrativo pode ocasionar a perda do meu cargo, me preocupo com a questão da licença dos S.O utilizados pelo município, ainda mais devido a responsabilidade ser ligada diretamente ao técnico.

Pensei muito em migrar todo mundo para o LINUX, talvez o Ubuntu ou o Mint (por ser mais dinâmico e fácil para usuários iniciantes), mas o pessoal vai reclamar muito, e nosso servidor é WINDOWS, não queria mexer nele.

Será que há algum meio de me resguardar dessa situação e deixar o pessoal usando Windows? Pensei em protocolar alguma coisa nesse sentido para tornar essa responsabilidade da prefeitura e não minha (já que não querem comprar licença).

Help!

3 Curtidas

Não faltam opções do que fazer.

Algumas coisas a se fazer: levantamento do hardware de cada máquina, conversar com as pessoas, para saber se elas conhecem por XP própria alguma distro Linux, saber quais são os programas usados por eles, quais os equivalentes no Linux e por aí vai.

Qual é a cidade? A prefeitura já possui um ERP?

Opa tudo bem??

Sobre o seu caso, bem vamos la hehe.

Você antes de mais nada, precisa fazer um levantamento da rotina dos usuários, tipo: Tarefas mais corriqueiras, quais apps mais utilizados, quais apps de terceiros e essas coisas. Para ai vc pensar em migrar para Linux ou tentar abrir licitação para comprar das licenças de Windows e Office.

Também seria muito bom vc fazer um levantamento dos hardwares que se tem ai, pois nada vai adiantar comprar as licenças de Windows 10 (por exemplo) se os computadores não aguentarem.

Sobre migrar para Linux:

Vai depender muito do uso, mas se for só rotinas administrativas normais, creio que o Xubuntu 20.04 (Ubuntu com XFCE) de conta do recado, e nada como uma customização não resolva a curva de aprendizado.

Sobre a curva de aprendizado, vc pode fazer uma instalação do Linux customizado e colocar a galera para usar e ver qual a reação deles e quais as necessidades tbm, assim uma possível migração se torna fácil.

Sobre o servidor, veja se não é uma instalação de um Windows “normal” (tipo um 7, 8 ou o 10 da vida ao invés da versão de Servidor mesmo), pois se costuma muito ser esse cenário, de usar o Windows “normal” para servidor. Mas isso vc pode contornar usando o SAMBA4.

Sobre o resguardo legal, creio q a melhor forma seria conversar com o departamento jurídico da sua prefeitura e ver como eles lhe ajudam, pq o meio jurídico é bem tenebroso e uma areia movediça grande kkkk.

1 Curtida

Já iniciei esse levantamento. O software utilizado pela prefeitura tem suporte para o Linux também. Ademais, grande parte dos usuários utilizam apenas a suite de escritorio, podendo ser substituida pelo Writer.

Prefiro não citar a Cidade aqui para me resguardar, mas até onde andei pesquisando, aqui em Goiás isso é bem comum.

Obrigada pelo retorno meu amigo!

Então, esse levantamento eu já comecei essa semana e já conversei com o Controlador Interno a respeito de um ofício notificando a prefeitura da existência de Softwares não licenciados. No geral, pessoal aqui usa Win7 , Win 8 e Win 10, conhecimento ZERO de Linux.

Nosso servidor é um Win 7, como você citou, uma instalação Normal. Em contato com o Suporte do Software que gerencia toda a prefeitura e portal da transparencia, me informaram que os programas rodam em Windows e Linux via VM. Os demais usuários usam apenas o pacote office para rotinas de escritório e navegadores para acessar internet.

Minha experiencia é realmente de iniciante com Linux, também vou precisar me capacitar.

O meu medo realmente é uma fiscalização e que caia sobre mim a responsabilidade, podendo me gerar um Processo Adm, fazendo perder meu cargo.

1 Curtida

Posso lhe guiar em diversas questões, inclusive sobre lhe dar com a conscientização quanto a migração. Se quiser me chamar no privado, fique a vontade.

Fiz algo no estilo em uma empresa:

O interessante seria você repassar toda a situação técnica e legal ao seu superior imediato, explicando os eventuais desdobramento e implicações, se a cidade for pequena, seria ainda melhor se você tivesse acesso ao secretário ou prefeito. Penso que basicamente você tem duas opções: migrar para uma distribuição Linux amigável ou convencer a administração municipal a adquirir uma licença corporativa para o setor público (provavelmente com descontos) junto a própria Microsoft.

1 Curtida

Me tira uma dúvida, os computadores sem licença do Windows estão funcionando? Se estão funcionando, qual o problema de manter assim? Em especial o Windows 10, que você pode usar sem licença de maneira indefinida, com a ressalva de que as configurações ficam travadas. E mais uma coisa, se a pessoa que estava anteriormente no cargo instalou tudo sem licença e ninguém reclamou, difícil reclamar agora, entretanto isso não é garantido, obviamente. Acho melhor primeiro avaliar se é possível comprar as licenças, para depois pensar em migração.

Você verificou a situação. Notifique formalmente seu superior imediato sobre o problema, um e-mail é suficiente. Era o que eu chamava de “e-mail guarda-chuva”. Você não está em posição de comando e não pode ser responsabilizada pela situação que já estava quando chegou. Porém poderá ser responsabilizada por omissão, caso não informe os seus superiores do problema, ou responsabilizada pela instalação de software pirata, caso você instale. Se alguém pedir para vc fazer a pirataria, diga que apenas fará se pedirem por e-mail.

O principal agora é 1) bolar um plano migração ou 2) aquisição de licenças pras máquinas windows e softwares usados ou 3) deixar claro que, se decidirem não fazer nada, terá sido uma decisão consciente do responsável.

6 Curtidas

De nada @ioliveira, estamos aqui para ajudar.

Sobre as maquinas, na minha visão as mais criticas são as que rodam Windows 7 e o Windows 8 (se for o 8.1 ainda ta de boas).

Sobre o pessoal ter ZERO conhecimento de Linux, se for fazer uma migração, o melhor seria como eu falei, fazer uma customização em um Xubuntu e assim diminuir a curva de aprendizado, e também instruir o pessoal a salvar os documentos em formato aberto (abordei isso no meu canal recentemente) isso vai te livrar de dores de cabeça futuras hehe.

Sobre o servidor, recomendo fazer um estudo mais elaborado de como migrar pra versão correta do Windows ou de implementar o Linux nele, pois já tive problemas em usar Windows 7 como servidor e arrumar não é nada gostoso kkkkk.

Isso é bom, visto que se precisar fazer uma migração pra Linux full, o sistema pode ser instalado no sistema tbm.

Isso é outro ponto que facilita, visto que navegadores populares, como o Chrome e o Firefox, tem versões nativas para Linux e assim não vão sentir tanto. E do Office, pode usar o da MS via Web ou usar algum outro, como o FreeOffice por exemplo. No vídeo que linkei dos formatos eu falo deles.

Como já falaram, notifique os seus superior o máximo que puder e documente tudo que você for fazer e afins, isso serve como prova. E faça o levantamento se TODOS os Windows (7, 8 e 10) são licenciados e os OFFICES idem, pois se a MS encasquetar com vcs ai, pode render um processo bem salgado, vide o caso da Universidade que precisou ser leiloada pra pagar as multas e afins.

1 Curtida

Nunca fiz testes mais profundos, mas muitos dizem que o FreeOffice é o que tem maior e melhor compatibilidade com o padrão MS.

Quanto a interface da distro, uma bem win-like (e leve) é o recomendado, como meu projeto particular, o Tiger OS, que vc pode baixar AQUI.

Ou ainda, personalizar o KDE para deixá-lo com a cara do w10, como ensino NESSE VÍDEO. Feito isso, só instalar o Pinguybuilder menubase, criar uma ISO com as personalizações e usá-la em todas as outras máquinas.

1 Curtida

Eu fiz o teste e digo que o LibreOffice tem a melhor compatibilidade. O freeoffice e o onlyoffice tem uma compatibilidade horrível. Basta abrir uma apresentação mais complexa do power point que desconfigura tudo nos dois.

1 Curtida

Também prefiro o LibreOffice.

O FreeOffice tem excelente compatibilidade com o MS Office porém, ele é mais limitado em termos de recurso que sua versão premium o Softmaker Office. Dependendo do uso (office muito avançado) pode sentir a necessidade de adquirir a licença premium:

Uma alternativa seria usar o WPS.

Então pergunto: esses recursos da versão premium realmente serão usados?

Vc tá sendo o primeiro a falar isso.

Idem, mas vai pelos pontos de compatibilidade com o formato da MS e da questão visual, que a mim, nunca foi problema.

1 Curtida

Creio que 90% das pessoas não sentirão falta dos recursos premiums, possivelmente apenas quem faz apresentações de slides altamente profissionais, pesquisadores acadêmicos, executivos, economistas e estatísticos.

Adoro o LibreOffice e faço algum uso de “office avançado” e te digo após inúmeros testes com vários programas office incluindo Ashampoo e WordPerfect para Windows que, LibreOffice definitivamente é a melhor alternativa para formatos livres, mas, se você faz uso de arquivos em formatos proprietários nele, em algum momento terá problemas, principalmente se no arquivo original houver algum recurso em particular daquela versão como uma macro de Excel ou Word ou alguma animação recente do Power Point, haja vista que mesmo entre o próprio MS Office arquivos atuais podem ter problemas ao serem executados em versões distintas. Em se tratando de software office para Linux para se trabalhar como formatos proprietários já previamente criados e formatados no Windows, as melhores opções são WPS e FreeOffice/Softmaker cada um se destacando por motivos diferentes.

2 Curtidas

Se puder detalhar esses motivos, ajudará muito.

Voce me fez lembrar de WPS, a compatibilidade dele é muito boa mesmo

Eu falo exclusivamente de lidar com formatos proprietários, melhores opções para isso. Como explanei anteriormente o fato justamente de serem arquivos proprietários fará como que alguns arquivos em particular por exemplo percam a formatação ao serem lidos no LibreOffice. Digamos por exemplo que um profissional elabora um slides no Microsoft Office 2019 com recurso avançado de apresentação como os novos recursos transicionais do software e animações feitas especificamente para a plataforma, salva o arquivo em .pptx e depois faz uso desse arquivo em uma palestra em uma faculdade em um notebook que faz uso de LibreOffice, há uma grande chance que ao executar o arquivo o mesmo se encontre fora da formatação original ou alguns recursos simplesmente não funcionem. Ou pense ainda em um outro sujeito que elaborou uma planilha no Excel com um recurso de macro próprio (proprietário) desse programa, o mesmo envia esse arquivo para ser editado por um terceiro que faz uso do LibreOffice e este se depara com instabilidade em relação às fórmulas automatizadas que vieram no documento-modelo ou ainda consegue editar o mesmo, mas, este é aberto de uma forma distinta de seu original. Eu evito isso normalmente salvando meus arquivos importantes e que serão usados em mais de um lugar e por mais de uma pessoa salvando o mesmo arquivo em duas versões distintas: uma em formato proprietário e outra em formato livre e tomo ainda o cuidado de não utilizar certos recursos que podem bagunçar o arquivo a depender do programa utilizado, mas, deve se ter em mente que nem todos os usuários terão esses cuidados.

1 Curtida