Laptops: qual a diferença entre um notebook convencional e uma workstation móvel/portátil?

Além da proposta de trabalho (que dependendo do caso pode ser feita em um notebook comum) qual o diferencial de uma workstation móvel para um notebook normal? O hardware mais “parrudo” e “profissional” da workstation? O uso direcionado?

Penso quase nenhuma diferença. Acho que é coisa mesmo de marketing. Eu ja usei dois notebooks da mesma marca, um dito como Workstation e o outro como uso doméstico.

A unica diferença que notei era que o Workstation tinha uma tela melhor, e o plástico da carcaça parecia mais resistente…

Mas computador é computador… se a construção é melhor ele vai ser mais caro.

2 Curtidas

A construção do notebook é o maior diferencial, se realmente houver. Por exemplo, o Thinkpad que é, acredito eu, a linha de workstations mais proeminentes do mercado, possui uma construção excepcional que você não irá encontrar em notebooks comuns e que, como consequência, garantirá uma experiência mais agradável e passará mais segurança a quem o usa.

Thinkpads além de serem ótimos no quesito desempenho, não fazem barulho, muito raramente esquentam a ponto de você notar, oferece fácil acesso ao hardware e só param de funcionar se você atear fogo nele. Construção ímpar, realmente. Tive o prazer de usar um por um tempo e a diferença é evidente, mas depende muito do produto, pois tem muitos “workstations” que são apenas notebooks comuns com uma etiqueta de preço diferente.

2 Curtidas

Uma workstation móvel tende a ser uma substituta para uma workstation desktop. Ela pode contar com processadores da série Xeon e maior capacidade de memória RAM e armazenamento. Pode contar com uma tela bem grande também.

Por exemplo, a Avell possui a opção de notebooks com tela de 17 polegadas. Mesmo pegando o modelo mais básico de 17,3", na casa dos R$ 9 mil, é possível pagar mais e encomendá-lo com até 64 GB de RAM, 1 HD de até 2 TB e 2 SSDs NVME de até 2 TB. Esse modelo mais básico vem equipado com um i7 Comet Lake de 10ª geração (2,6 GHz com boost de até 5 GHz) e GPU GeForce RTX 2060 com 6 GB de VRAM.

Acredito que as especificações falem por si só.

2 Curtidas

Ai é que tá, a Lenovo classifica parte de seus Thinkpads como “laptops corporativos” e parte como “estações de trabalho”.

As estações de trabalho são as workstations. A Lenovo era uma das poucas que ofereciam notebooks com Xeon (P52) e chegou a ter modelos (W700ds e W701ds) com uma tela adicional retrátil.

As diferenças são gritantes.
As workstations (verdadeiras workstations e não notebook gamers) vêm com processadores Intel Xeon (existem com AMD PRO também, mas são raras), placas (às vezes mais de uma) Nvidia Quadro, geralmente com suporte a 128GB RAM ECC (ou mais), Windows 10 For Workstation.
Além disso, podem embarcar até 4 NVMe 2 TB (no caso de uma Dell Precision 7750).
Possuem também um conjunto mais abrangente de aplicativos com certificação ISV que garante a compatibilidade do software com o hardware e a máxima performance de seus aplicativos. Aplicativos conhecidos com certificação ISV incluem: AutoCAD, SolidWorks e Creo. O suporte a três monitores é fornecido por padrão.

Um dado importante sobre as placas Nvidia que talvez pouca gente saiba é que, na prática, a Nvidia não fabrica placas GeForce. A fabricante vende o processador e o design de referência para que empresas como MSI, EVGA e Asus criem suas versões de determinada placa de vídeo.
Já as Quadro possuem um controle de qualidade mais exigente, processadores mais potentes e drivers otimizados.
Uma 7750 da Dell pode custar perto de R$100.000,00

1 Curtida

Notei isso também, modelos de placas e processadores em geral são específicos (se bem que você também encontra uns modelos com I5, I7…) tal qual os de servidores.