Inicialização do linux mint

Pessoal o que da inicialização do linux mint eu posso retirar sem causar um problema para o sistema.

1 curtida

Seja bem-vindo, @Andre_Caires

O importante, neste caso, é saber qual o ambiente desktop (DE). – Imagino que você esteja usando Xfce, cujo nome aparece em um dos itens. – Se for outro DE, informe para os colegas poderem ajudar.

Eu praticamente só uso KDE, mas à primeira vista, parece que quase todos esses serviços são necessários ou úteis.

Se você desativar “User folders update”, o gerenciador de arquivos não irá mais se atualizar automaticamente. – Fiz isso no KDE, uma vez, e ficou chato. Toda hora, eu tinha de apertar F5, para atualizar manualmente as mudanças na pasta que já estivesse aberto – por exemplo, após “salvar como” um arquivo (com outro nome), usando algum editor de textos ou de imagens.

PolicyKit, Rede, Som, Window Manager etc., tudo é necessário ou útil.

Não sei se eu uso “indicador de escala de CPU”. – Parece um aplicativo GUI específico, para você poder monitorar. – Eu faço isso pelo Conky, e é claro que o Conky pega essa informação diretamente do sistema (todas as distros Linux), sem que eu precise ativar um aplicativo GUI (do KDE, do Xfce, ou de outro DE), para fazer a mesma coisa:

Prefiro assim, pois o Conky pode monitorar dezenas de coisas, usando muito menos recursos do que 2 ou 3 aplicativos GUI (interface gráfica), que iriam me mostrar apenas 2 ou 3 coisas. – Mas não posso afirmar que seja o caso, pois como disse, não conheço o Xfce. – Você pode fazer o teste… mas, espere 1 ou 2 dias, para ver se algum colega não vai me desmentir (rs).

Também não sei o que é “lm-launch”. – Pode ser alguma coisa de “Linux Mint” (necessária) – ou pode ser de “lm-sensors”, para monitorar várias coisas como temperatura, tensões (Volt) etc.

Eis um exemplo do comando watch sensors – e as coisas que ele ajuda a monitorar:

Esse comando usa poucos recursos (o emulador de Terminal usa muito mais). – Para não abrir um Terminal, eu uso o lm-sensors dentro do Conky.

Mas, repito: – Não sei se esse “lm-launch” é uma coisa indispensável do próprio Linux Mint (LM). – De qualquer modo, eu sei que tenho lm-sensors ativado – caso contrário, o Conky não poderia exibir esses dados para mim.

Flameshot é uma ferramenta interessante para captura de tela – e me parece que usa poucos recursos. – Talvez não seja vantagem você desativar, pois acabaria usando outra ferramenta, que talvez use mais recursos.

Eu não tenho Flameshot instalado no meu Arch (talvez tenha em alguma outra distro). – Costumo usar gnome-screenshot ou o KDE Spectacle. – Se o Flameshot te atende, não há motivo para mudar.

Não uso Bloqueio de Tela – prefiro o Sleep do KDE – mas imagino que algum serviço está ativado, para que eu possa usar isso.

De D-Bus, eu não entendo absolutamente nada (rs).

4 curtidas

O Dio fez um vídeo sobre isso. Ai vai o Vídeo + o Link no Blog.

Link: Desative os serviços inúteis que iniciam junto com o Ubuntu - Diolinux

2 curtidas

Realmente uso o xfce, acho que cortei tudo o que tinha de tirar. O vídeo foi bom, muito obrigado.

4 curtidas

Assunto de tópico muito interessante.
Necessariamente e bem por cima do assunto o D-Bus (Desktop Bus) é um sistema de comunicação entre processos (IPC) que permite que diferentes aplicações e componentes de um sistema operacional se comuniquem entre si. Foi projetado para ser simples e eficiente, facilitando a troca de mensagens entre aplicativos de desktop, como aqueles em sistemas baseados no GNOME ou KDE.

Já no contexto do arch o D-Bus é usado para várias tarefas de comunicação entre componentes do sistema, como entre o ambiente de desktop e os serviços do sistema. No archlinux, pode ser instalado e gerenciado via systemd, que fornece o serviço D-Bus.

Já na condição do Linux Mint o D-Bus desempenha um papel semelhante, facilitando a comunicação entre aplicativos de desktop e componentes do sistema. No Mint, o D-Bus é essencial para a operação suave de muitos aplicativos e serviços de desktop. Isso é o que estudei na documentação.

Os casos de uso do D-Bus, ocorre muito em notificações de Desktop,tipo: Um aplicativo pode enviar uma notificação que será exibida por um serviço de notificação. Também no caso de controle de mídia, ele Controla a reprodução de mídia entre diferentes aplicativos, como pausar uma música quando uma chamada VoIP é recebida. Também é responsável pelo gerenciamento de Energia,e no caso,os aplicativos podem se comunicar com o gerenciador de energia para realizar tarefas como suspender ou hibernar o sistema. Tudo muito bem pensado…

Os comandos mais comuns e utilizados para verificar o status do serviço D-Bus no systemd são:

systemctl status dbus

Para reiniciar o serviço D-Bus:

sudo systemctl restart dbus

A Configuração e Desenvolvimento pelo que li na documentação para entender melhor o D-Bus, ele tem uma configuração central localizada em /etc/dbus-1/.

Então nós pessoas desenvolvedoras contribuintes para a comunidade arch, podemos usar bibliotecas como libdbus em C, dbus-python para Python, entre outras, que não preciso citar aqui,para interagir com o D-Bus.

D-Bus é uma das partes fundamentais do ecossistema Linux moderno, agindo como uma infraestrutura de comunicação robusta e flexível entre os componentes do sistema.

Linux é vida :dna: humana em ação galera!

2 curtidas

Este tópico foi fechado automaticamente 3 dias depois da última resposta. Novas respostas não são mais permitidas.