Fedora Silverblue, seria ele o futuro?

Fedora Silverblue, seria ele o futuro? - Diolinux

O Fedora Workstation é uma ótima distribuição para se ingressar no mundo Linux, mas já pensou em utilizar um sistema operacional inquebrável? Então venha conhecer o Fedora Silverblue

6 curtidas

Já usei muito o Silverblue. O toolbx é muito massa, inclusive tem ele no AUR e uso no arch também, mantém o sistema limpo e dá pra instale GUI apps também.
O próprio Linus disse que o ChromeOS é um candidato a ser o futuro do Linux, por ser imutável também, assim como o Android. Acho que só falta amadurece mais os flatpaks e ferramentas de desenvolvimento.
O Linus já usa o Fedora, no dia que ele conseguir desenvolver o Kernel no Silverblue, tenho certeza que ele vai migrar. Ele também disse que só não usa o ChromeOS pq ele não consegue debugar o Kernel (ainda).

3 curtidas

Uso o Silveblue a uns meses. Foi uma escolha difícil, pois sempre usei Arch, e estava acostumado ao estilo Arch de fazer as coisa (AUR etc). Mas eu precisava de um sistema que não me deixasse não mão quando eu atualizasse, o Arch de vez em quando quebrava (nada que eu não conseguisse arrumar) mas era, ainda sim, bem chatinho. O SilverBlue foi perfeito para mim, uso bastante o toolbox nele, separando meus ambientes de desenvolvimento. Enfim, estou satisfeito com ele e recomendo para quem quiser estabilidade no sistema.

5 curtidas

Boa! Estou achando que voltarei pra ele também. De fato AUR faz falta…
Recomendo olhar também a ferramenta DistroBox lá no github, tão incrível quanto o toolbox.

Uso o SB desde o 30, não pretendo usar outro sistema que não use OSTree… a não ser que surja outra coisa tão legal! rs

5 curtidas

Gostei do artigo, sumarizou bem a experiência. Acredito também que as tecnologias que o SB usa vão só melhorar com o tempo, as novas mudanças vindo no Flathub vão ser muito importantes pra formalizar os flatpaks. Coisas boas virão.

3 curtidas

:thinking::thinking: existe algum sabor dessa distro que seja Baseado em Android x86 ?

Usei o Silverblue por pouco tempo, e gostei muito. Lembro de uma atualização de versão que eu fiz e demorou apenas 10 minutos, enquanto que no fedora workstation demorou mais de 1 hora. O Silverblue é muito show. Recomendo ele.

1 curtida

Fedora Silverblue foi a última distro que eu instalei no meu notebook (atualmente estou com o Windows 11, por causa da falta de suporte ao meu leitor de impressões digitais no Linux) - e é uma das minhas favoritas. Se um dia eu formatar o meu notebook para instalar uma distro Linux novamente, certamente voltarei para o Silverblue. Eu inclusive elaborei uma solução para integrar o Visual Studio Code instalado via Flatpak ou layered-RPM aos containers Toolbox ( https://github.com/containers/toolbox/issues/628 , cuja discussão acabou culminando no projeto https://github.com/owtaylor/toolbox-vscode ).

Essas tecnologias por trás da imutabilidade do Silverblue também abastecem o projeto Fedora CoreOS, que é uma distro voltada para servidores de aplicações em containers. Eu diria até que o Silverblue é uma espécie de “laboratório de testes de imutabilidade” para o CoreOS.

Outra distro digna de nota no quesito imutabilidade é o openSUSE MicroOS. Ele tem objetivos similares aos do Silverblue, mas a implementação é diferente: em vez do OSTree, ela é 100% baseada em snapshots Btrfs, utilizando a ferramenta Snapper, do próprio openSUSE. Por conta disso, acredito que as atualizações do MicroOS devem ser ainda mais rápidas que as do Silverblue (que demora um pouquinho para gravar o novo commit no OSTree).

1 curtida