Extensão Dash to Dock é liberada para o GNOME 40 depois de 6 meses de seu lançamento

Extensão Dash to Dock é liberada para o GNOME 40 depois de 6 meses de seu lançamento - Diolinux

Seis meses após o lançamento do GNOME 40, a famosa extensão Dash to Dock foi atualizada para dar suporte oficial a nova versão da interface.

12 curtidas

acabei de instalar no ubuntu 21.10. desabilitei a do ubuntu. tá indo aqui. não parei pra ver o que tem de diferente entre as duas.

1 curtida

Elas são bem parecidas, mas a Dash to Dock “pura”, não o fork que o Ubuntu faz, tem mais opções nativas de configuração. Creio que seja essa a principal diferença, além de quem a mantém, claro. :slight_smile:

4 curtidas

É estranho um ambiente ser tão incompleto, precisando um monte de coisas para ficar terminado. Isso é coisa para masoquista ou para quem tem tempo sobrando.

4 curtidas

É uma das extensões que menos senti falta no Gnome 40, aliais, a única que eu estou utilizando são os efeitos do Compiz.

Depende da opinião de quem, aposto que pra muitos não é “incompleto”.

É melhor ter uma base e adicionar detalhes diferentes que cada um gosta (e isso varia de pessoa para pessoa) ou ter um ambiente que tenta ter tudo para todos, te obrigando a remover o que você não quer?

Eu realmente não acho que exista uma forma melhor, mas cada abordagem agrada mais cada tipo de usuário.

9 curtidas

Instalei fedora 34 no meu pc e percebi que ainda não tinha a dash to dock para gnome 40 ainda então persquisando eu achei um guia de instalação pelo terminal no github, funcionou super bem, nem entendi pq ainda não tava no Gnome extensions mas de qualquer forma quando o Ubuntu 21.10 saiu que apareceu no site, vai entender.

c num leva a mal não, mas esse negócio de usar sistema operacional na base do teclado, como vc mostrou no vídeo sobre, n deu p mim. melhor o mouse mesmo. rsrsrsrs

Gosto da dash-to-dock, sua aparência e funcionalidade. porém depois de usar o Windows 11 vi que a melhor posição para barra de tarefas é centralizada na parte de baixo. Gostaria que a Canonical mudasse o padrão e melhorasse os efeitos de ocultar e funcionalidades de menu de contexto e mouse sobre.

2 curtidas

Acabei de ~re~instalar a dash-to-dock e é outra vida, p#ta merd@ tem tudo que eu queria, nem preciso recorrer ao dconf-editor mais. Ao desativar a Ubuntu dock nativa buga a sessão, mas é só terminar a sessão e entrar novamente que roda liso, testei no Ubuntu 21.10.

3 curtidas

Pelo menos a versão que testei está com bug na cor personalizada da dock. Você insere uma cor e ele adiciona outra.

Dio, dá gosto de ler seus comentários. Te acompanho sempre. Concordo contigo, o Gnome entrega uma proposta e dá liberdade de quem quiser adaptar para algo faze-lo, tanto o Ubuntu colocar sua barra com o usuário colocar o dash-to-dock… Liberdade, mas tem gente que tem medo de liberdade, rss.

1 curtida

Boa dica, instalar e abrir nova sessão. A gente fica acostumado com o Linux que não precisa ficar reiniciando rss.

1 curtida

OK contar com uma base e poder enriquecê-la com recursos a la carte.

Mas não é OK perder comumente as extensões do GNOME na mudança de edição desse ambiente gráfico, e precisar aguardar metade do ano para voltar a dispor de algumas delas.

De forma alguma :slight_smile:

O GNOME e o KDE Plasma são mais eficientes se você usar via teclado, praticamente qualquer software é mais rápido com atalhos, porém, nada impede que se use apenas com mouse.

O COSMIC do Pop!_OS é pensado justamente para funcionar de forma eficiente usando os dois métodos por exemplo, e o próprio GNOME hoje em dia funciona relativamente bem com mouse, ainda que seja, provavelmente, mais eficiente com teclado, ou pelo menos, uma combinação dos dois.

1 curtida

dá pra achar extensões pra fazer isso tudo.

1 curtida

A verdade é… Nenhum dos dois, as duas abordagens são ruins, no final do dia, a Quantidade de trabalho seria a mesma pra ambos os lados, o que realmente muda é a dificuldade de fazer, nesse ponto ter opções a mais até seria melhor já que remover é bem mais fácil que adicionar, o GNOME é péssimo com o mouse e a maioria das pessoas é orientada a mouse, então partindo desse ponto de vista, o GNOME de fato é incompleto, um computador desktop clássico, ao menos em teoria possui 3 dispositivos de entrada:

  1. Mouse
  2. Teclado
  3. Trackpad

Embora o GNOME desde o 3 tenha sido brilhante com teclado e recentemente tenha recebido grandes melhorias no trackpad, o mouse (que inclusive é símbolo do computador desktop, é pessimo, o mais estranho é que com as novas áreas de trabalho horizontais, adicionar uma opção para mover a o painel superior pra baixo e um hotcorner no meio como ocorre no virtualbox pra chamar a dash (ou a dock do dash). Com esse raciocínio de “se para muitos X não é problema” em algum tempo esse mesmo X passará a ser problemas para muitos

Sim, consegui trabalhar as extensões nativas e as instaláveis sem grandes problemas, porém eu gostaria que o padrão da dock do Ubuntu mudasse para baixo e centralizada, pois é muito mais produtivo, claro oferecendo opção pra configurar na lateral.

Sim, eu ainda não entendo muito de Linux, então criei 2 contas de usuário pra caso uma dê problema. O que eu percebi é que na maior parte das distros aquela barra de cima funciona por si só independente do sistema de janelas e outras configurações, ainda bem porque tinha travado tudo.

o fato é q n arrumaram uma interface de usuário deferente da do windows 98, que substitua mouse, “menu embaixo à esquerda” - etc e tal - sem queixumes. isso já entranhou na pele de 11 em cada 10 usuários de computador. até em propaganda, imagens etc, a intercafe windows 98 está presente, mesmo que inconsciente.

o ruim de usar teclado para utilizar a interface s as inúmeras combinações a s decorar. no meu caso, fica inviável. melhor “mousar” pra fazer tudo.