Dual boot entre Windows 11 e Sistemas baseados em Arch

Recentemente notei que uma mensagem é exibida no windows update, informando que o meu hardware é compatível com windows 11, porém o mesmo tem como requisito o secure boot. Como a atualização é gratuita, eu até gostaria de fazer mas além das esperadas incompatibilidades (algo que não me assusta muito, pois eu uso o windows só pra jogar e se a atualização aceita o meu hardware, então não vou sofrer muito com o resto). O Maior problema é que utilizo o Manjaro como sistema principal e o mesmo não inicia com secure boot ativado.
Caso alguém tenha atualizado, passado por isso e conseguiu contornar esse problema sem gambiarra (Digo, sem precisar ficar ativando e desativando o secure boot toda vez que eu quiser iniciar pelo grub) me responda.

@Rodrigo_Chile
Enquanto o Mago não surge, darei meu “pitaco”: não atualize para o Windows 11, ainda mais tão recente do lançamento.

2 curtidas

Tenho planos de atualizar sim mas como não tenho pc para testes, vou pesquisar primeiro e esperar o feedback da comunidade. Pra mim, pelo menos esse ano não vai ser possível, inclusive pelo motivo que mencionou, minha GPU e CPU são ambas da AMD. E tem o problema do sistema ser recém lançado, além da pergunta que motivou o meu post.

1 curtida

Sobre o kernel, é isso - ele não é assinado, por ser baseado no kernel do Arch. Enquanto não houver disposição de fazer isso (seja pela Manjaro ou pela comunidade Arch - não nutro muitas esperanças na última opção, mas vai que…), nada feito de usar W11 até que a M$ mude de ideia quanto ao Secure Boot ou que o kernel Arch e derivados adote o shim. Outra opção é usar kernels assinados, instalando Ubuntu, Fedora e OpenSUSE (sobre este último não tenho certeza, mas acho que é assinado sim)

1 curtida

O do Leap é assinado por muitos por sinal :sweat_smile:
Por ele ainda usar o Kernel 5.3, ele recebe backport e patches da SUSE e da comunidade do openSUSE (acho que na versão 15.3 até mais por parte da empresa, pois os binários voltaram a ser do SLE)

1 curtida

Se acontecer, eu abandono o Arch.

mas pode ser assinado manualmente

Pode. Mas quantos de nós sabemos fazer isso? (Tendo em conta que distros como Manjaro são consideradas userfriendly)

eu já pensei em assinar o meu, mas…
enfim só mostrando possibilidades e despertando a curiosidade mesmo.

1 curtida

Eu também pensei em assinar o meu mas para quem só tem um PC acho que não vale o risco, se der ruim pode travar tudo. Em pc com bios eu fazia de tudo, agora os UEFI acho mais “delicados”.

Os kernels (e live CD) do OpenSuse (Leap e Tumbleweed) são assinados. O Windows 11 funciona sem o Secure Boot ativado (estou usando agora mesmo…), mas você perde algumas funções como o BitLocker (criptografia) e Windows Hello (login com biometria).

Eu “perdi” horas tentando assinar os kernels do Manjaro. Realmente é só para especialistas. Para os que não tem saída, a lista das distros com Secure Boot que eu consegui montar é:

Distro
AlmaLinux
ALT
CentOS
Debian
Fedora
JingOS
LMDE
Mint
Nitrux
openSUSE Leap
openSUSE Tumbleweed
Septor
SparkyLinux (Live CD não é compatível, mas a instalação é)
Ubuntu
Zorin

3 curtidas

Aparentemente dá para “reciclar” o shim no Arch:

https://wiki.archlinux.org/title/Unified_Extensible_Firmware_Interface/Secure_Boot#Using_a_signed_boot_loader

Parece ser relativamente prático usar o shim e adicionar kernels personalizados à lista de coisas que o “shim” confia, até mesmo para quem prefere compilar o próprio kernel.

2 curtidas

Obrigado Lisandro. Vou aguardar até ano que vem pra ver se resolvem o problema com as cpu da AMD. Eu gosto bastante das distro baseadas em Arch e as que são baseadas no Debian, As do arch migrei agora pois sempre usei as que são baseadas no Debian, futuramente vou experimentar o openSuse.

1 curtida

Você não deve se desapontar. A versão Tumbleweed é rolling e os snapshots trazem muita estabilidade.
Com Arch, além do Manjaro (se quiser trocar de kernels), pode testar o ArcoLinux. É tão flexível que você tem o melhor do Arch com facilidade de instalação. O site não é “intuitivo”. Eu uso a versão ArcoLinuxB (KDE), mas já aprendi a compilar a minha própria distro Arch. Assim, quando eu instalo, tudo está como eu quero, desde o papel de parede e configurações do KDE até todos os aplicativos dos repositórios oficiais.

Este tópico foi fechado automaticamente 3 dias depois da última resposta. Novas respostas não são mais permitidas.