Dual Boot em UEFI Linux & Linux

Olá.
Tenho instalado o Linux Mint 19.2, mas estou afim de testar o Regata OS por motivo de testar um recurso dele com placas híbridas, enfim, quero instalá-lo, porém, não quero me desfazer do LM, sendo assim, farei um Dual Boot, e terá de ser em modo UEFI, pois é assim que meu LM está instalado, mas não sei fazer pois nunca o fiz, e até procurei material sobre isso e não encontrei.

Aqui está a disposição atual dos meus particionamentos >

Pretendo reduzir meu /home para instalá-lo.

Gostaria saber quais são as partições que terei de criar para fazer isso e quais da atual instalação posso aproveitar no novo SO sem correr o risco de duplicar (como a Swap ou a EFI), enfim, como fazer?

Reduz o /dev/sda/4 para um tamanho para o Regata.

1 Curtida

Acho que isto pode ajudar :smiley:

1 Curtida

Depois de diminuir a partição /home, basta dar o boot pelo pen drive do novo sistema.
Quando for instalar, observar o seguinte:

  • MANTER a partição /dev/sda1 como EFI (montar em /boot/efi) SEM FORMATAR

  • MANTER a partição /dev/sda4 como /home SEM FORMATAR (escolhe um nome de usuário diferente do que usa no MINT)

  • MANTER a partição /dev/sda3 como linux-swap (pode formatar, se quiser)

  • CRIAR uma nova partição /dev/sda5 com o espaço disponível após redução da home.

  • Instalar o novo sistema (mapeando como /) nesta partição, FORMATANDO.

Alguns cuidados:

O Grub sobrescreverá o boot do Mint. Não tem problema.
Basta entrar no Mint e reinstalar o grub. Usa o GRUB-CUSTOMIZER, que é mais fácil. Acho que tem nos repositórios do Mint (não tenho certeza).
Abre o grub-customizer (no Mint), vai em “FILE -> INSTALAR alguma coisa…” não lembro de cabeça :joy: e instala no /dev/sda
É bom fazer isso, caso você queira apagar a partição do Regata depois de testá-lo.
Pode mudar pela BIOS também, mas aí depende da sua placa. Não poderia dizer como aqui.

Faço isso frequentemente quando quero testar uma distro. Não gosto muito de usar VM, pois mascara muito o desempenho. Uso VM só prá ver se gosto da distro. Se gosto, prefiro testá-la “valendo 3 pontos” :grin:

2 Curtidas

Adicionando mais informações: Na verdade o grub vai deixar a nova entrada que ele criou (do regata OS) como padrão para boot. Eu acho mais fácil mudar pela BIOS do que usar o grub customizer… É possível também alterar a ordem do boot no próprio linux usando o efibootmgr, mas recomendo apenas para usuário avançados.

2 Curtidas

lol thanks mano, mto obg pelo detalhamento e essa dica do GC, eu fiquei pensando msm o q aconteceria se eu tivesse q apagá-lo posteriormente, no caso daria erro no Grub pois ele estaria sobre o “domínio” do Regata OS, certo? Enfim, vou me atentar, vlw.

Bem, fui dar uma olhada na minha BIOS, pra ver se era possível fazer isso por ela, e como já tinha percebido antes há um tempo, ela é meio “inútil” ou “confusa”. Essa é a lista da ordem de boot, veja minhas opções >

Essas opções do comando acima também são as opções quando entro na BIOS, e msm com só o Linux Mint instalado, ela não o mostra, e ainda mostra o Windows e Ubuntu como opções, what?!?!?!?

Bem, como disse antes, eu não entendo muito do modo UEFI, sabe dizer como prosseguir nesse caso?

Como a opção principal é a 0001 (bootorder), então estou assumindo que o seu linux mint criou uma entrada no UEFI com o nome “ubuntu”.

O modo UEFI funciona assim: tem a partição especial EFI (que deve ser formatada como fat32 e código EF00) e nela cada diretório dentro da pasta EFI corresponde a um bootloader. Se você for na pasta /boot/efi/EFI vai ver que tem várias pastas, provavelmente “windows” “ubuntu” “BOOT”. O Windows coloca seus arquivos na pasta dele, o Mint deve ter colocado o GRUB na pasta ubuntu.
O segundo ponto são as entradas de boot, essaas que o efibootmgr mostra. Essas são entradas que ficam salvas na firmware da placa mãe. Claro que só vai funcionar legal quando tiver as duas coisas: os arquivos na pasta EFI e entrada na firmware. Se faltar alguma coisa, o próprio UEFI que vai decidir o que fazer (no geral ele dá boot padrão se tiver um bootloader em /EFI/BOOT/BOOTX64.EFI )

As entradas Removable device, onboardNIC são padrão do firmware. Se apagar elas voltam. Não se preocupe com elas, apenas com a ordem de boot, pois se você definir o padrão como Removable Device, toda vez que ligar o computador com um pendrive espetado ele vai ser a primeira tentativa de boot.

Não sei o que vai acontecer se você tentar instalar o ubuntu, mas quando eu instalei o debian, o segundo instalador criou uma pasta chamada debian2 para não sobrescrever o conteúdo da outra versão do debian. O UEFI é bastante poderoso e suporta até 128 entradas de boot, dificilmente dará problemas. Para voce ter uma ideia, eu instalei o meu outro sistema mas pulei o grub-install. Eu dou boot no debian, atualizo o grub, e ele detecta os outros sistemas.

A entrada do windows pode ter sido criada em algum passado remoto onde havia windows. Mesmo com a formatação do disco, a informação do boot continuou na firmware. Se você não tem o windows instalado, poderia deletá-la sem problemas, afinal nem tem os arquivos no disco caso tente iniciar por ela (assumindo que foi formatado todo o disco para voce instalar o mint).

2 Curtidas

Uau, excelente explicação, aprendi bastante, obrigado.