DigiKam chega na versão 7.1

O projeto KDE desenvolve muito mais que o Plasma Desktop, mas você já sabe disso, não é mesmo? Além dos aplicativos que compõem um ambiente desktop, o projeto traz consigo várias aplicações voltadas a profissionais de forma gratuita, open-source e multiplataforma.

O projeto ultrapassou o Linux e está disponível também para MacOS e Microsoft Windows, inclusive na Microsoft Store com aplicações poderosas para todos os tipos de usuários, desde os comuns e chegando a desenvolvedores, designers e produtores de conteúdo.

O KDE possui o Kdenlive, um editor de vídeo poderoso e bastante conhecido, mas você sabia que ele também possui um gerenciador de imagens profissional? Então vem comigo que vamos falar um pouco sobre o DigiKam!

O que é o DigiKam?

O DigiKam, é um aplicativo de organização de fotos digitais, assim como o Shotwell do GNOME ou o antigo Picasa do Google. Mas embora a função seja organizar as fotos, ele conta com um editor de imagens integrado.

O usuário pode classificar suas imagens por tags, datas e até mesmo adicionar legendas para facilitar a localização dessas imagens. Caso ache necessário, pode realizar edições na imagem e exportá-la para vários serviços de armazenamento tanto em nuvem quanto locais.

O editor de imagens do DigiKam é bem completo, trazendo ferramentas que deixam suas fotos com cara profissional. Ele conta com diversas ferramentas para correção de cor, transformação e texto.

Não sei editar fotos profissionalmente para utilizar todo o poder do software, mas posso dizer que em meus testes ele cumpre o que promete e achei ele mais simples para meu uso (em vista do Darktable por exemplo).

O que há de novo no DigiKam 7.1?

Dois meses após o lançamento da versão 7.0, o DigiKam chega trazendo vários recursos e melhorias para seus usuários, sendo destaque um suporte melhorado para os metadados de arquivos RAW da câmera Canon CR3.

Na versão 7.0, os metadados exibidos pela Canon CR3 eram “incompletos” e isso se deve ao fato de que os arquivos RAW não possuem padronização, tornando o suporte a estes arquivos bastante complexo.

A versão 7.1 também possui suporte ao plugin Batch Queue Manager, que é utilizado para corrigir pixels quentes, utilizando o método de subtração de quadro preto e aplicando a textura nas imagens.

A compatibilidade de IPTC também foi aprimorada para codificação de caracteres UTF-8, permitindo assim o uso de caracteres estendidos em qualquer lugar. Além disso, vários bugs foram corrigidos nesta atualização. Caso você queira conferir todas as mudanças, leia as notas da versão.

O DigiKam pode ser baixado a partir do site oficial para Linux, Windows e MacOS.

Você já conhecia o DigiKam? O que acha do Software? Deixe pra gente nos comentários, confira nosso Feed RSS e até a próxima notícia, dica ou tutorial!

2 Curtidas