Diferenças entre licenças open source na prática

Inspirado no tópico sobre softwares open source e proprietários. Queria falar um pouco sobre as diferenças entre as licenças e como isso reflete na realidade.

Por exemplo, o Chromium usa a licença BSD que é bem permissiva e que permite ser republicado com software proprietário associado. Por isso que ele foi escolhido pela equipe do Vivaldi, Opera e Microsoft por exemplo. Ou até mesmo é usado no projeto Electron.

Por outro lado o Firefox usa a licença MPL que não é permissiva e que tem uma restrição, você não pode modificar o Firefox e publicar com o mesmo nome. Tem alguns softwares que usam o Firefox como base mas são poucos e de nicho.

Acho interessante que uma licença que teoricamente dá liberdade ao desenvolvedor e usuário, na verdade não é tão convidativa assim. Um exemplo é o Android licenciado com a licença Apache que também é permissiva e permite software proprietário junto, ou seja, atrai as empresas para desenvolver nele.

Outro exemplo. A Sony usa de base para o sistema operacional do Playstation o FreeBSD, justamente pela licença permissiva que permite a redistribuição proprietária, além de não receber processos da FSF. A própria Apple usa o FreeBSD de base para seu sistema também.

Recomendo os vídeos do Toca do Tux que ele fez sobre licença GPL e porque seria não tão boa.

1 Curtida

Tem a MIT que basicamente diz: Só deixar os créditos e tá tudo certo

1 Curtida

GPLv2 e v3 são licensas totalmente válidas e quem teus usos caso o programador decida usa-la, geralmente pessoas reclamam dela por pura birra conta a GNU e não por motivos práticos. Uma observação, só citar o vídeo do Toca do Tux não é uma boa, seria melhor linkar, por que só pesquisando “toca do tux gpl” e caio num vídeo (GPL e o capitalismo) que não diz absolutamente nada sobre o que a GPL é e nem realmente argumenta nada sobre, então provavelmente eu caí no vídeo errado né?

Desculpe pelo erro. Aqui está a playlist do Toca do Tux sobre licenças. Tem um vídeo sobre o PlayStation 4 e outro sobre se algum dia o Linux vai sair da GPL.