Defenda sua interface gráfica!

Para mim atualmente o KDE Plasma.

  • O workflow dele funciona muito bem para mim, talvez porque eu venha do Windows a pouco tempo.
  • Por ser baseado em widgets, é possível “encaixar” o seu desktop como bem entender, deixando tudo ao seu gosto.
  • Bastante opções para customização de praticamente tudo. De temas, animações, blur (até demais, devo confesar), títulos de janelas e por aí vaí. É possível extender ainda mais com a adição do Kvantum.
  • Últimas versões estão rodando extremamente lisas e sem gastar tantos recursos .

Bom, esses são alguns pontos. Obviamente que não é perfeito. GNOME tem tido incríveis resultados com as últimas atualizações e só tem a melhorar, XFCE continua estável e rápido como sempre, além de outras DEs ou até mesmo WM que não vou citar se não o comentário ficará maior que o esperado. Todos possuem prós e contras.

Porém para o meu uso pessoal e minha workflow, o KDE PLASMA ganha.

4 Curtidas

Ainda vou me desafiar um dia e instalar ele como WM principal. Acho incrível o conceito de Tiling WM. Ocupar todo espaço em tela e a workflow separada em desktops diferentes. Talvez após o término deste semestre eu dê uma olhada. (Além de achar tiling WMs estiloso para caramba aahahhaha)

1 Curtida

pra mim vai ser dificil sair do KDE por um detalhe que pode para muitos ser bobo mas é o que sempre procuro nas DEs.
acho que o nome é “xdg-desktop-portal-kde”

1 Curtida

Já tive vontade, algum dia ainda irei tentar.

1 Curtida

Plasma.

Bem user friendly quando se trata de customização, sem falar dos widgets e etc… é uma ótima alternativa pra quem quer fugir do gnome, ou não gosta do mate por conta de falta de animações (assim como xfce), pessoalmente não gosto muito do compiz, então kwin vai melhor no meu gosto.

7 Curtidas

KDE Plasma

Esses dois pontos são cruciais:

  • É possível fazer com que cada pasta tenha sua própria configuração de visualização e ordenação dos arquivos e pastas (acho que só o Nemo do Cinnamon que tem essa função. É triste)
  • Creio que todos os ambientes gráficos (pelo menos do XFCE pros mais pesados) tem dois perfis de som, um para quando os fones de ouvido estão conectados e outro perfil para quando somente usando as caixas de som do computador. Mas o KDE Plasma tem um diferencial que dei falta em muitos ambientes gráficos, ele tem um recurso nativo e com GUI para desabilitar o touchpad assim que o mouse for conectado; é inaceitável que eu tenha que baixar o touchpad-indicator ou rodar um script para fazer isso em outros ambientes gráficos.

Esses detalhes também são importantes:

  • Possuir um conjunto de ferramentas com GUI para eu configurar o meu sistema. Muitos ambientes gráficos até que o possui ferramentas para editar coisas mais básicas (especialmente o visual do ambiente gráfico), mas as ferramentas de configuração do KDE Plasma mexem com mais coisas.
  • Ao mesmo tempo que é bonito, não tenta inovar em demasiado (detesto, por exemplo, aquele menu “moderno” do GNOME)
  • Tem uma grande coleção de programas que são excelentes, o meu favorito é o Okular e o KolourPaint.
8 Curtidas

Xfce é melhor e já era.

1 Curtida

Eu também gosto muito do KDE o jeito que ele funciona área de trabalho ativa, widgets, acho o QT muito mais bonito do que o GTK apesar deste não ser nenhum pouco feio gosto da leveza e maleabilidade do KDE talvez por querer sempre customizar e deixar a interface como eu gosto… porém, entretanto, todavia reconheço que o GNOME é melhor em algumas coisas exemplo: é na questão da loja de aplicativos acho a gnome software mais organizada bonita e eficiente no caso no fedora, já no ubuntu a canonical fez alguma coisa muito ruim que desgraçou a coitada da gnome software, já no fedora funciona perfeitamente como tem que ser.

3 Curtidas

Sim. Concordo com teus pontos. O discover eu sempre acabo removendo por não gostar muito de como ele funciona… ahahaha

3 Curtidas


Ou seja, mais uma veis, Xfce é melhor e fds kkkk
Mas falando sério agora, acho que interface tem que atender bem a necessidade do usuário, seja ele quem for, ou que máquina tem, sendo algo bonito pra se ver, rápido ao usar e fácil de configurar, logo, Xfce é o melhor, pois roda bem em qualquer máquina hoje em dia, é fácil de configurar e fica bonito, até mais que KDE se a pessoa tirar 20 minutos no xfce-look/opendesktop etc
Edit: Nesse caso nem mexi, pois o instalador do Arch Anarchy deixa pronto, mas quando dou minha fuçada deixo até melhor.

Recomendo Anarchy pra quem quer e estiver sem tempo de instalar o Arch ou que não sabe usar o pacstrap

1 Curtida

@fastos2016 já falou tudo, pelo menos “para mim” meu GNOME no Fedora é sólido e estável, utilizo o copr com patches e rt-scheduler habilitado no Fedora 31 e não tenho do que reclamar.

https://copr.fedorainfracloud.org/coprs/pp3345/gnome-with-patches/

PS: Antes que falem da memória né… o Chromium está rodando com umas 5 abas, gnome-software, telegram, warsaw etc…

4 Curtidas

Não te esqueças da ukui
Parece muito promissor a ukui 3.1,é só esperar que fique full qt
Tal como o deepin está a fazer full qt/dtk

1 Curtida

Kde plasma porque sim :sunglasses::+1:… Kk

Ele é super customizável e leve(alguns dizem que nao…) E ele tem todas as funções que eu gosto.

2 Curtidas

GNOME

    Por mais que comumente seja taxado de “a DE mais pesada e menos customizável”, vou listar aqui alguns pontos que me fizeram amar este ambiente gráfico.

  • Simplicidade

Como já foi falado aqui, o Projeto GNOME tem um objetivo claro: manter a usabilidade, simplicidade e acessibilidade. Seu visual limpo e coesão visual do sistema operacional, além de uma grande disponibilidade de programas escritos em GTK que não quebram o visual.

  • Modularidade

Por mais que de fato o Plasma seja muito customizável de fábrica, isto se mostra desnecessário para mim. Depois de dois anos usando GNOME, percebo que a cabine de avião que é o centro de controle do Plasma me oferece opções que eu nunca uso, e acima de tudo me deixam confuso. Já no GNOME, o SO só me mostra o necessário para ter um bom uso do sistema, e quando me sinto criativo e quero customizar basta acessar o site de extensões do GNOME e clicar em “On”.

  • Fluidez e workflow

Com uma máquina descente já é possível rodar o GNOME com uma fluidez e responsividade excepcionais. Acima de tudo, seu workflow é único e funcional. Depois de se acostumar, é difícil voltar atrás.

3 Curtidas

O ridículo é que no no fedora (por exemplo) para acessar algumas coisa é necessário instalar o gnome tweaks
Já no kde tudo é configurável
Talvez vocês digam, eu não vou precisar da ferramenta X ou Y só que se um dia for realmente preciso mexer nisso, tipo áreas de trabalho, dois monitores ou coisa do género, o kde já está pronto para a configuração

3 Curtidas

Já usei Cinnamon, KDE e Gnome

  • Cinnamon usei no Linux Mint, mas achei que era um bocado feinho na versão base e não era lá muito customizável
  • KDE usei no Kubuntu e agora no Manjaro. Gosto muito dele, mas ele não gosta muito da minha Nvidia. Se fosse AMD talvez usasse mais porque já não teria aqueles bugs chatos
  • Gnome uso no Manjaro. Passei a usar depois do video do Dio sobre como é que se usa o Gnome. Apesar de também não ser muito customizável, foi onde tive menos bugs e até, por vezes, mais rapidez. O workflow é muito bom e a integração das apps também

:slight_smile:

1 Curtida

Fala pessoal.
Qual a opinião de vocês?

XFCE- Um bom ambiente e leve, mas falta aplicativos. Contudo falta temas bons para este ambiente, e com a chegada do 4.16 ficou ainda pior por causa do CSD.

GNOME- Um bom ambiente, já vem com um grupo de aplicativos para sua utilização. Tem vários temas legais na web. Assim como KDE é um pouco pesado dependendo da configuração do seu computador.

KDE - Um bom ambiente para quem vem do Windows. Contudo a quantidade de configurações e aplicativos podem atrapalhar e muito quem está iniciando no KDE.

LXDE - Ótimo para computadores limitados e antigos, mas ao contrário do kde, falta configurações visíveis. Muitas delas terào quer ser feita via texto.

Deepin- Muito bonito, mas pouco produtivo.

Cinnamon- Bom, mas falta de extensões e temas podem atrapalhar sua utilização dependendo do uso.

Budgie - Nunca utilizei, mas é um gnome 3 modificado.

Openbox- excelente para computadores antigos.

3 Curtidas

Por mim, todos são muito bons dependendo do seu gosto e seu uso.
Gnome é o meu favorito, mas entendo porque alguns não gostam e preferem usar KDE ou XFCE.
Mesmo assim, acho que usaria qualquer DE sem problema.

2 Curtidas

Primeiro, Openbox não é um ambiente mas sim um gerenciador de janela que pode ser usado como ambiente. Então isso vale pra outros gerenciadores de janela também?

Mas, vamos lá:

XFCE ─ Ótimo ambiente pra PCs mais fracos e que não deixa a desejar na personalização. A produtividade nele não é ruim, mas comparado com GNOME, KDE ou até mesmo o Cinnamon, ele fica um pouco atrás. Mas com algumas configurações isso pode ser “resolvido”.

GNOME ─ Bastante produtivo, mas não tem boa performace em PCs mais modestos além de ser “bloatware”, uma personalização muito limitada, com aplicativos que em maioria inútil, e muitas dependências. A maior vantagem é que ele é o ambiente mais “visado” entre todos.

KDE ─ Personalização incrível, mas compromete bastante a performace, além de ter o mesmo problema do GNOME de ser “bloatware” e a grande quantia de dependências nos apps KDE.

LXDE ─ Bem minimalista, simples, super leve, o que é ótimo pra PCs antigos. Qualquer computador roda bem, mas falta de recursos por isso. Além de que ele foi abandonado pelos desenvolvedores pra focar no LXQt.

Cinnamon ─ Intuitivo, fácil de compreender as funções além de ser uma boa porta de entrada para quem migra do Windows para Linux.

Deepin e Budgie nunca tive alguma experiência, e eu atualmente tô usando Openbox. Ele é muito bom, mas só se você quiser perder um tempinho personalizando tudo, e separando os pacotes que você precisa e quer.

Ainda tem o LXQt e MATE, mas eu nunca usei MATE e tive uma péssima experiência com o LXQt uma vez, que nem vale a pena comentar. Então não me ouso comentar mais nada :relieved:

2 Curtidas

O XFCE é leve, porém não consigo utilizá-lo, não consigo ficar muito tempo nele :confused:

O meu favorito. Sua usabilidade e o design de seus apps me agradam bastante :slight_smile:

Utilizei por um tempo e já foi o meu favorito. Gosto das várias opções de poder personalizar do jeito que a gente quiser (além do blur, claro :sweat_smile: ).

Utilizei o DDE apenas no Fedora por uns dias, porém não consigo instalar o Deepin Linux para eu ter a experiência de utilizá-lo em sua distro mãe (longa e triste história que você pode conferir aqui).

Gosto dele, infelizmente não é tão utilizado fora do Linux Mint…

Utilizei apenas em VM, não tenho muito interesse nesse DE não


Eu adicionaria:

Pantheon: DE do Elementary OS, é bonito, simples, porém meio pesado e bugado até a versão 5.1 do Elementary, espero que na versão 6 melhore isso.

MATE: Leve como o XFCE, acho bonito (por incrível que pareça), seria uma opção para eu utilizar caso não tivesse Gnome, KDE Plasma, Cinnamon e Pantheon ( :man_facepalming: :joy:)

1 Curtida