Conheça as novidades do sprint 116 do YaST

O ano de 2021 começou trazendo algumas novidades para os usuários das distribuições baseadas em Suse Linux, a equipe do YaST que reiniciou o trabalho há algumas semanas, divulgou em seu blog algumas novidades sobre desenvolvimento do Sprint 116 do YaST.

Parte dessas novidades foram baseadas no feedback da comunidade:

  • Gravando a configuração do NetworkManager durante a instalação do sistema.
  • Refinando o mecanismo para reutilizar partições EFI existentes.
  • Usando nomes mais estáveis e consistentes para referir-se a dispositivos no bootloader.
  • Melhorar o comportamento do AutoYaST quando nenhum produto foi especificado.
  • Atualizando as funções oferecidas por yast2-vm.
  • Muitas outras pequenas melhorias aqui e ali.

A partir dessa versão do instalador o openSUSE e o SUSE Linux Enterprise poderão usar o wicked ou o NetworkManager para lidar com a configuração de rede do sistema.

Além disso, também ocorreram melhorias na lógica para a detecção da partição UEFI no instalador, que em alguns casos estava afetando os usuários que desejam utilizar um particionamento customizado, essa correção deverá estar disponível em todas as flavours em breve.

Estas são apenas algumas das melhorias citadas, você pode conferir o post completo aqui. As distros baseadas em OpenSuse tem usuários fiéis aqui no Brasil, mesmo não recebendo tantos holofotes quanto o Ubuntu, por exemplo.

Você utiliza alguma das distribuições OpenSuse? Deixe suas impressões sobre essa distro aqui nos comentários.

2 Curtidas

Alguma informação sobre o kubic e o microOS?

Nesta atualização do YaST não foram citados estes sitemas, mas vou ficar de olho.

:vulcan_salute:

Essa mudança envolvendo Wiked e Network Manager é uma daquelas pequenas grandes coisas. O suporte já estava lá, mas faltava polidez no comportamento quando o usuário mudava de um para outro.

No geral, são mudanças bem pequenas (a parte do carregador de inicialização só envolve o parâmetro “resume”).

No geral, o YaST2 é maduro e não tem mudado muito.

O que eu gostaria de ver são melhorias no módulo do firewall, que não funciona mais tão bem desde que saímos do SuSEfirewall2 para o firewalld.

Depois do abandono da interface GTK, perdemos um frontend mais agradável para instalação de pacotes também. Eu rejeito todos aqueles baseados no PackageKit. Gostaria que a decisão fosse repensada, pelo menos para a questão da instalação de programas.

1 Curtida