A polêmica do GIMP e o GLIMPSE - Qual a sua opinião?

Acabei de escrever um artigo sobre a situação: https://www.diolinux.com.br/2019/08/glimpse-quer-ser-o-novo-gimp-sera.html

9 Curtidas

blz, mas o q significa glimpse?

Confere o link brother :slight_smile:
Ele é um fork do GIMP

Eu acho bom quando um fork é criado por motivos ou razões fundamentadas. Por exemplo, o systemd causou grande polêmica, principalmente por não seguir a filosofia Unix, muitos devs criaram forks ou então tiveram a escolha de continuar cos inits tradicionais e isso é e deve ser totalmente normal no mundo de software livre.

Em se tratando do GIMP, acho que já estava mais do que na hora. Precisa urgentemente de melhorias em uma porrada de aspectos, mas nunca tem lá grandes novidades. E pelo que eu ando lendo, muitas sugestões da comunidade e de devs são ignoradas e nunca incorporadas no projeto. Então, esse fork é super bem vindo. Concorrência é ótimo, necessário e deve ser bem vista pela comunidade, porque esse é um meio de fazerem as coisas melhorarem por causa da competição. Só é preciso ficar de olho nos princípios básicos de cada projeto, licenças, filosofias e etc.

7 Curtidas

já li meu mago do open source, mas como tão fazendo esse auê todo por um nome, que tal dar um nome com algo que tenha um significado tbm? a sigla GIMP refere-se explicitamente ao nome do programa (GNU Image Manipulation Program). Segundo o tio google, glimpse seria na tradução como “vislumbre”, mas não consegui relacionar com um programa de edição de fotos.
Como o próprio artigo diz, “você pode criar um fork para chamar como quiser e continuar o seu próprio desenvolvimento à partir daí.” , mas não achei o nome conciso.

4 Curtidas

Realmente 'glimpse" é “vislumbre”, mas tem um “q” muito mais artístico de alguma forma, do que GIMP. A sigla GIMP realmente quer dizer “GNU Image Manipulator Program”, mas até no site temos GIMP, como na própria URL: https://www.gimp.org/
O nome em si não precisa fazer sentido assim, o que importa é o trabalho que vem junto com ele, uma das empresas mais reconhecidas por design da história da informática se chama “maçã” hehe

5 Curtidas

Concordo totalmente com @anon98068247 e acho que entendi o porquê de “Vislumbre”. Quer dizer que com o novo programa, você não vai simplesmente traçar as linhas e colorir, vai fazer uma verdadeira obra de arte. É um Marketing, gostei do nome.

4 Curtidas

Gosto do nome Glimpse, acho desnecessário criar um fork apenas por causa do nome do aplicativo, mas as coisas chegaram a esse ponto porque os desenvolvedores do GIMP se recusam a mudar o nome do aplicativo, sendo que esta é uma reclamação antiga. GIMP tem uma conotação pejorativa em inglês.

7 Curtidas

O software é livre pra forkear por qualquer motivo. Mas se é por uma questão de mercado o glimpse poderá provar seu ponto fazendo sucesso (espero que faça tanto ou mais quanto o gimp) se é por questão de de conflitos autorais, estranho não ter acontecido ainda, a não ser que queiram criar uma fundation tipo o que aconteceu com opensuse/suse.

2 Curtidas

É a possibilidade de dar ruim com direitos autorais, o gnome teve um episódio parecido salvo engano, mas no caso eles eram os reclamantes

Por mim só mudaria de “GIMP” para “G.I.M.P.” para deixar claro que é uma sigla e pronto.

1 Curtida

Acho que isso não resolveria tanto o problema, porque quando as pessoas fossem falar, soaria da mesma forma, mas é uma ideia.

2 Curtidas

Não sei se o Gimp é uma fundação, tal como é o Krita; o que facilitaria a arrecadação de recursos e creio eu também facilitaria na mudança ou adequações que por ventura se façam necessárias ao projeto. Tal mudança ou adequação deveria ser colocada em votação interna, abrindo-o ou não ao público. Se o até então “fork” só for a mudança de nomenclatura, não concordo, mas se o mesmo trouxer melhorias ao projeto original, sempre é bem vindo!

4 Curtidas

Pessoal do “GNU” tem que por o nome “GNU” hehe. O pessoal do KDE, por exemplo, fazia questão de por “K” em tudo, na época era algo que trazia uma familiarização e facilitava ao usuário saber que estava a utilizar um programa sob o guarda-chuvas do projeto KDE; hoje por N motivos, especialmente de marketing, não se pode colocar “K” em tudo. Falkon, novo browser do projeto, antigo Qupzilla, é um exemplo recente da mudança das nomenclaturas do projeto.

2 Curtidas

Um dos problemas de não se preocupar com capitalização, é que dessa forma o software não tende a atender demandas de mercado, que é quem realmente usa o programa. Quando você elimina o risco de corte de verbas, você tem um produto menos focado, que demora muito tempo para evoluir, ainda que o GIMP, mesmo assim, seja muito bom. Pelo que eu saiba não existe uma “GIMP Foundation” ou algo assim, apesar deles aceitarem doações, não vejo o GIMP como um projeto tão aberto do ponto de vista de consultar artistas e ver o que eles gostariam que fosse colocado, como acontece com Krita e Blender, e eles fazem isso, mesmo que de forma mínima, para variar, o marketing é falho, pois nunca chegou aos ouvidos de grande parte do público.

4 Curtidas

Mas têm que se levar em conta o quão conhecido é essa gíria. Em qual país ela é utilizada?
Eu tenho dois dicionários e em apenas um aparece a palavra gimp:

"gimp s. (tecl.) galão, trança, alamar; (fam.) vivacidade, vigor, ardor, vitalidade, energia "

gimp nail s. tacha para tapeçaria”

(Dicionário inglês-português/Antônio Houaiss 13ª edição Rio de Janeiro : Record, 2002.)

No outro dicionário menor, que é tanto inglês-português quanto português-inglês, não aparece a palavra gimp mas aleijado eles traduzem como crippled, cripple e aleijar como to main.

Portanto eu acho que existe uma pitada de frescura nessa discussão e como alguém comentou no blog, muito do famigerado politicamente correto.

1 Curtida

De certa forma me lembra a “pseudo” polêmica de quando o Libeoffice foi “forkado” do OpenOffice. Acabou que o Libreoffice se tornou quase um padrão de mercado em suíte de escritório. Claro que neste caso havia um problema maior, a desconfiança (fundamentada) de como a Oracle manteria o OpenOffice após a compra da Sun Microsystems.
Neste caso do GIMP, me parece similar, mas não sou usuário do GIMP pra poder afirmar qualquer coisa com certeza. Tem de esperar pra ver o que vai dar. Se os forks tem algum problema, a meu ver, é a pulverização de esforços, espalhando os desenvolvedores entre opções que fazem basicamente a mesma coisa.

3 Curtidas

É um detalhe bobo mas que faz uma diferença enorme. Eu estou com a galera do Glimpse. Tem que mudar mesmo.

2 Curtidas

O mais engraçado é que já existem softwares com esse nome ou parecido como o Glimpse e o Glympse. Estão tão preocupados que nem escolhem o nome direito.
Eu gostei da sugestão que deram no reddit para mudar o nome para “Modular Image Loader from File”. /s lol

2 Curtidas

O Reddit é a melhor rede! :joy:

1 Curtida