5 diferenças importantes que você deve entender entre MacOS e Linux

Linux e MacOS compartilham uma herança comum: são ótimos sistemas operacionais, foram inspirados no Unix, são estáveis ​​e robustos. Mas várias diferenças tornaram esses dois sistemas operacionais únicos e distintos um do outro.

Vamos dar uma olhada em algumas diferenças importantes entre eles:

1. Software de código aberto vs. proprietário

Os dois usam muito software de código aberto, mas enquanto as distribuições do Linux são totalmente de código aberto, partes do MacOS são de código fechado e proprietárias.

Do kernel de código aberto aos principais utilitários GNU e ambientes GUI, o Linux é o epítome do software opensource. Você é livre para modificar e reempacotar todo o sistema operacional e até comercializá-lo.

No MacOS o kernel é de código aberto. Já a área de trabalho e os aplicativos, não. Claro, outros componentes da Apple, como a linguagem de programação Swift, são de código aberto.

2. Gerenciamento de software

O Linux adota o conceito de repositórios de software centrais, onde os usuários baixam e instalam aplicativos usando a linha de comando ou ferramentas gráficas.

No MacOS é por meio da pasta de aplicativos. Você baixa o que deseja instalar, arrasta para ela e o MacOS cuida do resto. Outra opção é usar a Mac App Store.

3. Proeminência da linha de comando

O verdadeiro poder do Linux está no terminal ou na linha de comando. O MacOS tem um emulador de terminal semelhante, mas grande parte da atenção vai para o desktop.

O terminal permite que você interaja com o PC e recursos de software de maneira fácil e eficiente, podendo automatizar e agendar tarefas. Engenheiros de software, usuários avançados e administradores de sistemas o incorporaram fortemente em seu fluxo de trabalho.

A maioria das distribuições Linux usa o Bash como shell padrão para o terminal. A Apple usa o Zsh, altamente personalizável e com muitas semelhanças com Bash, ksh e tcsh. Como o Linux e o MacOS usam shells semelhantes, os principais comandos funcionarão em ambos.

4. Ambientes de Trabalho

Existem vários ambientes de desktop que você pode escolher, oferecendo maneiras únicas de interagir com o sistema. Alguns ambientes de desktop proeminentes incluem GNOME, XFCE, KDE e Deepin. Você é livre para instalar quantos quiser, mas só pode usar um de cada vez.

A GUI no MacOS é padrão e a mesma para todos os usuários. Além de alterar os papéis de parede, temas e ajustes semelhantes, você não tem a opção de instalar outro gerenciador de área de trabalho.

5. O Conceito de Distribuições Múltiplas

No Linux, uma distribuição ou distribuição é um tipo específico de Linux com um conjunto específico de aplicativos, ambiente de desktop e utilitários de sistema. Diferentes distribuições geralmente visam um nicho específico, como hackers éticos, artistas, programadores, desenvolvedores de software etc.

A razão da existência de tantas distribuições Linux resume-se ao fato de que o kernel e seus componentes principais sejam de código aberto, permitindo a criação de novas distros para públicos específicos.

Com o MacOS, todos recebem o mesmo tipo de sistema operacional, independentemente de qual seja sua paixão ou trabalho. Isso ocorre porque a Apple é a única empresa que desenvolve e controla o sistema operacional. Seria contraproducente manter várias variantes de um único sistema operacional.

FONTE: aqui

6 curtidas