4 dicas para migrar para Linux sem stress

Linux não é coisa de hacker, qualquer pessoa consegue utilizar um sistema do pinguim! Confira 4 dicas para você ter mais confiança e tranquilidade na hora de mirar para Linux.

1 curtida

Migrei em 2005 e achei tranquilo.
Já vinha acompanhando o Linux em fóruns e em livros.
Curiosidade é uma benção.
Aliado a isso, vi praticamente o Windows nascer nos anos 80, mas nunca gostei dele.

4 curtidas

Para mim, essas dicas são especialmente necessárias quando vai se migrar para alguma distro que ou usa o Gnome puro ou faz algumas modificações pontuais no Gnome.

Principalmente a parte de Aceitar as Mudanças e a de não tentar fazer as coisas exatamente como você fazia antes, pois justamente o Gnome é o mais diferente dos grandes ambientes.

Tipo, o LXQT/LXDE, já tem um jeitão meio parecido com as versões mais antigas do Windows. O KDE se parece um pouco com o Windows 10 por padrão. E o XFCE e o MATE dá pra modificar para se parecerem com o Windows, e de uma forma bem fácil.

Já o Gnome, ele é o mais diferentão dos grandes, sem muitas possibilidades de modificar ele por padrão. A não ser com as extensões, mas algumas precisam de vários ajustes para ficar algo mais bacana.

1 curtida