Windows 11: tudo o que sabemos até agora

Mas, tecnicamente, a única coisa que o UUP fez foi converter a imagem para ISO. Vou dar uma olhada melhor na documentação depois.

2 curtidas

Sim, depois informe qual foi o procedimento feito por ele.
Se bem que, existe a possibilidade de que como é a ISO mais recente, a Microsoft já tenha voltado atrás (era algo que ela estava estudando) nos requerimentos de atualização e nós só não estamos sabendo ainda. Aliás, diz-se que esse é um dos motivos de terem retirado o Windows PC Health Check Setup do ar, pois, além de estar apresentando erros, provavelmente os pré-requisitos mínimos do W11 iriam mudar para pelo menos contemplar a 7ª geração da Intel e sua equivalente da AMD.

E vamos de testes no fim de semana, hahaha. Bacana saber que o seu não apresentou erros para a instalação.

Como tem sido o desempenho?

Muito pouco, para não dizer nada, diferente do Windows 10. Os únicos pontos são alguns crashes na UI e erros de tema, mas é o que se espera de uma beta. Sinceramente, sinto que não houve diferença alguma se não contar o tema.

1 curtida

bem diferenciado todo esse esquema que tão fazendo pra essa nova ISO deles, se tudo der certo vai ser muito boa é leve

Eu disse que mesmo que se instale o Windows 11 em um computador fora das especificações mínimas seria cedo demais para comemorar:

Em síntese, a Microsoft deve bloquear máquinas que burlarem o sistema de validação de pré-requisitos mínimos, inclusive, talvez colocando cláusulas no contrato de licença.

2 curtidas

Muito boa é relativo, mas beleza :sweat_smile:
Leve eu duvido muito. A gente tira pelos inúmeros serviços em background do Windows 10 e os de telemetria. A Microsoft tá pouco se lixando para o consumidor “comum” (compra um laptop e vai usar) e o consumidor comum aceitando numa boa :v
Em fim…

Será que com esses requisitos bem “Exigentes” teremos uma “Migração em Massa” de usuários de Windows para o Linux? :thinking:

Improvavel, mas não impossível. O público alvo da MS no quesito “home user” vai pouco se lixar e ir pela carinha bonita do “novo” Windows. Linux ainda sofre bastante preconceito no âmbito de desktop, com os velhos argumentos:

  • Precisa de terminal para tudo;
  • É difícil de instalar;
  • Não tem programas;
  • Linux é ruim por que é. Ponto.

Se esse estigma ainda é comum no ambiente de uma faculdade de TI e em alguns serviços, imagina com usuários leigos em informática…