Verdadeiras Alternativas a Softwares Famosos no Linux

O “verdadeiras” foi apenas para chamar atenção =D. Continuando...

Quando estava na faculdade vivia procurando alternativas para programas famosos, provando nas discussões que estavam errados nas faltas de funcionalidades e programas. Mas as respostas sempre eram as mesmas nos blogs e nas revistas eletrônicas. Era difícil achar listas que tivesse softwares que não fossem com apenas open sources. Sem falar que eram listas preguiçosas, como se estivessem apenas fazendo Ctrl+C e Ctrl+V. Não que os softwares indicados eram ruins. A grande maioria são ótimas alternativas livres, gratuitas e sem necessidade de pirataria. Mas nem todos eram suficientemente bons como alternativas. Alguns conseguia – se fazer o trabalho com algum nível de sofrimento.
Há também dentre os usuários Linux, os puristas. Para eles é praticamente crime utilizar software proprietário. Seja ele qual for, até mesmo drivers. Quem não se lembra que em 2015 o Flisol deixou de instalar o Ubuntu para as pessoas, porque ele trazia consigo drivers proprietários (acho que é até por isso que o Ubuntu pergunta hoje o que agente quer na hora de instalação). Esse estilo de vida também não é ruim, só são pessoas que amam a cultura do software livre e as carregam no sangue. Mas não acredito que era isso que influenciavam essas listas preguiçosas. Acho que era só preguiça mesmo.
Eu sigo muito a ideia do Dionatan do Diolinux que nos agrupou aqui. Se o software é bom, me atende melhor e posso pagar, porque não usá-los e indicá-los. Também sem guerra contra produtos Microsoft, particularmente não uso nenhum, mas não há necessidade de crítica para quem os usa no pinguim. Até o surgimento do Diolinux não via um blog que indicava tantas opções proprietárias no Linux (os únicos “permitidos” eram os jogos). Nem sei se tem mais alguém fazendo o mesmo, depois do Diolinux raramente eu preciso procurar informações em outros blogs.
Fazia-se muito tempo que não pesquisava soluções Linux, nem seguindo muitas notícias. Mesmo tendo só o Ubuntu no note. Me surpreendi muito que depois de 5 anos, o quanto as alternativas livres evoluiriam e a quantidade de softwares poderosos abraçaram o pinguim.

Então hoje eu vou trazer uma lista reversa. Uma lista com alternativas comerciais no Linux.
Pena que grande parte das soluções não possuem tradução para português.

1 – Começando com os 3 principais de Suíte Criativa. Editor de Imagem, Editor Vetorial e Diagramação (Photoshop, Ilustrator/Corel Draw e Indesign).

Há um tempo eu li um artigo cientifico de uma professora ter implantando na UFBA no curso de Diagramação (não lembro qual era o superior), para rabalhar com Software Livre. Os alunos saíram apaixonados pelo Gimp e Inkscape, mas o Scribus reclamaram muito. No artigo comentaram que o Scribus não era intuitivo e dava muito problema. Essa era uma reclamação geral que se encontrava na Internet. Não sei o quanto o Scribus melhorou. Os outros dois para mim tira a justifica de pagar altas licenças, quanto se tem algo tão poderoso e de graça.

1.1 - Editor de Imagem (alternativas):
• Pixeluvo: Simples e barato;
• Gravit Design: simples, barato e 3 em 1 (editor de imagem, vetorial e diagramação). Há opção gratuita online com menos recursos;
• Bloom The Smart Image Editor: produto muito novo ainda, com poucas informações. Em seu site diz que possui mais funções que o Gimp e Photoshop, mas não achei ninguém comparando para ter certeza. A propaganda é que ele é o único editor de imagem 100% não destrutivo. Também trabalham com imagem vetorial. É barato e vitalício.

1.2 – Editor de Imagem Vetorial (alternativas):
Havia um programa chamado Xara Extreme. Mas acabei de descobrir que o mesmo foi descontinuado. Mas já em 2006 o código havia sido aberto, e agora é um projeto open source. Havia visto um review uma vez que esse programas tinha muitos recursos. Inkscape e Xara podem aproveitar códigos um do outro para criar novas funcionalidades.
• Gravit Design: Também trabalha com imagens vetoriais;
• Bloom the amazing image editor: Também trabalha com imagens vetoriais.

1.3 – Diagramação (alternativas):
• VivaDesigner: Possui versão gratuita. Há outros softwares da empresa que complementa o designer. Há no site dicas e manuais para quem está migrando do Indesign. Bom preço;
• Grafit Design: Também traz a parte de diagramação. A versão gratuita só de diagramação online é o Graft Klex;
• Canva: Funciona online, há versão gratuita e com mensalidade. Vem ganhando muita fama nos últimos tempos. Também possui versão mobile.

2 – Pintura Digital Profissional (Corel Painter):

Aqui há duas ótimas opções livres, o Gimp Paint Studio (complemento do Gimp) e o Krita.
As alternativas comerciais são:
• PaintStorm: Barato, com versões para os 3 principais SOs além de versão para iPad. Pelo site, me deu a entender que para Linux é gratuito, mas não posso garantir;
• Foundry Mari: Esse é bem poderoso. Da empresa desenvolvedora do Nuke. Foi criado para pinturas 3D e claro faz pitura 2D também;
• Fusion 16. Como o Mari acima faz pinturas 2D e 3D. Sua função mais conhecida é em composição de efeitos visuais+ em video.

3 – Edição de Vídeo (Premier):

Edição de video nas listas sempre entrava a indicação do Cinelerra para trabalhar profissionalmente. Mas o que mais se encontrava que era a dificuldade de encontrar uma versão estável do software. Na época o KDEnvlive não era indicado para para uso profissional. Que o mesmo tinha alguns recursos avançados mas não chegava a ser profissional. Coisa que o Dionatan já desmitificou em seu canal. Depois de um tempo vindo de Hollywood chegou o Lightworks que a opção gratuita começou a entrar como uma opção.
Alternativas:
• DaVinci Resolve: O peso pesado que entrou para o pinguim. O mesmo todos já devem conhecer ou ouvido falar. Tem sua versão gratuita;
• Piranha: Achei esse software, mas não consegui achar muitas informações;
• Lightworks Pro: Muito mais completo que seu irmão gratuito. Chega a ter 5 vezes a quantidade de recursos em sua versão mais completa em comparação a free.

4 – Edição de Audio – DAW (Pro Tools, Ableton Live):

Nessa parte sempre aparecia o livre Ardour, logo após o LMMS também entrou na lista. Não sei dizer o quão bom os dois são. Única reclamação que encontrei foi que o Ardour era difícil de instalar. Depois veio o Tracktion, proprietário mas gratuito e limitado em comparação ao seu irmão pago.
Alternativas:
• Bitwig Estúdio: Foi criado por desenvolvedores que costumavam trabalhar em Ableton Live, tem interface parecida com ableton. Apareceu muitas vezes em muitas listas dos melhores DAWs do ano. Será que para o Linux ele pode ser considerado o Davinci Resolve dos áudios?;
• Waveform: barato. Dos criadores do Tracktion, tem em media mais que o dobro de funcionalidades que seu irmão gratuito. Há plugins e outros softwares para deixar o estúdio completo, como sintetizadores, instrumentos virtuais, etc.

5 – CAD (AutoCAD):

Nas listas normalmente indicavam o FreeCAD ou o Qcad, mas na época não encontrava muitos elogios para os dois. Depois de tanto tempo não sei quão poderosos ficaram. Depois chegou no pinguim o DraftSight, não livre mas gratuito. Vi vários reviews e com vários elogios. O mesmo começou a ser o indicado nas listas de alternativas. Acabei de descobrir também o BricsCAD Shape que é gratuito e voltado para designers e arquitetos. Fazendo plantas em 3D.
Alternativas:
• BricsCAD: Há um bom tempo sendo uma boa alternativa para CAD. O preço da versão top e vitalícia é mais barata do que 1 ano de aluguel do AutoCAD. Também li um artigo cientifico de uma universidade de MG que estava migrando seus laboratórios para Linux. O software escolhido para desenho técnico e para os superiores de engenharia foi o BricsCAD. O mesmo não apresentou nenhuma perda em comparação ao antecessor (AutoCAD);
• DraftSight Premium: bem mais completo que seu irmão mais pobre. DraftSight Premium oferece a mais uma sólida experiência de design de projetos em 2D e 3D, desenho técnico, modelagem, prototipagem, fabricação, corte a laser e impressão 3D, Ferramentas de produtividade e API. Um terço (1/3) do valor do aluguel anual do AutoCAD.

6 – Compositor de Vídeos e 3D (After Efects e 3DMax):

Colocando os dois juntos porque se misturam em muitos softwares.
As listas como alternativa do Affter Efects, indicavam um programa que agora nem lembro o nome, mas que não era muito elogiado. Não colocavam o Blender como uma opção e na época não existia Natron. Para 3D sempre foi indicado o elogiado e poderoso Blender. Agora é impressionante o quanto o Linux cresceu e ficou ultra mega power.
Alternativas:
• Fusion 16: Outro vindo de Hollywood. Foi utilizado em efeitos especiais em vários filmes gigantes de Hollywood, até mesmo no grandioso Avatar;
• Foundry Nuke: Uma das ferramentas mais poderosas do mercado, a empresas possui uma família de software extremamente completa e poderosa para pós produção;

Agora 3D e Efeitos especiais começam a se misturar.
• Houdini: Fantástico, poderoso e completo. Pode ser utilizado para composição de vídeo, animação, criação de jogos, etc. Possui engine própria e integração com Unity. Possui licença indie para programadores de jogos independentes muito barata comparada a muitos concorrentes;
• Sensei Format: da empresa Blender Sensei são plugins e extensões que simplifica e deixa o Blender mais poderoso;
• Maya: programa de modelagem 3D, animação e efeitos especiais da Autodesk;
• FumeFX: plugin para o Maya de efeitos de fogos, fumaça e explosões;
• Foundry Modo: Software de modelagem 3D da família Foundry;
• Archipelis cria modelo 3D a partir de um desenho/esboço.

7 – Renderização

Softwares de renderização (V-Ray, Lumion) nem era comentado em separado. Apenas era dado o Blender como solução. Mas aqui o Belnder sempre trouxe boas opções consigo como o Cyrcles e o mais novo e muito poderoso Eevee.
Alternativas:
• RenderMan: Outro que veio de Hollywood. Criado pela Pixar e utilizado em seus filmes, foi liberado ao grade público. É gratuito para uso não comercial, totalmente completo e sem marca d’agua;
• Foundry Katana: Mais um da poderosa família Foundry;
• HDR Light Studio: é um ótimo programa que oferece efeitos de iluminação ainda mais reais do que os modelos pré-definidos provenientes de programas como o 3DS Max, Maya, Softimage/XSI, lightwave entres outros softwares.
• Octane Render: utilizado para cinema 4D;
• Indigo Renderer: um dos melhores renderizadores do mercado. Seu editor de materiais produz resultados extremamente realistas e seu simulador de iluminação obedece as leis das física deixando cenas com um aspecto sensacional.

22 curtidas

Obrigado por se dedicar a esta pesquisa e compartilhar conosco. :fist_right::fist_left:

4 curtidas

Tem o LibreCAD também

2 curtidas

Verdade, havia me esquecido =D

buenas, sei que " A última resposta para esse tópico foi **8 meses atrás", mas por conta de uma pesquisa que estou fazendo só agora me deparei com ele. E por causa dele me cadastrei no Fórum, única e exclusivamente para dar parabéns para o bobmalmstein e agradecer.

4 curtidas

Gostei dessa parte, pois apesar de não estudar na UFBA sou da Bahia, e como participo da comunidade OpenStreetMap, vejo constantemente eventos vindos de lá com esse viés…

Edit:

Fui ver agora que o post era de 8 meses atrás, depois de ler o comentário:

adciona ae, softwares para monitorar e testar o hardware:
todos q vou citar são opções ao cpu-z, gpu-z, msi afterburner, crystaldiskinfo, hwmonitor, aida64, core temp, real temp, etc.
.
cpu-x
cuda-z
greenwithenvy
gtkstresstesting
gpu viewer
geexlab
htop
gsmartcontrol
tuxclocker
gl-z
goliathoufx
hardinfo
neofetch
psensor
gparted
geekbench 5
unigine superposition
mangohud

2 curtidas