Usuários de Manjaro e Arch parem de brigar!

Estes dias eu estava velejando pelo dplus, quando me deparei com um post em que estava ocorrendo uma guerra civil entre o team arch e o team manjaro. Pelo menos me pareceu isso. Ok, como um usuário de Ubuntu vim me meter na discussão. Claro que não vou tomar partido de nenhum dos lados.
Acho totalmente nada haver ficar por aí discutindo sistemas. Mas, obvio que vou dar meus argumentos.
E aqui vão.
1° os sistemas são diferentes, mesmo tendo a mesma base. Então, a maneira de tratar os dois vai ser diferente.
2° os dois sistemas podem quebrar. O arch com suas atualizações diárias e o manjaro com suas semanais. Isso depende do usuário que usa.
3° o fato de o manjaro não seguir a filosofia do arch. NÃO IMPORTA. Por que o arch é o arch e o manjaro é o manjaro.
4° não somos obrigados a seguir nenhuma filosofia. Até porque nós estamos no mundo linux que prega a liberdade de software. Então o manjaro é livre pra fazer o que quiser, de qualquer forma que o arch também. Isso porque teria gente brigando, pois o Ubuntu não segue a filosofia do Debian.
5° eu não entendo de minúcias técnicas. Porém, entendo que todo sistema têm erros e bugs. Nenhum dos dois escapa nessa. Inclusive o Ubuntu tem seus errinhos.
Desculpem o textão. Mas, creio que alguém deveria falar. Não quero que me entendam mal, só estou querendo que a nossa comunidade cresça e amadureça.
Obrigado pela atenção.

11 Curtidas

Aqui a comunidade é super de boas ahahahaha
Tem que ver os fóruns oficiais dos gringos de arch e manjaro para achar o ódio em forma de texto

3 Curtidas

Na minha opinião acredito ser impossivel de terminar esta briga pelos seguintes motivos:

  • Arch: E sua filosofia, continua com uma instalação “arcaica” do sistema (sem interface gráfica).
  • Manjaro: Utiliza os pacotes do Arch, não segue sua filosofia, tem uma instalação gráfica. E cada vez mais faz parceria e esta ganhando popularidade levando sua marca Manjaro, o que para um usuário do Arch, nada mais é do que esta lucrando e ganhando popularidade sobre o nosso trabalho.

A solução seria o Arch largar sua filosofia e virar uma distro mais comercial ou o Manjaro deixar de usar os pacotes do Arch e criar os próprios.

Simples a solução né :rofl::rofl::rofl:

2 Curtidas

As vezes na leitura dos textos transmite um sentimento diferente para o leitor. Eu posso ter lido os textos errados. Me desculpem.

1 Curtida

Mas no caso do Ubuntu que utiliza-se do .deb não seria o um caso similar. Sendo que ele lucra comercialmente com o sistema do Debian?

Mais ou menos, acho que uma grande diferença é que o Ubuntu é derivado do Debian hoje, e não um “baseado em”. Nem tudo que é baseado é derivado, mas tudo é que derivado é baseado.

O que eu quero dizer com isso?

O Ubuntu hoje usa de fato pacotes do Debian, se não me engano, tira Snapshots do repositório Testing e debuga por si mesmo a partir dali, mas não usa os servidores do Debian, a Canonical mantém e debuga seus próprios pacotes, contribui upstream com correções de bugs, muitos devs do Ubuntu também são Devs de Debian, o que financia o projeto indiretamente e ajuda ele a se manter. Ou seja, é derivado.

Muitas vezes empacotadores de softwares Ubuntu enviam pacotes para o Debian, porque sabem que quando os Snapshots forem feitos eles virão para o Ubuntu, mantendo esse ciclo. Apesar de ambos usarem Debs, a versão estável do Debian e uma versão (mesmo LTS) do Ubuntu, podem não ser incompatíveis por conta das versões das libs.

Um “baseado em”, significa (sob a minha concepção), que caso o sistema base mude muito ou desapareça, isso afeta imediatamente e diretamente o projeto baseando nele, que é o caso do Pop OS, do Mint, do elementary OS, que não tem uma real independência do Ubuntu, e mais do que isso, se você observar os sources.list deles, vai ver que eles apontam na verdade para o servers que a Canonical mantém, algo que não acontece com o Ubuntu e Debian.

Situação inclusive que eu acho meio desconfortável, mas que nunca vi a Canonical reclamar, de distros que fazem versões do Ubuntu “sugando” os servers deles, seja diretamente, ou mesmo pelo Launchpad.

Não tenho dúvida que mudanças no Debian podem impactar o Ubuntu, dependendo da situação, mas a distro é muito mais independente.

No caso do Manjaro, eu tenho a sensação (posso estar errado) de que, pela estrutura atual ao menos, se o Arch “sumisse”, eles sumiriam junto, no caso do Ubuntu/Debian, se o mesmo acontecesse com o Debian, consigo imaginar o Ubuntu tendo de restruturar a forma com que o sistema é construído, o que pode levar um tempo, mas conseguindo se manter, como projeto e como empresa.

Pode ser só uma impressão que o projeto me passa, mas não vi ainda o Manjaro contribuir upstream com nada, como eu disse, posso estar errado, se alguém tiver informações, pode colocar na discussão para garantir que não seja um comentário injusto.

Abraços!

5 Curtidas

Se o cara não quiser que outros utilizem o trabalho dele para os seus próprios projetos e com os seus próprios ideais então que pare de fazer software open source… Faça software de código fechado que ninguém vai se utilizar do trabalho dele a menos que ele queira. haha É cada coisa. Ao menos é o que eu penso.

10 Curtidas

Isso é absolutamente verdade, se não quiser que seu material seja usado, realmente a melhor forma é fechar o código, e nada de errado com essa decisão até.

Ao mesmo tempo eu acho legal quando há reconhecimento e colaboratividade, mas não que isso seja obrigatório, afinal, é apenas uma cordialidade implícita. O Manjaro diz na sua Home que é baseado no Arch, e querendo ou não, muita gente só foi pro Arch por causa do Manjaro, mesmo caso do Debian e do Ubuntu, ou do Mint e do Ubuntu.

E de fato, o que o Arch faz é basicamente tratamento de pacotes, além de ferramentas para resolver problemas que eles mesmos criaram ao fazer uma distro completamente independente, não é, e nem precisa ser, o tipo de sistema que cria soluções, mas eles não realmente montam um sistema para o usuário final, e isso faz parte da proposta oficial, porém, como é de se imaginar, isso tem consequências naturais, boas e ruins, para o projeto.

Se o Arch tivesse, além do modo tradicional, ISOs com desktops prontos, talvez o Manjaro nem existisse, nunca saberemos eu acho, mas é uma escolha do projeto ser como é, da mesma forma é o Manjaro.

7 Curtidas

Vlw Dio, sou novato no linux. Por isso acho meio injusto esta briga. Mas isso já me deu uma luz.

3 Curtidas

Cara qualquer clubismo principalmente no mundo Linux eu acho uma BAITA perda de tempo. Temos incontáveis distribuições, o sistema é completamente personalizável (se quiser pode deixa-lo único) e cada um faz o que bem entender.

Se o cara gosta de arch vai na fé e se não gosta de manjaro NÃO USE!!

Cara tanta coisa importante para essa galera discutir HAHAHAH

5 Curtidas

Você sabe se o Manjaro usa os servidores do Arch diretamente? (Realmente nunca reparei, se puder tirar a minha dúvida). :slight_smile:

Caso não use, realmente a galera do Arch me parece ter mais é “dor de cotovelo”, eles poderiam facilmente se tornar mais populares se mudassem um pouco a finalidade do projeto, ou criassem uma vertente dele sem abandonar a raiz, é o tipo de sistema “impopular” por escolha própria.

Software aberto é exatamente para ser usado como o Manjaro vem utilizando, dentre as 4 liberdades, em nenhuma está “contribuir de volta para o original”, apesar de ser algo legal para se fazer, mesmo que um pouquinho apenas, admito.

Pensa só:

Quando a gente instala o Arch, também estamos tirando proveito do trabalho de milhares de pessoas que desenvolvem o GNOME, KDE, e qualquer aplicação. Quando o Manjaro empacota tudo isso e entrega, está usando as liberdades de usar para qualquer fim e redistribuir citando a fonte (o que eles fazem), como manda o figurino.

Outros casos:

Quando qualquer distro reempacota o LibreOffice, e não usa os pacotes da The Document Foundation, está fazendo a mesma coisa, ou Firefox, ou qualquer outra aplicação. A inteção disso é justamente oferecer ao usuário o que o projeto acredita que seja o melhor, e melhor e pior é algo super subjetivo, como sabemos.

Acho OK o pessoal do Arch não gostar do Manjaro porque não fecha com seus ideais, aliás, é por isso que são projetos diferentes. Mas ideias de conduta são apenas isso, não são regras e contratos, tem mais a ver com o que a gente espera de cada projeto e não com o que o projeto realmente quer entregar muitas vezes.

Acho que users de Arch poderiam estar felizes por seu trabalho agora fazer parte da vida de outras pessoas através de um formato que se tornou mais atrativo para as massas do que o original. Fazer as coisas para ajudar, para compartilhar com as pessoas é o cerne do software livre.

É como o WSL do Windows, eu preferia ver mais pessoas usando Linux “dentro do Linux”, mas se quem gosta de um aproach diferente, como o do Windows, puder usar também, que bom! Se não existisse essa ferramenta, nada de Linux seria usado muitas vezes. Isso dá liberdade de escolha para as pessoas, o que é mais importante.

Percebe como soa: “Nós fazemos softwares livre, mas é pra você usar somente no sistema que eu mais gosto”.

Aposto que muitos usuários do Arch só chegaram até ele por conta do Manjaro, mas quando eles falam mal de usuários do Manjaro, eles se tornam agressivos a comunidade do mesmo, e na verdade estão afastando pessoas, ao invés de incentivá-las a pular do Manjaro para o Arch.

Ninguém gosta de quem acha que tem “o rei na barriga”, é mesquinho com outras pessoas que não estão cometendo nenhum “crime” e que ficam apontando defeitos, criando muros ao invés de pontes. Toda vez que você faz isso com alguém, automaticamente a pessoa fica na defensiva, procurando argumentos para justificar as suas decisões, porque os “humaninhos” não gostam de estar errados.

Um marketing muito mais inteligente para Arch seria usar a fama do Manjaro com pessoas menos técnicas e se apresentar para estes como “o próximo passo”, mas não me parece ser isso o que acontece, bem pelo contrário.

A comunidade Arch sempre foi complicadinha, porque alguns deles realmente idolatram um sistema operacional como se fosse uma divindade, e nem preciso dizer o quanto isso é prejudicial. No fim é só um programa de computador.

6 Curtidas

primeira opção não rola kkk

2 Curtidas

É mais fácil você conseguir dialogar com uma pedra do que com gente tipo kkkkk enfim, é bem melhor ignorar.

4 Curtidas

Ih… essa discussão não tem fim. Tinha até escrito um texto grande, acabei desistindo de postar. :upside_down_face:

3 Curtidas

Não, eles não usam os servidores do Arch. Eles usam os pacotes do Arch, se houver qualquer “incompatibilidade”, os pacotes são construídos novamente antes de chegar no estável do Manjaro.

Sumir eu não sei, mas poderia passar pelo mesmo processo de restruturação que você menciona sobre o Ubuntu.

Eu não tive tempo para pesquisar sobre contribuições do Manjaro para projetos como KDE, Gnome, etc (por exemplo). Mas contribuições para o Arch, eles só não contribuem mais pelo fato do pessoal do Arch não gostar que eles façam contribuições (é só ler o tópico onde se teve aquela “polemica” anterior ao FreeOffice, principalmente o que está no reddit [anterior as dos bots]).
Os caras reclamas se ajudam, reclamam se não ajudam, eles reclamam de qualquer maneira (logico que não falo de 100% do pessoal do Arch).

Muito do que o Manjaro passa hoje em dia, é o mesmo que o Ubuntu passou no passado por conta dos extremistas.

Saudações.

5 Curtidas

Eu acho que poucos deles levam esse negócio de >muh filosofia a sério. Boa parte desses “extremistas” só ficam papagaiando tudo o que leem na internet.

2 Curtidas

Se o Manjaro parar de utilizar os pacotes do Arch e começar construir todos por contra própria, você realmente acha que essa galera iria parar de implicar com o Manjaro?

Só mudariam o discurso, provavelmente dizendo que o Manjaro está negando as suas origens, etc… (já fazem isso quando cabe no discurso).

Saudações.

1 Curtida

Quando vc critica o manjaro por não seguir a filosofia do arch mas fala isso que vc acabou de falar me parece contraditório e no mínimo egoísta da sua parte. Isso é software livre acho que vc não entendeu bem o que é open source

Acho que ele não se referia como opinião dele essa parte (foi o que eu entendi).

Saudações.

1 Curtida

Na verdade eu não estou criticando o Manjaro, eu só expus o que eu acho que motiva a briga entre usuários do Arc x Manjaro. Tenho pc com Arch, e o note que eu estou utilizando para responder esta com o Manjaro.

Para mim o Manjaro esta sendo muito positivo para a comunidade do Arch, trazendo ferramentas que o Arch não iria desenvolver, que é o pamac, agora trazendo o fpakman que mudou de nome para bauh.

Porém algumas atitudes do mesmo, não estão me agradando, vou migrar para o Arch e utilizar dos beneficios por la, e recomendo o Manjaro para todos, é um Arch amigável.

Para mim é simples, não gostou muda para que você gosta, opção é o que não falta.

4 Curtidas