Thinkpads, EliteBooks e Latitudes são realmente equivalentes?

Essa três linhas de notebooks corporativos de Lenovo, HP e Dell são realmente equivalentes?

1 Curtida

Só para quem nunca pegou num Lenovo.

3 Curtidas

E em relação a Lenovo os saudosistas dizem o mesmo da IBM.

1 Curtida

E da Motorola, no caso dos celulares (e acho que se justifica)

1 Curtida

Dizem que os Thinkpads da Era IBM eram outro nível.
Também já ouvi falar isso da Motorola em relação a telefonia móvel.

1 Curtida

Eu tive um Moto G primeira geração (não tinha slot pra sd card) - ganhei usado em 2013, formatei e funcionava quando o perdi em 2018. Uma vez, fui numa loja da Vivo com ele e os vendedores o viram e ficaram fazendo cara de espanto de ver um funcionando… já que aparelhos dessa idade raramente sobreviviam, até que um deles disse que em se tratando de Motorolas de “marca”, isso era até normal. Começaram a ter obsolecência precoce quando viraram Lenovo…

Detalhe

Eu tenho um Samsung J7 desde o fim de 2018, uma única formatação e funciona lindamente

2 Curtidas

Cada vez temos menos marcas de produtos realmente robustos e duráveis (quando existem quase sempre tem preços proibitivos), tudo em nome da obsolescência e do consumismo.

2 Curtidas

Quando era IBM, aí era até humilhação.
Não compraria nenhum dos três (nem Lenovo Thinkpad), se fosse para fazer uma compra hoje iria de Avell ou Apple.

Sobre celulares, aí é uma questão da tecnologia e preço. Em reportagem de 2012 (e olha quanto era o dólar naquela época), o Motorola Startac, lançado em 1996, custaria o equivalente a oito mil reais. Mantendo a mesma metodologia (correção pelo IGP-M), hoje seria em torno de quinze mil reais. Sim, era uma fábula.

Mas uma questão que era bastante interessante a este respeito é que os Motorola eram analógicos e, basicamente, pegavam MUITO bem, há longas distâncias e utilizavam um canal cheio, o que era possível numa época em que pouquíssimas pessoas faziam uso.

2 Curtidas

Eu queria muito um Avell… até ver o preço

Esse tá “barato”:

Desisti

Como a escala era menor e os valores elevados, imagino que o esmero também era maior, em um outro tópico aqui no fórum postei uma matéria de 2001 onde um notebook com Celeron custava o equivalente a 20 salários mínimos da época.
Isso até me lembra quanto custava um Neo Geo AES nos anos 90:

Eu tive num na última grande baixada do dólar (2012~2013). Na época morava perto da fronteira com o Paraguai e o preço do Avell era o mesmo que um Asus top de linha, que nem era vendido no Brasil, que tinha até subwoofer externo.

Em construção não é lá estas coisas, mas a máquina e o suporte são impecáveis. O tipo de coisa: pague um pouco mais caro, mas não tenha dor de cabeça.
O meu já mandaram tela para eu mesmo trocar (não lembro em que contexto da conversa ocorreu isto), e um ano depois deu problema no flat do monitor. QUALQUER marca “comum” anularia a garantia se não tivesse trocado a tela na assistência técnica, no meu caso não só não houve qualquer problema, como minha caixa, já velhinha, foi substituída por uma nova.

Quando lançaram o primeiro com AMD, que é um superportátil mas que poderia ser corporativo, estava pouco acima de 5 mil no boleto.
Outro dia vi uma compra de notes da positivo por 4,5mil. Então, não consigo achar 5 mil num avell caro de jeito nenhum.

1 Curtida

Eu queria um Avell com teclado mecânico, mas, fiquei ressabiado com alguns comentários por ai…
*
*
*
Curioso que como o TrackPoint era uma marca registrada IBM, agora pertencente a Lenovo, HP e Dell usam nomeclaturas e modelos levemente diferentes em suas máquinas.

Apontador da HP:
image

Apontador da Dell:
image
image

Comparativo:
image

Esses preços que mostrei ali são de usados

Um novo custa 8 mil (sim, pro que é tá barato perto de um Compaq de 4 mil)

Quais comentários? Poderia dizer?

O meu já é só um backup, não o uso tanto mais. Mas curiosamente, é o maior número de threads da casa (4 cores/8 threads), e na época era um monstro, a única coisa que topava ele era compilação de kernel.

Pelo investimento à época (foi pouco mais de R$ 3.000,00), foi um ótimo negócio. No meu caso, teve um tempo que tentei vender, e aí a marca ainda era meio desconhecida, ninguém nem sabia o que tava oferecendo, teve um que pediu para comprar só o SSD que instalei à parte.
Enfim, quando não deu negócio, ficou comigo. Se for para não dar o valor justo, prefiro usar, deixar guardado numa caixa e se for o caso, usar só para matar saudades. É bom para testar distro, rodar uma VM, fazer uma graça.

Só é “desengonçado”. A fonte era gigante e o perfil dele, mesmo para a época, era mais gordinho que notes tradicionais. Como nunca mais nem vi um (é realmente um produto de nicho), não sei quanto melhorou ou piorou.

2 Curtidas

Este aqui com Ryzen 5 está R$ 5.400,00 no boleto (e ainda dá para tirar o Windows e ganhar um desconto):

A única grande “cagada” nele, que não sei se ocorre no equivalente intel, é só ter um soquete de memória, e já matar o dual channel da máquina.
Particularmente, também não gosto do Enter “reto”, mas é só um detalhe.
Máquina 14", levinha, feita em liga de magnésio.

Como disse, para quem viu um positivo custando o que custou, não dá para achar caro. Não sei quanto um equivalente de outra marca custa.
Mas que se a diferença for menos de 10 ou até mesmo 20%, eu não pensaria duas vezes. Justamente pelo ótimo suporte.

1 Curtida

Já voltei a sonhar…

No YouTube em canais de reviews sempre aparece alguém dizendo que adquiriu um e que depois de um certo tempo surgiu algum defeito de fábrica (pasta térmica insuficiente, problema no flat, algum componente com problema, etc) sempre informam que são prontamente e muito bem atendidos pela assistência técnica, mas, que o aparelho tem que voltar para reparos na fábrica (que fica na região sul) e que portanto além dos pequenos problemas prematuros, tem que ficar sem o equipamento por um longo tempo. Muitos levam a crer que falta rigor da empresa no controle de qualidade na linha de montagem. Eu particularmente não sei porque nunca fui proprietário de um (já quis e volta e meia me sinto tentado), mas, é o que um número considerável diz.
Isso aqui que me deixa com o pé atrás:
https://www.youtube.com/results?search_query=problemas+avell

1 Curtida

Queria pegar um justamente pelo teclado mecânico.

1 Curtida

Sim, é bem isto que tive de experiência. E depois de anos lembrei porque e como começou a conversa sobre eu trocar a tela.
Eu tava numa época que dependia dele para a faculdade, e precisava de um reparo rápido. Nalgum momento falaram que eles mandavam a tela, se eu tivesse quem trocar.
Da outra, aí já mais tranquilo, mandei na caixa velha e voltou na nova. Mas não foi um tempo absurdo.

Não é um Asus de elite nem um Macbook em termos construtivos (os daquela época, pelo menos). Mas o suporte era excelente. Não ficavam perguntando ou querendo jogar a culpa no cliente, coisa que ultimamente até a Apple, que não era disto, já vi fazer.

Na época, tinha uma outra marca (nem lembro mais se existe) que tinha esta linha de notes de alto desempenho e altamente customizáveis. É isto ou pegar uma solução meio pronta de um fabricante que vai te encher o saco. Avell é meio na linha de garantia americana: no que você só tira a tampa, pode mexer e trocar (memória e HD), sem problemas.

Enfim, foi a minha experiência, e para aquela necessidade. Hoje meu estilo de vida é radicalmente diferente, não preciso de um notebook, que o diga potente, e prefiro desktops. Para quem tem, acho que é algo que vale a pena por ser diferenciado. Realmente, não sei nem se tem opção de teclados mecânicos de outros fabricantes, embora o Lenovo, se ainda for como era antigamente, era algo humilhante mesmo nas linhas mais básicas. Muito confortável e com um espaçamento ideal.

2 Curtidas

Acho que você se refere a extinta Powernote. Hoje quem concorre diretamente com Avell são 2 A.M. (da Positivo) e N.A.V.E. (da DATEN).

1 Curtida