Terminologia inclusiva no Kernel Linux

Recentemente, eu escrevi um post no fórum sobre a Red Hat estar trocando alguns termos de seus códigos e documentações, e o Kernel Linux também está para sofrer estas mudanças positivas.

“Eventos recentes levaram a uma declaração de posição do Linux sobre inclusão terminologia. Dado que o Linux mantém um estilo de codificação e seu próprio conjunto idiomático de terminologia, aqui está uma proposta para responder à chamada para substituir terminologia não inclusiva”.

As palavras a serem evitadas incluem “escravo”, com substituições sugeridas, como secundária, subordinada, réplica ou seguidor e “lista negra”, para as quais as substituições podem ser lista de bloqueio ou negação. com o objetivo de “maximizar a disponibilidade e a eficiência da comunidade global de desenvolvedores para participar do processo de desenvolvimento de kernel do Linux”.

Embora a maioria aceite a idéia de adotar terminologia inclusiva, existem vozes divergentes, particularmente quando se trata da lógica. Outra preocupação é que a substituição de termos comumente usados ​​por sinônimos menos conhecidos poderia ser um desafio para quem não fala inglês.

Não é fácil encontrar consenso sobre esses assuntos, mas se adotado, o kernel será um dos muitos projetos em que o código inclusivo é incentivado, incluindo o projeto Chromium, patrocinado pelo Google, que afirmou que o código deve ser neutro em termos de gênero e racialmente neutro.

Várias empresas e projetos têm aderido a terminologias inclusivas, isso mostra a preocupação com a inclusão de todos em seus projetos.

O que você acha dessa novidade? Deixe nos comentários, e até a próxima notícia, dica ou tutorial!

2 Curtidas