Tempo de suporte de alguns hardwares no linux

@rasolar se não me engano o problema é exatamente placa SIS. Como que você fez para pegar os drivers e por no Lubuntu. Acho que posso tentar isso pra ver se funciona. Para poder dar boot gráfico eu uso uma TV sansung antiga como monitor. Ao contrário dos outros monitores ela suporta essa placa.

1 Curtida

O Kernel Linux tem telemetria? Como que eles vão julgar que determinado hardware tem baixo número de usuários?

Tinha que se dar 10 anos de suporte… Nem que o Kernel ocupe 1GB.

1 Curtida

Não tem sentido manter um driver obsoleto no kernel para ocupar espaço. O kernel é otimizado a cada versão e manter um driver obsoleto vai contra esse princípio.

2 Curtidas

Encontrei dois links ensinando a instalar o driver SIS. São eles:

Como instalar o driver da placa de vídeo SiS 771/671 no Ubuntu 18.04

e

Instalar o driver da placa de vídeo Sis 671/771 no Linux Mint 11

Como meu positivo é 32 Bits (positivo mobile V21) usei o segundo link, mas em um Lubuntu 18.04 ao invés do mint. A primeira coisa que me chamou a atenção foi que não existia um xorg.conf na pasta /etc/X11 , mas mesmo assim segui o procedimento. Tentei primeiro sem instalar o pacote deb e depois instalando o pacote deb. Sem o pacote não mudou nada, a imagem continuava saindo só na TV. Com o pacote o notebook passou a desligar quando iniciado. Resumindo, não funcionou para meu positivo mobile V21.

1 Curtida

Não tem telemetria (que eu saiba). Acho que essa análise é feita de acordo com os voluntários para manter o driver. Se não tem ninguém querendo manter, é porque muito provavelmente é obsoleto e um número mínimo de usuários utilizam.

1 Curtida

Outro motivo é que no passado havia várias empresas tentando emplacar hardwares diferentes. Muitas delas faliram e deixaram de existir. Esses hardwares que as vezes tem de 10 a 15 anos e já eram ruins quando foram lançados não tem porque continuar dando suporte. O suporte na época era feito em parceria com alguma empresa como era o caso da positivo com a mandriva. A verdade era que esses hardwares eram tentativas de baratear custo e já não prestavam naquela época. Quando o hardware é bom ele se torna padrão de mercado e continua tendo suporte. Meu atual computador é um dual core i386 de 2009. Ele ainda funciona bem com um Xubunto. Outros hardwares eram padrão de mercado antigamente mas se tornaram tão velhos e sem recursos que se tornaram obsoleto. Por exemplo, eu tenho um computador da decada de 90 que o sistema mais novo que roda nele é o Windows 98. Eu consegui instalar nele um puppy linux mais antigo que até funcionou. Esse computador possui uma arquitetura que não existe mais(pré i386). Apesar desse puppy funcionar relativamente bem nele a rede não funciona porque naquela época você tinha que instalar uma placa de rede e eu não sei se a driver linux para essa placa. Vale ressaltar que essa era a época que poucos hardwares funcionam no Linux e muitas das vezes você tinha que escrever o próprio driver. Claramente não vale a pena dar suporte a uma máquina dessas, a não ser que você seja fã de retrocomputaria e queira fazer isso. Já comercialmente é desperdiço de tempo e dinheiro.

1 Curtida

Rapaz, se não me falha a memória, no PCLinuxOS, peguei os arquivos do driver lá da pasta /usr/lib/xorg/modules/drivers e também o arquivo /etc/X11/xorg.conf e joguei direto esses arquivos no Lubuntu em suas respectivas pastas, deu tudo certinho, não precisei fazer mais nada.

Procurei aqui por esses arquivos no meu HD Externo, mas parece que eles só estão no meu notebook antigo. Se você me mandar uma mensagem privada na terça-feira (que é quando eu estarei na outra cidade onde se encontra meu notebook antigo), posso tentar conseguir os drivers para você.

Ou você pode tentar a opção mais viável, você instala o PCLinuxOS no seu notebook. Tente o máximo possível conseguir uma versão de 2017 ou entre 2010 e 2017, não posso lhe garantir que esse driver ainda é suportado no PCLinuxOS. Como a distro é rolling release, teoricamente você não precisará formatar a máquina, basta mandar atualizar. Mas como eu achei esta distro um pouco instável, eu preferiria pegar os drivers, instalar uma variação do Ubuntu 18.04 e jogar os drivers nele.

Para não precisar baixar e instalar a distro, você pode tentar achar o link dos repositórios do PCLinuxOS, de forma que você possa baixar qualquer pacote desse sistema pelo seu navegador e procure pelo pacote que tenha parte do nome sismedia. Você baixa o pacote .rpm e então extrai os arquivos dele com qualquer descompressor de arquivo.

1 Curtida

Então se eu quiser me manter num unico hardware por mais de 20 anos então teria q manter o windows por exemplo? Nao seria mais viavel manter esses firmwares separados do kernel em vez de colocar tudo ali pra dps tirar ? kkkkkkkk

O Windows também não é suportado por tanto tempo, o Windows XP foi descontinuado anos atrás e o Windows 7 será descontinuado no início do ano que vem. Sem contar que um computador de 20 anos de idade seria completamente inutilizável com software moderno.

2 Curtidas

O windows 10 da suporte a retrocompatibilidade de hardware kkkkkkk mas eu tenho uma MX4000 aq em outro pc com win10… E funciona ate entao so q e bem fraco pra algumas besteiras, alem de eu tbm ter um sempron +3000 com 768RAM tbm com win10… So nao me pergunte como instalei kkkkk so digo q nao foi facil

A Microsoft também remove suporte a hardwares antigos do sistema.

2 Curtidas

Geralmente tira os do winupdate… ja a fabricante custuma deixar o arquivo do driver no archive kkkkkkk

Complementando a resposta do drakofrost. Mesmo que você (por “você” me refiro a @ruanelivelton18) instale um sistema operacional moderno, mesmo programas que teoricamente poderiam ser rodados na sua máquina (você tem memória RAM e capacidade de processador), podem não funcionar. Vou citar o meu caso com o meu notebook antigo SiS como exemplo.

No Lubuntu 18.04 (na época que eu testei essa era a versão mais nova da distro da Canonical) eu instalei o Tor, mesmo com minha máquina tendo 4GB de RAM e rodando o Chrome e o Firefox relativamente bem, não consegui por o Tor para rodar, o navegador Tor apresentou algumas possíveis causas do erro, uma delas era um “faulty hardware”. Posso estar completamente equivocado no que vou dizer, mas acredito que o Tor exigia um procedimento de processador que o meu hardware não poderia oferecer não por falta de capacidade, mas por ser velho demais e não ser capaz de realizar determinada instrução que não existia quando ele foi criado.

1 Curtida

Já tem muitos hardwares que ficaram fraco com o Windows 10. Aliás não tenho certeza se existe um Windows 10 i386. Se você pegar um computador muito velho terá de usar um Windows desatualizado como XP ou algo que irá perder o suporte logo como o Windows 7. Se for pra usar sistema desatualizado você pode por um Linux antigo. Como falei acima tenho um micro do final da década de 90 que só funciona com Windows 98. Ele tem uns 20 anos e faz um bom tempo que não tem como usar. Pra ser mais exato desde o Windows XP que surgiu no começo dos ano 2000, ou seja ele não teve nem 10 anos de suporte pela Microsoft porque o hardware ficou obsoleto. Isso era comum naquela época, os hardwares ficavam obsoletos muito rápido. Dependo do hardware que você pegar, algo que seja entre 2000 e 2005, não vai ter driver para rodar com o Windows 7 e você vai ter de por um XP. Resumindo os hardwares ficam ultrapassados e nenhuma empresa irá dar suporte. As únicas pessoas que gostam de mexer em hardware obsoleto é o pessoal da retrocomputaria. Eles conseguiram até criar meios de computadores da década de 80 se comunicarem por wifi. Se você quer usar um computador por 20 anos ou mais considere a hipótese de se juntar a esse time.

2 Curtidas

Isso se o sistema for usável, o que pode não acontecer. Sou um tipo de pessoa que gosta da ideia de de ter apenas o Linux instalado, mas no meu notebook antigo com placa de vídeo SiS o suporte ao vídeo era muito limitado, até para assistir a um vídeo em tela cheia era inviável.

No meu notebook antigo eu tenho o Windows XP para jogos (não porque o Wine não os roda, mas porque o sistema não consegue dar suporte gráfico a eles!) e para assistir a séries e vídeos. E também tenho instalado nele o Lubuntu porque gosto do Linux e para ter acesso a programas atualizados, como o Firefox.

2 Curtidas

Bom acredito q eu va muito longe com uma maquina mais modesta kkkkk mas o seu pensamento nao esta fora da realidade… Mas o maximo q eu mude pode ser o HDD para SSD
Mas esse negocio do kernel matar hardware antigo me desanimou de ficar no linux… Acreditava q poderia dar uma certa longevidade a maquinas bem fora de linha

Pelas peças q eu tenho guardado ja me considero um retrocomputaria kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

1 Curtida

No meu caso em específico o que pega é a placa de vídeo SiS (que é uma bomba até no Windows!). Como você já deve ter visto em outros meus posts anteriores neste tópico, eu consegui instalar o driver dessa placa numa versão recente do Ubuntu. Mas sou obrigado a usar Windows XP justamente porque o suporte a placa de vídeo é ruim desde o início, se eu tivesse um bom suporte, eu poderia manter esse notebook antigo apenas com versões atualizadas do Linux.

Você só terá problemas mesmo se você estiver mantendo um hardware demasiadamente esotérico, do contrário há grandes chances que drivers genéricos do Linux deem conta do recado. Para você ter uma ideia, como eu já disse aqui, no meu notebook antigo eu tive sérios problemas com o audio em versões mais novas do Windows (do 7 pra mais recente), no Linux eu não tive absolutamente nenhum problema com áudio (desde o Mandriva 2009 até o Ubuntu mais recente eu nunca tive problemas!). O que tinha me ferrado mesmo foi exclusivamente a placa de vídeo, fico feliz que tudo hoje é na base das Intel Graphics (que é o que o pessoal tem em computadores mais populares), NVIDIA e AMD.

2 Curtidas

Tentei dar mais uma chance ao meu Positivo Mobile V21. Eu comecei a questionar qual é o driver de video que ele usa. Nesse site descobri que a placa de video é uma VIA UniChrome Pro IGP. Resolvi então olhar na pasta usr/lib/xorg/modules/drivers/ do Xubuntu 10.10 que funciona para descobrir qual é o driver que a placa deveria estar usando. O único com nome parecido com a placa era o openchrome_drv.so, então fui ao log /var/log/Xorg.0.log e confirmei que é esse o driver. Dando uma pesquisada sobre o openchrome descobri nesse site que esse driver pode ser instalado dando:

sudo apt-get install xserver-xorg-video-openchrome

Instalei então o Lubunto 18.04 e fiz a instalação desse driver. Após reiniciar apareceu imagem porém a barra de programas fica fora da tela. Pensei em mudar a resolução e o único jeito que eu encontrei foi usar os comandos cvt e xrandr. Segui as instruções desse site e criei a resolução de 1280x768. Apesar de fazer isso a barra de aplicativos continua fora da tela. Resumindo eu consegui obter a imagem na tela e fazer funcionar o meu antigo positivo mas a imagem não fica do tamanho da tela.

Segue uma imagem de como ficou a tela:

1 Curtida

Nossa, me sinto de volta a 2010 quando eu lia muito sobre essas placas. Era justamente essa a dupla da desgraça, SiS e VIA, elas já eram muito mal faladas naquela época.

.

Mesmo com uma resolução de tela menor, como 800x600, continua com esse mesmo problema?

Não sou um usuário avançado do Linux, a única dica que posso lhe dar é criar um novo painel (“painel” é o que você chama de “barra de programas”) na parte superior da tela – igual a como era no GNOME 2. É óbvio que continuarás numa situação ruim, mas ao menos terás um sistema um pouquinho mais usável.

Outra ideia que me ocorreu agora é de você testar o PCLinuxOS (seria interessante você testar ambas as versões de 2017 e a mais atual), espero que ele ainda já venha por padrão com o driver openchrome.

2 Curtidas