"Saco vazio não para em pé". É preciso "monetizar" as distros

Slackware enfrenta problemas finaceiros. Confira!

https://www.diolinux.com.br/2019/08/slackware-abre-financiamento-coletivo-para-manter-distro-em-pe.html

3 Curtidas

Concordo, é preciso um plano de sustentabilidade para garantir mais longevidade. Uma coisa que acho que toda distro poderia fazer é cobrança do download de seus servidores, não digo cobrar pelo sistema, mas pelo serviço de download. Existe custo para manter os servidores/mirrors/administradores etc…isso poderia ser um começo, uma distro que faz isso(me parece que apenas a versão dev tem download gratuito) é o nitrux. O elementaryOS tem sua opção de pague o quanto quiser, me pergunto se isto está dando certo? tanto quanto eles gostariam…

4 Curtidas

Incentivar que os usuários deem preferência para o torrent e ajudem a semear me parece algo mais sensato. Eu sempre utilizo o torrent, nunca baixo pelo navegador.

Já tentei ajudar a semear, mas não houve demanda, a maioria das pessoas baixa pelo navegador.

5 Curtidas

usuário médio (maioria) baixa no primeiro botão de download que tem no site

3 Curtidas

O pior de tudo é quando a propria distro busca parcerias na tentativa de sobrevivência e a comunidade de usuários “atiram pedras” para todos os lados. Veja o caso recente do Manjaro.

5 Curtidas

É uma questão de dar maior destaque para o torrent, ou torná-lo a única opção.

3 Curtidas

verdade, mas também não adianta “prostituir” a distro em troca de sponsors…(não digo que foi este o caso do manjaro)

2 Curtidas

isso traria um obstaculo a mais para o usuário baixar, primeiro teria que instalar um cliente torrent…acho mais facil cobrar o download ainda…

Concordo que aquilo não se adapta ao sistema socioeconômico vigente perece.

Mas acredito que cobrar pelo serviço de download desestimularia novos usuários a migrarem para uma distro Linux, afinal, o Windows pirata continua saindo totalmente de graça para o usuário médio (maioria).

2 Curtidas

infelizmente pode ser verdade…povo acha que se vive de luz…

1 Curtida

me pergunto quantos usuários Linux de desktop deixariam de usar caso tivesse que pagar algo pra usar…

Encontar uma foŕmula equilibrada de cobrança tem sido um grande desafio. Temos alguns modelos como o Elementary OS, o Zorin OS…Mas não se sabe até onde está surtindo efeito.

uma forma de talvez verificar isso é o numero de developers dos projetos, se aumentou ou não…entre outras formas…podemos perguntar no twitter tbm?

A maioria das distros tem o Transmission ou o Ktorrent instalado por padrão, é só clicar no link magnético e dar OK no programa, não tem mistério.

2 Curtidas

Cobrar é errado por princípio no software livre. Se tem que pagar então não é livre.

O correto é que cada um que usa o sistema operacional faça doação à distribuição e programas que mais usa. Quem tem mais doa mais, quem tem pouco doa pouco. Há outras formas de ajudar como reportar bugs quando encontra, divulgar na rede social, ou mesmo entrar na programação. Quem aqui segue a página no facebook da distribuição que usa? Isso já é ajudar.

Ano passado fiz doação de 50 reais para o Debian. Me senti muito melhor ao poder retribuir um pouco o tanto que ele já me ajudou nesses anos.

1 Curtida

Concordo com o colega @Deleterium, acho que o caminho é incentivar as doações, mesmo que módicas (1 dólar por exemplo).

Não sei se isso iria ferir o princípio do Open Source mas uma possível alternativa seria copiar em partes a estratégia da Xiaomi com seu sistema, ou seja, inserir um e somente um, banner modesto na loja de aplicativos e no painel de controle.

Se até a Microsoft pensou em fazer isso de alguma forma, o Linux poderia fazer, mas de novo, se não for ferir o princípio do Open Source.

1 Curtida

A questão de arrecadar dinheiro é algo que, a princípio pode assustar muita gente que esteja entrando agora nesse universo. Então, vamos aos pontos interessantes de alguns modelos já existentes:

–> O Ubuntu é mantido por uma empresa, no caso, a Canonical, que gera receita com a prestação de suporte empresarial e personalizado, além também de outros serviços atrelados ao sistema, como a IOT e a nuvem.

–> Fedora é mantido pela Red Hat, a qual fornece toda a infraestrutura necessária para o desenvolvimento do projeto e da base do código do Red Hat Enterprise Linux, distro paga, de suporte individualizado e ferramentas proprietárias da Red Hat em si.

–> Elementary OS coloca um botão, onde na hora do download, você escolhe o quanto você gostaria de doar para o projeto, e disso, o link de download é desbloqueado.

—> O Ubuntu MATE, um flavour do Ubuntu, para arrecadar doações, vende itens customizados do flavour como uma forma de gerar receita para manter o seu desenvolvimento.

–> Manjaro e algumas distros, optam por realizar parcerias com empresas, de modo a distribuir esses softwares, e ao mesmo tempo, conseguindo a grana para se manterem.

Pegando tudo isso, daria para fazer da seguinte forma: como nem tudo nesse mundo do software livre só envolve dinheiro, uma ideia boa seria:

Incentivar o engajamento das comunidades das distros, e utilizar uma mistura dos esquemas adotados pelo Elementary OS, Ubuntu MATE e outras distros, de modo a manter tudo em equilíbrio: fornecer uma distro para download gratuitamente, mas ao mesmo tempo, ter mecanismos para a manutenção e promoção do engajamento de ajuda nos times de suporte e na arrecadação das doações.

1 Curtida

Posso até falar uma besteira agora, mas porque eles não fazem que nem o DOTA2 por exemplo? é free pra usar, mas se quer alguma “traje” diferente a pessoa desembolsa algum valor e compra. Eu não tenho dúvidas que compraria por exemplo um TEMA Diferenciado, aquele que o cara coloca num PC da xuxa e se acha o AlienWare… :rofl:
Monetizar algo não quer dizer rancar o couro da pessoa. melhor 20%, 10%, 5% de algo do que 100% de nada. O que é R$ 5,00? R$ 10,00? Gastamos muito mais tomando um Refrigerante…
Eu por exemplo, queria comprar o MASTER PDF, mas os cara também colocaram lascando 250,00. Não que não valha, imagino o trabalho, mas para uma pessoa comum, que não ganha tanto dinheiro, já fica impossível.

1 Curtida

Receber para trazer aplicações comerciais pré-instaladas seria uma boa forma de monetização, pena que tem tanta resistência da ¨comunidade¨, só daria o trabalho de dar alguns cliques ou comandos para desinstalar as aplicações.

Outra forma que eu acharia interessante seria a distribuição oferecer serviços para os usuários que querem algo a mais. Por exemplo, a distro poderia oferecer um serviço de sincronia de arquivos e configurações, sincronia de contatados e etc. Não sei por que o ubuntu descontinuou o Ubuntu One, nem sou desse tempo, mas se pudesse pagar pra ter um espaço maior entre outras facilidades eu pagaria pra dar suporte a distribuição.

2 Curtidas

Acho que seria uma das melhores saídas. Quem não quer a aplicação é só desinstalar e pronto. :smile:

1 Curtida